Estão abertas as inscrições para as Oficinas Livres De Interpretação d'Os Satyros

Luís Francisco Wasilewski, especial para o Aplauso Brasil (lfw@aplausobrasil.com)

O ator Ivam Cabral, um dos fundadores d'Os Satyros

SÃO PAULO – Ministradas por atores da Cia Os Satyros, as oficinas são dirigidas a atores já formados, ou iniciantes, que queiram entrar em contato com as técnicas de interpretação desenvolvidas pelos Satyros.

Os cursos foram criados no início dos anos 1990, quando a Cia. residia em Portugal, com o objetivo de desenvolver o método do Teatro Veloz, elaborado pelo Cia. O método ajuda na recuperação de três preceitos: o estado criativo absoluto no imaginário do ator; a sonoridade sem o uso da palavra racional; e o caráter ritualístico do teatro.

São exercícios que, fundamentados nas teorias preconizadas por mestres como Stanislavski, Meyerhold e Artaud, entre outras influências, no caso das práticas de atuação cênica, levam os indivíduos envolvidos em um mesmo processo criativo à reflexão, ao autoconhecimento e a uma apreensão diferenciada do todo em que se inserem, segundo disposições do imaginário.

Um dos objetivos do Teatro Veloz é predispor os atores a uma prontidão de respostas aos estímulos oriundos do meio, com o envolvimento emocional e intelectual dos participantes.

Esse Teatro, como um catalisador de processos que condicionam o indivíduo a repensar a sua realidade e a se reposicionar em relação a ela, é fruto de um dos princípios que norteiam as atividades da Companhia dos Satyros, calcado no não-conformismo e resistência aos padrões arbitrariamente impostos pelo meio social. A resposta imediata às imposições sociais se faz necessária, assim, em termos artísticos.

A instrumentalização dos atores dá-se por meio de técnicas corporais, vocais e jogos teatrais, de modo que as disposições do imaginário possam estar sempre a serviço da criatividade.

Há ainda a possibilidade de ingresso no Núcleo Experimental dos Satyros, coordenado por um diretor convidado, e que tem por objetivo aprofundar as técnicas de interpretação iniciadas na oficina.

Durante o curso os alunos serão avaliados pelos professores e aqueles que se destacarem serão indicados para o Núcleo, ou até mesmo para projetos da Cia.

Oficina Livre de Interpretação.

Turmas: Sábado – Manhã – 10h30 às 13h30. Sábado – Tarde – 14h30 às 17h30. Domingo – Tarde – 14h30 às 17h30. Segunda – Noite- 19h30 às 22h30

DURAÇÃO: De março a dezembro de 2012. 1º Módulo – Mimese, 2º Módulo – Performativo e 3º Módulo – Diegético.

INSCRIÇÕES: Local: Praça Roosevelt, 222, (mezanino). De segunda a sexta, das 10h às 19h.

FORMA DE PAGAMENTO: Cheque ou dinheiro.

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS: Xerox do RG. Xerox do comprovante de residência. Foto 3X4

PERÍODO DE INSCRIÇÕES. Até a data de início da oficina.

CRITÉRIO DE SELEÇÃO: Primeiros inscritos – Vagas limitadas.

Informações: (11) 3258.6345

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*