Espetáculo Esconderijo estreia no Teatro Augusta

Luís Francisco Wasilewski, especial  para o Aplauso Brasil (lfw@gmail.com)

"Esconderijo" -Aline,Renato,Livia -foto de Fábio Ghrun

SÃO PAULO – Com texto e direção do jovem dramaturgo Leo Chacra, o espetáculo Esconderijo estreia dia 10 de fevereiro, sexta-feira, na Sala Experimental do Teatro Augusta, em São Paulo, às 21 horas.

O enredo desta montagem transita pelas paixões em suas diversas manifestações e pelas relações amorosas: Três histórias de amor são marcadas por desencontros e afetos perdidos. O elenco é formado por Aline Abovsky, Renato Bisoni e Lívia Prestes.

A história se passa na São Paulo de 1969, época do regime militar no Brasil. Esse momento político é somente o pano de fundo para contar a história de Juliana, uma jovem ativista política que, após uma traição, busca refúgio na casa de Marina, ex-mulher de seu namorado Pedro (personagem que não aparece fisicamente em cena).

Elas amam o mesmo homem. Confinada no mesmo espaço com a rival, a protagonista vive um clima de suspense e mistério.

Esconderijo -Livia,Aline,Renato -foto de Fábio Ghrun

Segundo Leo Chacra, a referência aos “anos de chumbo” é apenas o fio que conduz as personagens à convivência forçada.

“A história poderia ser em outro contexto, em qualquer época, em qualquer lugar do mundo. Esconderijo está mais para a linha freudiana que marxista; fala mais de amor que de socialismo, de sentimento humano que nacionalista”. Chacra ainda explica que o texto traz uma visão pessoal sua da época de repressão política, de forma distanciada, sem levantar bandeiras. “Falo do amor livre, da relação aberta, da resistência às causas e às pessoas”.

O foco da peça está no âmbito privado, na intimidade de Juliana, Marina, Pedro e Fred.

O diretor/ autor salienta que a encenação brinca com os sentimentos das personagens, aplicando uma lente de aumento no âmbito privado de suas vidas.

No cenário, três poltronas são dispostas aleatoriamente representando tanto a casa de Marina como o apartamento de Fred. De forma nada conceitual, folhas de papel, jornais e livros são jogados pelo cenário, compondo uma atmosfera literária. Também um aparelho de telefone e uma máquina de escrever ajudam a simbolizar a liberdade tão ansiada.

“O ambiente lembra um jovem que saiu da casa dos pais, um jovem país em formação ou a desconstrução das coisas, nos anos 60”, justifica o diretor.

O figurino remete, sutilmente, à moda do final dos anos 1960 e traz para a peça uma atmosfera de nouvelle vague, de tropicalismo.

“Quero pincelar o mundo antes do eletrônico, antes da internet”, diz Leo.

A trilha sonora passa pelo instrumental, folk music, rock clássico e tropicalismo. O diretor busca a força da sonoridade e dos acordes, para pontuar a simplicidade da vida ou a complexidade dos sentimentos.

“Estou muito feliz dirigindo. Acho que o trabalho fica ainda mais autoral”, finaliza Leo Chacra.

Ficha técnica

Espetáculo: Esconderijo

Texto e direção: Leo Chacra

Elenco: Aline Abovsky (Marina), Lívia Prestes (Juliana) e Renato Bisoni (Fred)

Cenário: Leo Chacra

Iluminação: Fábio Ferretti

Figurino: Geondes Antonio e grupo

Programação visual: Suzy Suzuki

Produção executiva: Geondes Antonio

Fotos: Fábio Ghrun

Serviço:

Estreia: 10 de fevereiro – sexta-feira – às 21h30 – Até 25/03

Local: Teatro Augusta (Sala Experimental)

Rua Augusta, 943 – Cerqueira César/SP – Tel: (11) 3151- 4141

Horários: sexta (21h30), sábado (21 horas) e domingo (19 horas)

Ingressos: R$ 30,00 (meia: R$ 15,00) – Gênero: Drama

Duração: 75 min – Classificação etária: 12 anos – Capacidade: 55 lugares

Bilheteria: 4ª a 5ª (14h às 21h), 6ª (14h às 21h30), sáb. (15h às 21h) e dom. (15h às 19h).

Reservas por telefone: 4ª a sab. (15h às 19h) e dom. (15h às 17h) – Aceita dinheiro e cartões (MC, D, V, RS e VE). Ingressos antecipados: www.ingressorapido.com.br (tel 4003-1212). Acesso universal.

Ar condicionado. Estacionamento conveniado no local – Site: www.teatroaugusta.com.br

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*