ESTÁGIO: Protagonista de O HOMEM DE LA MANCHA, fala sobre interpretação Teatro Musical

Henrique Santana, estagiário da Residência artística do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro (Redacao@aplausobrasil.com.br)

Este slideshow necessita de JavaScript.

 O HOMEM DE LA MANCHA – FOTOS DE JOÃO CALDAS Jº

SÃO PAULO – Cleto Baccic, protagonista do musical O Homem de La Macha – cuja estreia será no próximo sábado (13), no Teatro Popular do SESI, com entrada gratuita – contou ao ator Henrique Santana, estagiário supervisionado pelo jornalista cultural e crítico teatral Michel Fernandes dentro da Residência Artística do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro, o que é desejável ao currículo de um ator que deseja trabalhar com Teatro Musical.

Segundo o diretor e versionista de O Homem de La Mancha, Miguel Falabella, a intenção dessa segunda versão brasileira do musical – a primeira, há 42 anos, teve a direção de Flávio Rangel, versão de Paulo Pontes, Chico Buarque e Ruy Guerra, tendo os atores Bibi Ferreira e Paulo Autran nos papeis principais – é buscar uma aproximar a trama do Brasil dos anos 1930. Por exemplo, o personagem Governador (vivido pelo ator Guilherme Santana) que no texto original é um preso da Inquisição, é inspirado em Arthur Bispo do Rosário e nos manicômios em que o artista esteve internado.

Em entrevista ao ator Henrique Santana, o ator Cleto Baccic, destaque nos musicais Cats, Mamma Mia! e A Madrinha Embriagada, além de estar entre os finalistas da 3ª edição do Prêmio Aplauso Brasil de Teatro – Destaque (pela criação do Projeto em Teatro Musical com apoio do SESI-SP Centro de Pesquisa de Teatro Musical) e como protagonista de O Homem de La Mancha, fala sobre o processo de seleção de atores para o espetáculo e questões específicas sobre a arte do Teatro Musical.

Henrique Santana – Cleto, quais as disciplinas básicas um ator deve dominar para atuar numa peça musical?

Clero Baccic – Na verdade Henrique, ator é ator, não existe ator de Teatro Musical, claro que alguns atores tem facilidades em algumas estéticas. Em qualquer gênero teatral o ator não deve ter amarras, ele deve saber cada vez mais de tudo, ampliar seu repertório. Mas partindo do princípio, se alguém deseja concorrer a papéis em peças musicais ele deve cada vez mais saber cantar, dançar, atuar, mostrar mais possibilidades para que o diretor possa utilizá-lo.

HS – Existe uma prosódia (ritmo/ tom) especifica para o ator falar seu texto prosaico?

Baccic – Isto é um preconceito sobre o teatro musical. Não existe uma prosódia para o texto falado, é um jogo teatral como em qualquer outra estética e em um determinado momento aquele texto vira música, aí sim temos um ritmo, tom, como em qualquer outra interpretação musical, mas nunca se esquecendo do ator, da personagem que canta.

HS – O ator canta como o cantor? Qual a principal diferença?

Baccic – O ator canta como ator, assim deve ser. A diferença é que o ator canta aquela canção, claro com a técnica de um cantor, mas com a concepção do personagem que ele está interpretando, tem muita interpretação durante as canções.

HS – O ator dança como o dançarino? Tem diferença? Quais?

Baccic – O mesmo é com a dança, o ator deve ser completo e ter estas referências se sua personagem necessitar.

HS – Qual o nível de criação do ator num espetáculo Musical, ele protagoniza esta criação?

Baccic – O nível de criação é total, é preconceito dizer que o ator em teatro musical não tem protagonismo na sua criação. Como em qualquer texto e estética, no gênero musical nós temos um diretor que nos dá sua concepção e vai direcionando-nos nesta criação. Mesmo quando os musicais são franquias, ou seja, espetáculos que já vem pronto com iluminação e tudo, nós sabemos que temos que ir do ponto “A” para o “B”, mas como vamos imprimir/fazer isso, é construído por nós.

HS – Como foi o processo de seleção dos atores para O Homem de La Mancha? E quais foram os requisitos precisados?

Baccic – Esta versão é do Miguel Falabella, que também é nosso diretor, portanto todos os atores deviam ter uma “loucura” compatível a este espetáculo, além das características de cada personagem. Na primeira semana fazemos audição para “os desconhecidos”, aqueles que nunca vimos, ou que não tenham experiência em teatro musical, mas que tenham características que interessam para este espetáculo. E depois para aqueles que já têm mais experiência no gênero. E assim foram selecionados todos atores com muito carinho .

 

ELENCO

Quixote/Cervantes– CLETO BACCIC

Aldonza – SARA SARRES

Sancho – JORGE MAIA

Governador – GUILHERME SANT’ANNA

Duque – CARLOS CAPELETTI

Cover Quixote/Ensemble – FRED SILVEIRA

Antônia – KIARA SASSO

Padre – IVAN PARENTE

Criada – IVANNA DOMENYCO

Dr. Sansão Carrasco – FRED REUTER

Hospedeiro – EDGAR BUSTAMANTE

Barbeiro – ARÍZIO MAGALHÃES

Cigana – FABI BANG

Maria – LUCIANA MILANO

Ensemble – CAROL ISOLANI

Ensemble – CLARTY GALVÃO

Ensemble – INGRID GAIGHER

Ensemble – JANA AMORIM

Ensemble – MARIANA SARAIVA

Ensemble – NAOMY SCHÖLLING

Ensemble – DITTO LEITE

Ensemble – ELTON TOWERSEY

Ensemble – FELIPE GUADANUCCI

Ensemble – JESSÉ SCARPELLINI

Ensemble – JOHNNY CAMOLESE

Ensemble – JULIO MANCINI

Ensemble – LÁZARO MENEZES

Ensemble – MARCELO GÓES

Ensemble – PEDRO ARRAIS

Ensemble – PHILIPE AZEVEDO

Ensemble – TIAGO KALTENBACHER

Ensemble – TONY GERMANO

Ensemble – VANDSON PAIVA

Ensemble – YGOR ZAGO

Dance Capitain – ANELITA GALLO

Realização FIESP e SESI-SP

Colaboração SENAI-SP

Produção Atelier de Cultura

 

SERVIÇO

O HOMEM DE LA MANCHA

 

Sinopse: Um manicômio brasileiro no final dos anos 30 recebe um paciente que se proclama como Miguel de Cervantes, em companhia de seu criado, Sancho.

Onde: Teatro do SESI-SP (Av. Paulista, 1313 – Bela Vista)

Informações e reservas: (11) 3146-7405 / 7406 – www.sesisp.org.br/meu-sesi

Estreia: 13 de setembro

Até 21 de dezembro

Apresentações:  quarta a sexta às 21 horas, sábado às 17 e 21 horas e domingo às 19 horas.

Ingressos gratuitos reservados online pelo site www.sesisp.org.br/meu-sesi

de 15 em 15 dias a partir do dia 25 de agosto de 2014.

Apresentações entre dias 1º e 15, publicação na internet dia 25 do mês anterior.

Apresentações entre dias 16 e 31, publicação na internet dia 10 do mesmo mês.

Obs: Serão distribuídos 50 ingressos por sessão na bilheteria, no dia do espetáculo, a partir do horário de abertura da bilheteria.

Duração: 105 minutos

Classificação: 10 anos

 

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.