Entrevista: Estourados no CCBB, Cia da Revista busca ajuda na internet para continuar tributo a Chico Buarque

Já fizemos o pior:
transformamos uma funilaria em um teatro”
Cia da Revista

Kyra Piscitelli, do Aplauso Brasil (kyra@aplausobrasil.com.br)

Membros da Cia da Revista na futura nova sede, no bairro da Santa Cecília, no centro de SP. Foto: divulgação.
Membros da Cia da Revista na futura nova sede, no bairro da Santa Cecília, no centro de SP. Foto: divulgação.

SÃO PAULO – No dia 8 de agosto a Cia da Revista estreou o espetáculo Ópera do Malandro de Chico Buarque com a bilheteria estourada para toda a temporada, no Centro Cultural Banco do Brasil. Agora, a companhia já tem  um novo desafio pela frente: precisa arrecadar R$ 20.000 para dar continuidade ao Projeto Chico 70, uma homenagem aos 70 anos de idade do artista que envolve outras várias produções além da que está em cartaz no CCBB. Para isso, entraram no Catarse, uma rede colaborativa na internet que ajuda a viabilizar projetos culturais. Os colaboradores dão o quanto pode e o criador do projeto tem que oferecer uma recompensa para cada um desses valores doados.

Reconstrução é o nome do projeto que está disponível para captação no Catarse. A nova empreitada da Cia da Revista, é o terceiro resultado cênico da pesquisa iniciada em 2009 e que gerou os espetáculos  Carnavalha (2011) e Cabeça de Papelão (2012). Assim como seus antecedentes, Reconstrução envolve uma grande pesquisa em torno das relações sociais na perspectiva do mito da cordialidade, apresentada pelo sociólogo Sérgio Buarque de Holanda na obra Raizes do Brasil. As histórias têm como cenário um país fictício.

A inspiração para Reconstrução é o contexto fabular do conto O Seminário dos Ratos, de Lygia Fagundes Telles misturados com personagens da obra musical de Chico Buarque. Para fazer a pesquisa teórica e técnica do espetáculo, a companhia foi contemplada pela Lei do Fomento. Mas o projeto de Fomento acaba em agosto, sem envolver a realização do espetáculo.

A viabilização de Reconstrução marca também um importante momento para a Cia da Revista, dirigida por Kleber Montanheiro.  No ano passado,  a trupe deixou a Praça Roosevelt para migrar para a Alameda Nothmann, na Santa Cecília. A razão da mudança foi a especulação imobiliária, que fez subir muito o aluguel. O novo espaço foi construído com ajuda de muitas parcerias e colaboradores. O próximo passo é conseguir montar o espetáculo para, enfim, inaugurar a sede.

Abertura de processo do espetáculo “Reconstrução” em CEUs da cidade de São Paulo. Foto: divulgação
Abertura de processo do espetáculo “Reconstrução” em CEUs da cidade de São Paulo. Foto: divulgação

Até hoje (19), às 13h30 a Cia da Revista angariou no Catarse R$ 650 de 8 apoiadores. Faltam 17 dias para o fim da arrecadação no site. Para colaborar com eles, acesse  o projeto no Catarse. Mas antes, confira a entrevista que o Aplauso Brasil fez com a Companhia sobre o assunto:

Aplauso Brasil: É a primeira vez que entram no Catarse para buscar recursos?

Cia da Revista: Sim, é a primeira vez que entramos no Catarse.Ao vermos colegas nossos conseguindo arrecadar uma grande quantidade de dinheiro no Catarse, para os projetos deles, resolvemos tentar também.

Aplauso Brasil: No Catarse o montante a ser arrecadado para a produção de Reconstrução é R$20.000. Vocês receberam o Fomento para pesquisa, workshops, trabalho nos CEUs… O que falta para produzir o espetáculo?

Cia da Revista: O Fomento previa apenas a pesquisa artística (incluindo os workshops, as idas aos CEUs, as palestras, etc) e terminou em julho. Nos vimos com um trabalho quase pronto e muito potente, mas sem recursos para produzi-lo, o Catarse surgiu nesse momento, como uma alternativa aos editais. Tentamos um PROAC ICMS para esse projeto, mas é muito complicado captar recursos dessa forma, principalmente quando não temos um captador.

Aplauso Brasil: Vocês estão vivendo um bom momento artístico, “estourados” com a peça Ópera do Malandro no CCBB. Acham que esse fator pode ser um chamariz para arrecadar recursos para o Reconstrução, parte do mesmo projeto em cartaz no CCBB (Chico 70)?

Cia da Revista: Esperamos que sim (risos). Acreditamos que a Ópera do Malandro possa ser uma forma das pessoas entrarem em contato com o nosso trabalho e possam vir a acompanha-lo mais de perto.

 Aplauso Brasil: O espetáculo Reconstrução marca também a abertura da nova sede da Cia. Vocês construíram a sede também contando com colaboradores e parcerias. Ela está pronta para ser inaugurada? Como foram essas parcerias? Tem previsão de inauguração?

Cia da Revista:
A nossa nova sede também é fruto de parcerias e colaboradores. Todos esses apoiadores aconteceram, pois trabalhamos muito para isso. Passamos muitos dias ligando nas empresas e pedindo apoios e parceiros. A sede está praticamente pronta. Faltam apenas alguns últimos detalhes. Mas já fizemos o pior: transformamos uma funilaria em um teatro (risos). Pretendemos inaugurar a sede com a Ópera do Malandro e Reconstrução em setembro ou outubro, se tudo der certo!

Kyra Piscitelli

Kyra Piscitelli é jornalista formada pela Universidade Metodista de São Paulo e fez pós-graduação em Globalização e Cultura pela Faculdade de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP). Escreve sobre teatro e arte desde de 2009. Integra os Juris da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) e do Prêmio Aplauso Brasil. Ávida por conhecimento, se não está em viagem ou estudo, só há um lugar para achá-la: o teatro!

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*