ESTÁGIO: Juca de Oliveira fala sobre interpretação em espetáculo solo

Henrique Santana, estagiário do Projeto Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro (Redacao@aplausobrasil.com.br)

RIO DE JANEIRO – Juca de Oliveira celebra 60 anos de carreira no teatro vivendo oito personagens da tragédia Rei Lear, de William Shakespeare, em solo homônimo traduzido e adaptado por Geraldo Carneiro, com direção do mago dos solos, Elias Andreato, que estreia hoje no Teatro dos Quatro (Gávea) depois de cumprir temporada bem-sucedida em São Paulo. Juca concedeu entrevista ao ator Henrique Santana em que fala sobre a experiência de atuar num espetáculo solo.

Juca interpreta Lear, suas três filhas e mais quatro personagens para contar a história de Lear, Rei da Bretanha, que aos 80 anos decide dividir seu reino entre as três filhas. A cobiça e a ingratidão filial, temas centrais desta obra-prima, a tornam dolorosamente atual.

Em entrevista ao ator Henrique Santana, Juca de Oliveira, com mais de 60 anos de carreira, e vários prêmios no currículo, conta sobre sua experiência de interpretar um espetáculo solo, sobretudo Rei Lear, onde interpreta oito personagens.

Henrique Santana – São 60 anos de carreira conectada, sobretudo a comédia que você contracena com diversos atores, quando e por que surgiu a ideia de interpretar a tragédia de Lear?


Juca de Oliveira:
Na verdade não existe muita diferença entre tragédia e comédia para o interprete, são cada uma um dos lados da mesma moeda. O homem é feito de tragédia e de comédia. Aristóteles em sua poética, que é a primeira base teórica de dramaturgia, lá existe uma tese sobre a tragédia que é a trajetória do homem tão cheio de virtudes que prefere a morte do que viver sem honra, e tem a comédia, a comédia perdeu-se alguma coisa, mas sabe-se que é exatamente o oposto, a história dos homens defeituosos, então as duas coisas são absolutamente idênticas do ponto de vista do interprete e como ele vai enfrentar o personagem. E eu já representei Marco Antonio em Júlio Cesar, Ricardo III, ambas sob direção de Antunes Filho, e Otelo, Rei Lear é o quarto Shakespeare que eu faço, porque Shakespeare é o sonho de todos grandes atores e você sempre em determinado tempo da vida, quer fazer, ainda tenho Falstaff, Timão de Atena que ainda posso fazer.


HS – Por que a decisão de transformar o texto em um solo?

 

Juca – Na verdade a decisão não é minha. Fui assistir a uma palestra do Geraldinho Carneiro, que é o nosso poeta maior sobre poesia lírica de Shakespeare, e no final teve um bate papo com a plateia e eu falei sobre minha experiência em Shakespeare e que eu queria fazer o Shakespeare, e no final dessa palestra o Geraldo me convidou para um jantar e durante o jantar ele confessou que estava escrevendo um espetáculo solo e eu achei fascinante e falei: ótimo, vamos em frente.

HS – Você inicia o espetáculo com o conselho aos atores proferido pelo protagonista de Hamlet, qual sentido ?

Juca – Quem inventou isso foi o Elias Andreato, na verdade, o que o Elias estava pretendendo, antes de qualquer outra coisa, era me orientar através do Hamlet, pra que eu não saísse berrando por aí, então ele disse: “calma existe já na época de Shakespeare um monólogo de um diretor orientando de como se deve recitar o Shakespeare.

ASSISTA O VIDEO COM A ENTREVISTA COMPLETA:

 

Ficha Técnica:

Texto: William Shakespeare

Tradução e Adaptação: Geraldo Carneiro

Elenco: Juca de Oliveira

Direção: Elias Andreato

Assistente de Direção: André Acioli

Figurino e Cenário: Fabio Namatame

Iluminação: Wagner Freire

Preparação Corporal: Melissa Vettore

Trilha Sonora: Daniel Maia

Fotografia: João Caldas

Logo: Elifas Andreato

Programação Visual: Vicka Suarez

Assessoria de Imprensa: Morente Forte

Gestão de Patrocínios: AT Cultural

Administração / Lei Rouanet: Sodila Projetos Culturais

Direção de Produção: Keila Mégda Blascke

Serviço:

DURAÇÃO: 60 min / GÊNERO: drama / CLASSIFICAÇÃO ETÁRIA: 14 anos / INGRESSOS: 5ªf e 6ªf R$60,00; sábado e domingo R$80,00 / CAPACIDADE: 402 lugares / TEMPORADA: até 30 de novembro / LOCAL: Teatro dos Quatro – Shopping da Gávea – Rua Marquês de São Vicente, 52/2º piso – Gávea / RJ (estacionamento no local) / Tel: 21 2239-1095.

 

 

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado