ENTREVISTA: GISA GUTTERVIL É FANDO

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (michel@aplausobrasil.com)

SÃO PAULO fandoelisGisaGuttervileLorena Garridocreditodemiangolovaty– Desde 2009, a FAZ Produções acalenta o desejo de encenar Fando e Lis, de Fernando Arrabal. Muitos artistas se interessaram pelo projeto, mas somente neste ano que Erika Barbosa, Beto Bellini, Gisa Guttervil e Samira Lochter decidiram verticalizar o sonho de encenar o texto, em cartaz apenas às sextas-feiras, 23h59, no Espaço dos Parlapatões.

A essência da obra e os diálogos de Arrabal estão presentes, mas, segundo a atriz Gisa Guttervil – o Fando da montagem -, os integrantes realizaram um processo colaborativo, cuja ”espinha dorsal era o como o ser humano se relaciona com seus sentimentos de amor X desamor, solidão X multidão, entre outros, contemporaneamente”.

FANDO E LIS
FANDO E LIS

Guttervil afirma que a opção estética da montagem é revelar “um plano onírico, além do real”. Em entrevista concedida ao Aplauso Brasil, a atriz Gisa Guttervil explica mais sobre a encenação de Fando e Lis.

Aplauso Brasil – Você interpreta Fando, personagem escrito para um ator. Qual foi o caminho que a direção (Erika Barbosa e Beto Bellini) pediu para você seguir?

Gisa Guttervil – A Erika e a Samira me pediram o mais simples, o que para nós atores é o mais difícil. Para ser eu mesma, pois tenho em mim o masculino e o feminino, A cada dia, elas lapidavam o qu’ eu trazia de novo para o personagem.

 

AB – Qual o ponto em que há um paralelo entre o homem contemporâneo e a obra?

GG – As pessoas de hoje parecem incapazes de terminar um caminho que se propuseram a trilhar, interrompendo-o para iniciar um outro que achamos mais interessante, revelando o quanto somos inconstantes.  Essa é a mesma essência de Fando e Lis.

 

AB – O que representa o Fando pra você?

GG – O Fando nos diz que tudo o que imaginamos se transfere em nossas ações, tanto boas como más. Viver esse personagem é uma tarefa difícil, porque ele me obriga a encarar todos os meus monstros.

 

AB – E como se relacionam os personagens de Fando e Lis?

GG – Por meio das histórias imaginadas por Fando em que as faces positivas e negativas do ser humano são tratadas. Exemplo da projeção imaginária de Fando é Lis, idealização de um amor nunca conseguiu encontrar. Ela é um símbolo da solidão em que ele está preso, a mesma solidão que vivemos.

 

Ficha Técnica

Autor | Fernando Arrabal

Direção | Erika Barbosa e Beto Bellini

Assistente de Direção | Samira Lochter

Produção Executiva | Paula Specian

Figurinista | Milton Fucci

Designer Gráfico | Leo Marino e Danilo Amaral

Desenho de Luz | Thiago Capella Zanotta

Cenário | Milton Fucci e Erika Barbosa

Visagista | Ana Ariosa

Trilha Sonora | Henrique Mello

Assessoria de Imprensa | Miriam Bemelmans

Fotos | Demian Golovaty

Fotos Making of | Leandro Reis

Desenho de Corpo | Marília Adamy

Vocal | Deborah Graça

Cabelos | João Marcelo Basil

Modelista | Elizangela Rodrigues

Ateliê de Costura | Elisa Dally

Operação de Luz | Thiago Capella Zanotta

Operação de Som | Samira Lochter

Atores:

 

Gisa Guttervil – Fando

Lorena Garrido – Lis

Luciano Sevla  – Mitaro

Marilia Adamy – Toso

Billy Eustáquio  – Namur

 

Fando e Lis

Espaço Parlapatões – Teatro

Pça Roosevelt 158

98 lugares

Temporada no Espaço Parlapatões até 02 de outubro de 2015 – Todas às sextas às 23h59

Duração: 70 minutos

Gênero: Surrealismo
Classificação indicativa: 14 anos

Horário de Funcionamento da bilheteria: De terça a quinta das 16h às 21h
Sexta e Sábado das 16h à meia-noite.

Ingressos: R$ 40,00 e meia-entrada.

Acesso para cadeirante

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*