Fabio Assunção estréia na direção teatral

Nanda Rovere, especial para o Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

SÃO PAULO – O Expresso do Pôr do Sol é baseado no romance The Sunset Limited,escrito pelo norte-americano Cormac McCarthy.  Maria Adelaide Amaral assina a adaptação. Fabio Assunção estreia na direção. No elenco estão os atores Cacá Amaral e Guilherme Sant’Anna. A estreia é domingo (2) no Teatro Tucarena. A direção de arte e o figurino são de Fábio Namatame. A iluminação é assinada por Caetano Vilela e a trilha sonora é de Eduardo Queiroz.

The Sunset Limited foi publicada em 2006 e, no mesmo ano,encenada pela companhia Steppenwolf Theatre, companhia de teatro do ator e diretor Gary Sinise.  A obra ganhou versão para a televisão americana, com direção e produção executiva de Tommy Lee Jones, que interpreta White no filme.

A peça apresenta o encontro entre dois seres humanos, com diferentes experiências de vida: White e Black, respectivamente, um homem branco e um homem negro.Black (Guilherme Sant’Anna), um ex-presidiário evangélico e apaixonado pela vida, impede que o professor ateu White (Cacá Amaral) cometa suicídio na linha do trem.

O professor dá valor à cultura e está descrente com a situação do mundo atual.  A vontade de morrer não é devido a uma depressão, ma sporque as coisas que ele acreditava não existem mais.

Após esse incidente, os personagens travam um intenso debate sobre o valor de suas existências, sobre religião e sobre a morte. O cenário do diálogo é o apartamento de Black.

O trabalho de produção do espetáculo começou há um ano. Foi o tradutor Nelson Amorin quem apresentou o texto ao Fabio Assunção.

¨O que mais me chamou a atenção foi a discussão entre a vida e a morte. O embate entre o que vive e o que morre e que está relacionado com a nossa liberdade de escolha¨, conta o diretor.

O Expresso do Pôr do Sol apresenta coisas guardadas numa zona obscura da nossa mente.

¨As regiões de luz e de sombra existem em cada um de nós¨, complementa.

A tradução, assinada por Nelson Amorim, é fiel à obra original e sugere uma encenação detalhista e lenta. Assunção convidou Mara Adelaide Amaral para dar mais agilidade à narrativa e deixar o jogo teatral mais instigante.

“O processo de criação foi complexo e realizado em conjunto, sobretudo a decisão de fazer uma montagem não realista. O desafio da produção brasileira foi diminuir o tempo pela metade, já que a montagem original é realista e dura mais de duas horas”, diz.

Com pitadas de humor crítico e ácido, a direção valoriza a humanidade dos personagens. A montagem sai do plano realistae foca a atenção do espectador nas questões filosóficas, religiosas e morais que a peça apresenta. Para tanto, utiliza o contraste entre a luz e a sombra.

Fabio Assunção estreia como diretor

Para estruturar a arquitetura cênica que abriga os atores, sem um cenário construído e com foco na iluminação e na trilha, o diretor contou com o apoio de Namatame, responsável pela direção de arte e figurino, e Eduardo Queiroz, que assina a trilha sonora.

Os atores Cacá Amaral e Guilherme Sant`Anna são artistas comlarga experiência no teatro e trabalham pela primeira vez com Assunção.

¨Busquei atores com vigor e que tivessem na fase intermediária na vida para que a opção pela morte gerasse reflexões sobre o porquê de sua escolha¨, comenta o diretor sobre a escolha do elenco.

Fabio Assunção tece elogios aos atores: ¨Eles trazem experiências da vida pessoal para os personagens e isso foi um ganho para gente¨, diz.

A satisfação é reciproca.  Na opinião de Cacá Amaral, o diretor conseguiu tornar a releitura do texto original mais interessante. Além disso, nos ensaios a relação foi de amizade:

¨Ele sabe ouvir a opinião dos outros.Éum diretor que respeita a opinião dos atores e de toda a equipe¨, afirma o ator.

Fabio Assunção, que assina a sua primeira direção teatral, decidiu se dedicar àessa função porque a sua produtora, a FASS Produções, demanda projetos teatrais e, para tanto, há a necessidade da contratação de profissionais para as suas execuções. O ator sempre teve vontade de dirigir e acredita que agora é o momento certo para isso, visto que está com disponibilidade para fazer TV e teatro ao mesmo tempo.

Afirma também que está feliz com a experiência e com o resultado: ¨Tenho muita visão do trabalho do diretor, mesmo quando observo de dentro da cena. No teatro participo de todo o processo, o que não acontece no cinema, por exemplo, diz. ¨ É um processo artesanal, que vamos descobrindo o jogo de cada cena¨, afirma. ¨O meu caminho é o teatro¨, finaliza.

A montagem, que conta com o patrocínio do Instituto Nextel, contribuiu para a formação de jovens na área das artes cênicas. O patrocinador promoveu a realização de workshops com os alunos da unidade de São Paulo, no mês de junho.

Os alunos conheceram profissões relacionadas ao teatro e sete jovens foram escolhidos para trabalhar na montagem da peça (áreas de produção, iluminação e sonorização). Também haverá uma sessão fechada aos jovens e R$ 1,00 de cada ingresso vendido será revertido para a expansão do Instituto.

Ficha Técnica:
Texto: Cormack McCarthy
Tradução: Nelson Amorim
Dramaturgia: Maria Adelaide Amaral
Direção: Fabio Assunção
Elenco: Cacá Amaral e Guilherme Sant’Anna
Iluminação: Caetano Vilela
Direção de Arte e figurino: Fabio Namatame
Trilha Sonora: Eduardo Queiroz
Produção Executiva: Juliana Mucciolo
Direção de Produção:Brancalyone Produções (Edinho Rodrigues e Elza Costa)
Realização: FASS Produções
Idealização: FASS Produções (Fabio Assunção)

Serviço:

O Expresso do Pôr do Sol

Local: Teatro Tucarena
Endereço: Rua Monte Alegre, 1024 – Perdizes (Entrada pela Rua Bartira, esquina com a Rua Monte Alegre, 1024)
Horários: Sextas, às 21h – Sábados, às 21h – Domingos, às 19h
Temporada: De 31 de agosto a 30 de novembro de 2012
Preços: Sextas: R$ 40,00 – Sábados: R$ 50,00 – Domingos: R$ 50,00.
Lotação: 300 lugares
Classificação Etária: 12 anos
Horário de funcionamento da bilheteria: Terça a Domingo das 14h às 20h
Formas de Pagamento: Amex, Aura, Diners, Dinheiro, Hipercard, Mastercard, Redeshop, Visa e Visa Electron. Telefone da bilheteria (11): 3670-8455
Vendas pela Internet: www.ingressorapido.com.br
Estacionamento: R$ 15,00. Estacionamento conveniado Riti (Hotel Transamérica)
Rua Monte Alegre, 835. (Valor válido somente mediante a apresentação de ingressos das peças em cartaz no TUCA)

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.