EM CARTAZ: INSTITUTO CULTURAL CAPOBIANCO RECEBE “SINTHIA”

Cassiano Leonardo especial para o Aplauso Brasil (Cassiano@aplausobrasil.com.br)

SÃO PAULO – Devido ao grande sucesso de público e crítica o espetáculo Sínthia esta de volta com nova temporada do no Instituto Cultural Capobianco,  a partir de segunda-feira (3), com sessões segundas e terças, às 20h.

Escrita e dirigida por Kiko Marques, a peça ganhou prêmio APCA de Melhor Direção, além de receber indicação ao Shell por Direção e Atriz para Denise Weinberg, convidada da Velha Companhia. O espetáculo recebeu também indicações Prêmio Aplauso Brasil de Teatro, nas categorias Melhor Diretor e Melhor Dramaturgia para Kiko Marques, além de Melhor Trilha Original para Tadeu Mallaman .

Durante dois anos, os artistas da Velha Companhia ficaram imersos numa pesquisa que deu origem ao novo texto de Kiko Marques, com o apoio do 24º Fomento ao Teatro da cidade de São Paulo e do Instituto Cultural Capobianco, puderam realizar um vasto ciclo de palestras, pesquisa histórica e improvisações cênicas em cima dos temas Transgeneridade e Ditadura.

“Sínthia tem origem numa experiência pessoal. Nasci em 31 de março de 1965, um ano exato após o golpe que depôs o presidente João Goulart, mergulhando o país numa ditadura. Meu pai era oficial da PM do Rio de Janeiro na época. Minha mãe teve dois irmãos homens e dois filhos também homens antes de mim. Muito por isso fui esperado por ela como menina. A partir do mote de uma mulher encarcerada num mundo machista, do paradigma da repressão como forma de amor, e da questão da identidade de gênero, resolvi criar uma obra que falasse de compaixão. A peça conta as histórias de Maria aparecida e seu caçula Vicente, desde seu nascimento em 1968 até o natal de 2013 quando chega para a ceia vestido como Sínthia, nome que teria se tivesse nascido menina. Fala de uma transformação necessária e ininteligível como tudo o que é necessário, e sobre a incapacidade de aceitar aquilo que não se possui. “Matamos aquilo que não entendemos.” Escrita em 2014, a obra mais do que nunca se mostra atual e necessária pela maneira como a intolerância alicerçada em certezas e interesses, vem se tornando o modo principal de nos relacionar tanto no campo pessoal como social”.
Kiko Marques

Ficha Técnica:

Autoria e Direção: Kiko Marques.
Elenco: Denise Weinberg, Henrique Schafer, Alejandra Sampaio, Virgínia Buckowski, Kiko Marques, Marcelo Diaz, Willians Mezzacapa, Marcelo Marothy, Valmir Sant’anna.
Diretora de Produção: Patricia Gordo.
Cenografia: Chris Aizner.
Desenho de Luz: Marisa Bentivegna.
Figurinos: Fábio Namatame.
Direção Musical e Trilha Original: Tadeu Mallaman.
Preparação e Desenho de Movimento: Fabrício Licursi.
Consultora Vocal: Fernanda Maia.
Consultor Histórico: Ricardo Cardoso.
Assistente no processo dramatúrgico: Cristina Cavalcanti.
Colaboradores do processo dramatúrgico: Marcelo Laham e Maurício de Barros.
Quarteto de Cordas: Violino (Mica Marcondes),
Violino (Alice Bevilaqua),
Viola (Elisa Monteiro) e
Cello (Vana Bock).

Serviço:

Sínthia. Reestreia dia 3 de abril.
Temporada – Segundas e terças às 20h.
Ingressos – R$ 20,00.
Instituto Cultural Capobianco.
Endereço: Rua Álvaro de Carvalho, 97 – Centro, São Paulo – SP, 01050-070. Metrô Anhangabaú.
Duração: 165 minutos.
Recomendação: 14 anos.
Capacidade: 50 lugares (espaço subterrâneo).
Telefone: (11) 3237.1187. Bilheteria abre meia hora antes do começo do espetáculo nos dias de apresentação. Vendas: www.compreingressos.com.
Até dia 13 de junho.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*