“Amores Difíceis”: assista em ambiente virtual

 

SÃO PAULO – Em tempos de pandemia, com teatros, casas noturnas e espaços culturais fechados, os artistas estão se reinventando e lançam mão da internet e das diversas plataformas digitais para seguir trabalhando, ao mesmo tempo em que exploram novas linguagens. Foi pensando nisso que a atriz e diretora Tatiana Rehder resolveu levar ao ambiente virtual o espetáculo Amores Difíceis, que estreia no Zoom, aplicativo de videochamadas, dia 2 de maio, sábado, às 18h com sessões até 28 de maio (sábados e domingos às 18h e terças e quintas-feiras às 21h).

Com direção de Tatiana Rehder e elenco formado pelas atrizes Isadora Petrin e Andrea Serrano, Amores Difíceis é baseado no livro Os Amores Difíceis, de Ítalo Calvino. Antes da quarentena, a peça do grupo Arte Simples de Teatro, que estreou em 2017 na capital paulista, estava se preparando para voltar aos palcos, mas com o distanciamento social, a peça tomou um novo rumo e o grupo decidiu investigar como seria fazer a peça ao vivo pela plataforma Zoom.

“Levamos os ensaios para o formato da plataforma, sempre com a ideia de que a apresentação não perdesse a teatralidade, a interação com a plateia e a comicidade”, explica a diretora. Para tanto, o espetáculo, que como diz o nome, fala de amores difíceis, não somente entre pessoas, mas situações amorosas que as pessoas passam e ficam marcadas, sofreu algumas alterações e virou três pequenos monólogos. As atrizes Isadora Petrin e Andrea Serrano se revezam semanalmente nas apresentações de Julieta, A Banhista e A Viajante.

 

Apresentações ao vivo

A diretora explica que AMORES DIFÍCEIS não é teatro filmado, como algumas companhias vêm disponibilizando filmagens de peças já exibidas. “Estamos descobrindo um jeito novo de encenar, mesmo confinados. A plateia recebe o link e assiste a montagem ao vivo direto da casa das atrizes”, conta Tatiana, adiantando ainda que até interações com a plateia foram inseridas.

 

Estarão em cena, a cada semana, monólogos diferentes. Julieta, com Isadora Petrin, abre a programação com apresentações dias 2, 3, 5, 7, 23 e 24 de maio. A cena mostra o sonho da atriz em interpretar a famosa personagem Julieta, de Shakespeare, que pode se concretizar graças a quarentena. Isadora também apresenta A Banhista nos dias 9, 10, 12, 14, 26 e 28 de maio. No solo uma mulher se vê pela primeira vez sozinha na praia com seu biquíni novo e a partir dessa experiência começa a descobrir o próprio corpo.

Já a atriz Andrea Serrano apresenta nos dias 16, 17, 19 e 21 de maio a cena A Viajante, onde uma moça conhece o seu futuro amor em uma excursão de navio e não mede esforços para que tudo dê certo e se case com ele.

Todas as apresentações são gratuitas, mas há um ingresso opcional no valor de R$ 20,00 – a venda pelo site Sympla – para quem queira contribuir. O valor do ingresso será dividido metade para a produção do espetáculo e a outra metade será doado para o fundo Marlene Colé de apoio a técnicos e artistas das artes cênicas.

 

Para roteiro:

 

AMORES DIFÍCEIS – Estreia dia 2 de maio, sábado, às 18h, na Plataforma Zoom. Baseado no livro Os Amores Difíceis, de Ítalo Calvino. Direção – Tatiana Rehder. Elenco – Isadora Petrin e Andrea Serrano. Texto – Tatiana Rehder, Isadora Petrin, Andrea Serrano e Marcela Arce. Assessoria de Imprensa – Nossa Senhora da Pauta. Produção – Tatiana Rehder, Isadora Petrin e Andrea Serrano. Temporada – Até 28 de maio. Sábados e domingos às 18h e terças e quintas-feiras às 21h. Duração – 25 minutos. Classificação etária – Livre. Ingressos – Opcional no valor de R$ 20,00 pelo site sympla.

O link da plataforma Zoom será disponibilizado pelo direct do instagram @amoresdificeis.

 

Apresentações:

Dias 2, 3, 5, 7, 23 e 24 de maio – Julieta com Isadora Petrin

Dias 9, 10, 12, 14, 26 e 28 de maio – A Banhista com Isadora Petrin

Dias 16, 17, 19 e 21 de maio – A Viajante com Andrea Serrano

 

 

Kyra Piscitelli

Kyra Piscitelli é jornalista formada pela Universidade Metodista de São Paulo e fez pós-graduação em Globalização e Cultura pela Faculdade de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP). Escreve sobre teatro e arte desde de 2009. Integra os Juris da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) e do Prêmio Aplauso Brasil. Ávida por conhecimento, se não está em viagem ou estudo, só há um lugar para achá-la: o teatro!