Em projeto inédito na quarentena, Giovani Tozi tem conto lido por seis diretores diferentes

EM REDE – O ator produtor e diretor Giovani Tozi se jogou numa nova experiência para a quarentena. O seu conto “Peixe-cabeça-de-cobra” será dirigido por seis diretores diferentes, nas plataformas da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo e  no Teatro Municipal de Santo Amaro Paulo Eiró. A estreia será nesta quinta (23), com Luiz Damaceno. 

A experiêcia inédita, inicialmente, acontecerá uma vez por mês. Será que pode chegar a ser apresentado ao vivo? Participam do projeto Sandra Corveloni, Gui Sant`anna, Marcelo Lazzaratto, Marco Antônio Pâmio e Neyde Veneziano.

Para deixar a experiência mais aberta, Giovani liberou o conto com exclusividade para o Aplauso Brasil. O tema do conto passeia entre sonhos, delírios e medos. Algo bem parcerido com o que vivemos hoje, não é?

“sempre tive sonho esquisito. Numa época em que tive dificuldades pra pegar no sono
acabei experimentando tomar melatonina pra ver se ajudava. O que eu sonhei aquelas
noites foram coisas tão absurdas, tão indignas que eu sentia sujo quando eu acordava.
Parei de tomar. Parei de sonhar. O caso é que agora eu não tenho controle. Os sonhos
vêm”. (O conto completo está no final da matéria) 

Quem é Giovani Tozi?
Giovani Tozi é Ator, Produtor, Artista Plástico e Mestre em Artes da Cena pela Unicamp. Foi artista residente no Performing Arts Forum na França. Integrou o Núcleo Experimental de Artes Cênicas do Sesi da Av. Paulista, onde desenvolveu trabalhos com diversos diretores, entre eles, Felipe Hirsch, Georgette Fadel e Roberto Audio. Tem formação em Nova Dança através de Adriana Grecchi e Lu Favoretto – e Dança Indiana, por Marília Vieira Soares. Contemplado pelo Prêmio Coca-Cola Femsa por sua atuação em O Colecionador de Crepúsculos, de Vladimir Capella. Premiado pelo Proac Edital por seu solo autoral Saída de Emergência; por Corpo Estranho recebeu o Prêmio de Melhor Coreógrafo no Festival Curta Dança Nacional e foi indicado ao Prêmio Aplauso Brasil na categoria Melhor Elenco, pelo espetáculo Pergunte ao Tempo, de Otavio Martins. Seus últimos trabalhos como ator  no teatro são: Cais Oeste, com direção do francês Cyril Desclés; As Atrizes, dir. Léo Stefanini; As Luzes Do Ocaso, Daqui Ninguém Me Tira e Quiquiriqui, dirigidos por Neyde Veneziano; e Tróilo e Créssida e A Noite de 16 de Janeiro dirigidos por Jô Soares, pra quem também fez assistência de direção.

Para assistir a live:

https://bit.ly/3hrpkuR
YouTube
Facebook 

Mas, antes, leia o texto aqui e acompanhe essa saga cheia de nuances.

Giovani Tozi

Giovani Tozi é Ator, Produtor, Artista Plástico e Mestre em Artes da Cena pela Unicamp. Foi artista residente no Performing Arts Forum na França. Integrou o Núcleo Experimental de Artes Cênicas do Sesi da Av. Paulista, onde desenvolveu trabalhos com diversos diretores, entre eles, Felipe Hirsch, Georgette Fadel e Roberto Audio. Tem formação em Nova Dança através de Adriana Grecchi e Lu Favoretto - e Dança Indiana, por Marília Vieira Soares. Contemplado pelo Prêmio Coca-Cola Femsa por sua atuação em O Colecionador de Crepúsculos, de Vladimir Capella. Premiado pelo Proac Edital por seu solo autoral Saída de Emergência; por Corpo Estranho recebeu o Prêmio de Melhor Coreógrafo no Festival Curta Dança Nacional e foi indicado ao Prêmio Aplauso Brasil na categoria Melhor Elenco, pelo espetáculo Pergunte ao Tempo, de Otavio Martins. Seus últimos trabalhos como ator no teatro são: Cais Oeste, com direção do francês Cyril Desclés; As Atrizes, dir. Léo Stefanini; As Luzes Do Ocaso, Daqui Ninguém Me Tira e Quiquiriqui, dirigidos por Neyde Veneziano; e Tróilo e Créssida e A Noite de 16 de Janeiro dirigidos por Jô Soares, pra quem também fez assistência de direção.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*