Estreia peça inédita de Gilberto Amêndola

Redação do Aplauso Brasil 

Novo espetáculo da Encena

A Peça é Comédia?

, de Gilberto Amendola, em montagem da Cia de Teatro Encena, dirigida por Orias Elias, estreia nesta sexta-feira (30), na sala Experimental, do Teatro Augusta.

O que acontece quando o imponderável decide “derrubar” uma peça de teatro? Como seria uma noite de estréia em que tudo (mas tudo mesmo) dá errado e se transforma em um gigantesco desastre? O que acontece antes e depois de um espetáculo? Como são os ensaios? E quando o pano cai? O que acontece no camarim? 

A peça se propõe  levar a público o que move atores nessa luta árdua que é montar, na raça, uma peça de teatro nos dias de hoje. E isso desde o momento em que se escolhe um texto até a sua noite de estréia.

 “A Peça” mostra, em três movimentos, o antes, o durante e o depois de uma produção teatral.

No primeiro ato, três atores (Pablo Garcia, Tony Torres e Ricardo Cruz) reúnem-se para discutir a realização de um espetáculo. Será a primeira vez que eles irão discutir o texto e tratar da montagem. Claro que esse é um encontro disperso; os atores acabam falando de tudo (vida, trabalho, amores, frustrações) e têm grande dificuldade em se concentrar na primeira leitura. Neste ato, descobrimos que “a peça” se passa na idade média e que irá mostrar três homens totalmente diferentes, isolados do mundo, tendo em comum serem vítimas de uma mesma tragédia.

No segundo ato, o público é atirado para dentro da noite de estréia, mais especificamente para os momentos finais “da peça”, a partir do momento em que tudo começa a dar errado. Algo muito grave aconteceu, os atores estão dispersos, esquecendo falas, fazendo improvisos descabidos e até ameaçando abandonar a peça. Como corolário, problemas técnicos se acumulam e a platéia começa a abandonar o teatro. O que aconteceu para “a peça” desandar?

A resposta está no terceiro ato. É lá que o público vai descobrir que “diabos aconteceu” com o espetáculo:  uma chocante descoberta envolvendo seus  atores.

Sobre a Cia de Teatro Encena

A Companhia de Teatro ENCENA, sediada no Butantã, foi fundada em 1997. Desde sua fundação, desenvolve um trabalho que visa analisar o Homem dentro dos contextos social e político das diferentes fases da história e estudar o efeito da passagem do tempo sobre a vida das pessoas.  A ENCENA já produziu O Interrogatório, de Peter Weiss (1998); Antibióticos, de Gilberto Amendola (1998), Nossa Cidade, de Thornton Wilder (1999); DeFriquepauerPopcornShow, de Marco Moreira e Walter Lins (2000); O Grande Amor de Nossas Vidas, de Consuelo de Castro (2001); Espeto de Coração, de Gilberto Amendola (2002); O Mercador de Veneza, de William Shakespeare (2003, remontada em 2005); Sex Shop Café, de Gilberto Amendola (2004); Leonor de Mendonça, de Gonçalves Dias (2006);  Nos 80…, de Gilberto Amendola  (2008); JingoBel de Claudio Simões (2009) e Os Ossos do Barão  de Jorge Andrade (2010).

Em 2007, na sede da Cia foi criado um espaço cultural com platéia de 60 lugares. Especialmente para o espaço, foram criadas duas peças infantis: Julia Quer Ser Fada, de Walter Lins (2007) e A Liga Subaquática e O Monstro da Poluição, de Wagner Pereira (2008). Além de apresentação de espetáculos, o espaço é também usado para oficinas, destinadas à comunidade do entorno.

 

A Peça é Comédia?, de Gilberto Amendola, estréia 30 de Julho de 2010 no Teatro Augusta – Sala Experimental. Sextas às 21:30 horas, Sábados às 21 horas e Domingos às 19 horas. Direção: Orias Elias. Elenco: Walter Lins, Orias Elias e Cláudio Bovo; Cenografia e Iluminação: Beato Ten Prenafeta; Figurino e Trilha Sonora: Walter Lins. Ingressos: R$ 30,00. Temporada: até 26 de Setembro de 2010. Faixa etária: 14 anos. Duração: 55 minutos. Capacidade: 50 pessoas.

Crédito das fotos: Arnaldo Torres

TEATRO Augusta – Sala Experimental. Rua Augusta, 943 – Cerqueira César. Telefone: 3151-4141. Possui acesso para deficientes. Estacionamento. Venda de Ingressos: WWW.ingressorapido.com.br

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.