EXCLUSIVA: Caco Ciocler dirige clássico moderno de Sartre

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (michel@aplausobrasil.com)

"No Exit - Entre Quatro Paredes" estreia no SESC Santo Amaro
“No Exit – Entre Quatro Paredes” estreia no SESC Santo Amaro

SÃO PAULO – Filósofo francês renomado e principal expoente da doutrina filosófica existencialista, Jean-Paul Sartre era, também, dramaturgo. Dentre suas peças, Entre Quatro Paredes (Huis Clos), considerado um clássico da dramaturgia mundial moderna, cuja frase “o inferno são os outros” já ganhou centenas de interpretações mundo afora. Nesta quinta-feira (3) ganha o palco do Teatro do SESC Santo Amaro, sob direção de Caco Ciocler, No Exit – Entre Quatro Paredes, nova leitura do texto.noexitIMG_9764-Editar-2a

Três figuras distintas, Garcin (Daniel Infantini), Inez (Chris Couto) e Estelle (Sabrina Greve) são recepcionados pelo Criado (Ando Camargo) na entrada do inferno que nada tem a ver com a ideia medieval do reino do Diabo – com direito a chifres e garfo –, onde não há espelhos, não se dorme e não se pode refazer seu caráter. Garcin é covarde e não deixará de sê-lo, Estelle é uma pequena burguesa que matou o próprio filho que teve com o amante para preservar seu casamento e Inez é uma funcionária do correio lésbica cujo alimento é a relação sadomasoquista que passa a ter com Estelle. A convivência eterna e forçada os faz compreender que “o inferno são os  outros”.

Com cenografia feita com material reciclado, a terceira experiência como diretor, o superlativo ator Caco Ciocler conta ao Aplauso Brasil, em entrevista exclusiva sobre a direção de No Exit – Entre Quatro Paredes e, também, sobre sejs próximos trabalhos.

Aplauso Brasil- Por que o desejo de encenar Entre Quatro Paredes?

Caco Ciocler – O Teatro, nos últimos anos, tornou-se para mim o santuário onde eu posso experimentar mergulhos muito íntimos em assuntos que eu esteja pesquisando em análise. Foi assim com 45 MINUTOS, com A CONSTRUÇÃO e agora com ENTRE QUATRO PAREDES. Esse texto surgiu como referência numa sessão de analise e, coincidentemente, uma semana depois o produtor (Ricardo Grasson) me convidou para dirigi-lo. 

"No Exit - Entre Quatro Paredes" estreia no SESC Santo Amaro
“No Exit – Entre Quatro Paredes” estreia no SESC Santo Amaro

AB- O que, de mais evidente, você identifica como essencial e atemporal na peça?

Caco – A angustia insuportável de não nos vermos refletidos. O inferno são os outros não porque o outro seja diferente mas sim porque é ele que nos devolve, ou não, o reflexo que define nosso contorno. Na peça, esse não contorno é tão insuportável que os personagens acabam por recriar no inferno seus algozes terrenos.

 

AB – As máscaras que os indivíduos usam em vida social são a porta de no exit para o individuo que se quer livre?

Caco – Na minha opinião não. Sartre ridiculariza as máscaras sociais na peça. Elas não tem lugar naquele inferno. A saída contemporânea é deixar de acreditar que existe esse contorno, que somos ou temos um SELF definido. É a busca por essa essência a causa de toda a dor. Se não mais acreditarmos nisso, o reflexo nosso no outro deixa de ser uma preocupação, o outro deixa de ser uma preocupação porque passa a ser de fato outro, e não espelho de mim mesmo. Essa é a saída.

 

AB – Como o Caco ator dialoga com o Caco diretor, como é o processo desse segundo?

Caco – O Caco ator fica querendo dirigir e o Caco diretor fica louco para entrar em cena.

Esse é o meu inferno.

Meu objetivo como diretor é criar uma encenação que possibilite as condições mais favoráveis para que os atores assumam para sí a responsabilidade de seus trabalhos. Eu quero que o texto e os atores apareçam, não a encenação. E fazer uma encenação desaparecer não é tarefa fácil. Eu sempre parto do ator e cobro dele a total responsabilidade pelo sustento de cada palavra do texto. A encenação é criada para reforçar isso e cria desenhos de tensão que facilitam a leitura afetiva do espectador. Em NO EXIT, por exemplo, existe um desenho muito claro e preciso (Eu chamo de dinâmica do terceiro excluído). Mas esse desenho desaparece. Está alí mas desaparece. Pelo menos pretendo que desapareça.

 

AB – Quais seus próximos projetos como ator e diretor?

Caco – Em Dezembro eu volto à cena com meu grande amigo Gero Camilo em ALDEOTAS. Viajo com meu monólogo 45 MINUTOS para Belo Horizonte e para Manaus e também estreio na novela ALÉM DO HORIZONTE, de Marcos Bernstein e filmo dois longas metragens.

Estou dirigindo um documentário sobre Aracy Guimarães Rosa e com um projeto de direção no teatro ainda secreto para o ano que vem.

 

NO EXIT – ENTRE QUATRO PAREDES – Estreia dia 3 de outubro, quinta-feira, às 21 horas, no Teatro do SESC Santo Amaro. Texto – Jean Paul Sartre. Direção – Caco Ciocler. Tradução – Ricardo Grasson. Adaptação – Maria Eugênia Mourão. Elenco – Chris Couto, Sabrina Greve, Daniel Infantini e Ando Camargo. Assistente de Direção – Ricardo Grasson. Concepção de Cenário – Maria Betânia Oliveira, Ricardo Grasson e Caco Ciocler. Designer de Cenário – Daniela Bueno e Marcello Cersosimo – 100’t. Figurinos e Adereços – Rosângela Ribeiro. Iluminação – Wagner Antonio. Fotografias e Vídeo – Gabriela Ramos. Designer Gráfico – Fernando Gimenes. Técnico de Luz e Som – Cícero de Andrade. Produção – Maria Betania Oliveira e Ricardo Grasson. Assistente de Produção – Ruy Dealis. Duração – 80 minutos. Espetáculo recomendável para maiores de 14 anos. Temporada – Quintas e sextas-feiras às 21 horas, sábados às 20 horas e domingos às 19 horas. Ingressos – R$ 20,00; R$ 10,00 (usuário matriculado, estudante com carteirinha e aposentado) e R$ 4,00 (trabalhador no comércio e serviços matriculado e dependentes). Até 27 de outubro.

 

SESC SANTO AMARO – TEATRO – Rua Amador Bueno, 505 – Santo Amaro. Telefone – (11) 5541-4000. Horário de funcionamento da Bilheteria – De terça a sexta-feira das 10 às 21h30, sábado, domingo e feriado das 10 às 18h30 (ingressos à venda em todas as unidades do SESC).  Aceitam-se cheque, cartões de crédito (Visa, Mastercard, Diners Club International) e débito (Visa Electron, Mastercard Electronic, Maestro e Redeshop). Estacionamento automatizado com 200 vagas. Para informações sobre outras programações ligue 0800-118220 ou acesse o portal www.sescsp.org.br.

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*