Fatia de Guerra aposta em linguagem inovadora

Redação do Aplauso Brasil (redacao@aplausobrasil.com.br)

Club Noir apresenta "Fatia de Guerra"
Club Noir apresenta “Fatia de Guerra”

SÃO PAULO – Fatia de Guerra faz parteMostra Brasileira de Dramaturgia Contemporânea e estreia terça (15), às 21h00, no Club Noir. O texto é do curitibano Andrew Knoll. No elenco, Juliana Galdino, Renato Forner e Paula Spinelli. Direção de Roberto Alvim.

O objetivo da Mostra Brasileira de Dramaturgiaé encenar peças inéditas da nova geração de autores brasileiros. Os textos foram selecionados pelo diretor e dramaturgo Roberto Alvim

O projeto teve início no ano passado e segue com Fatia de Guerra, para em seguida apresentar Agro Negócio de Marco Catalão (de 12 de fevereiro a 7 de março), e Grimorium de Alexandre França (de 12 de março a 4 de abril).

Fatia de Guerra expõe os dramas de uma família, que vive na região Sul do país, durante uma Guerra.

Através do cotidiano de um pai, uma filha (ainda criança) e uma cadela doente, a peça discute a violência, em todas as suas formas.

A direção de Roberto Alvim apresenta características comuns aos demais trabalhos realizados pela companhia, como movimentos mínimos, desacelerados e guiados por pouca iluminação.

A atriz Juliana Galdino
A atriz Juliana Galdino

Segundo Alvim, Fatia de Guerra desvela, por meio de uma manipulação pouco usual da linguagem e da ação dramática, uma polifonia de novos modos de subjetivação até então nunca vista na dramaturgia brasileira. “Os recursos formais de que o autor se utiliza diluem a diferença entre sujeito e objeto, mundo interno e mundo externo, vida e morte. A obra não define o que é passado e o que é presente”, diz o diretor.

¨Instaura um insuspeitado espaço mental, no qual tudo pode ser interpretado como reminiscência; ou sonho; ou projeção de memórias; ou mesmo como a consagração de um eterno instante. A escrita de Andrew Knoll é repleta de imagens extraordinárias, que constroem mundos inaugurais na percepção do público”, finaliza.

Fichas técnicas e sinopses:

FATIA DE GUERRA – de 15 de janeiro a 7 de fevereiro de 2013

Texto: Andrew Knoll. Direção: Roberto Alvim. Elenco: Juliana Galdino, Renato Forner e Paula Spinelli.

Sinopse: O mundo visto pelos olhos de um cão doente, prestes a ser sacrificado por seu dono. Em meio a um cenário de guerra, diversas lutas íntimas são travadas, em uma peça que se instaura em deslocamentos entre pontos-de-vista insuspeitados: a visão do cão, a visão da paisagem, a visão de uma arma.

AGRO NEGÓCIO – de 12 de fevereiro a 7 de março

Texto: Marco Catalão. Direção: Roberto Alvim. Elenco: Paula Spinelli, Renato Forner, Ricardo Grasson, Frann Ferrareto, Marcelo Rorato e José Geraldo Jr.

Sinopse: Um assassinato é cometido em uma plantação de cana-de-açúcar: o proprietário é morto. Mas sua cabeça, decepada, continua a falar. A peça entrecruza, poeticamente, uma série de discursos – de políticos, repórteres, policiais, bóias-frias e latifundiários – acerca do agro-negócio no Brasil.

GRIMORIUM – de 12 de março a 4 de abril

Texto: Alexandre França. Direção: Roberto Alvim. Elenco: Juliana Galdino, Fernando Gimenes, Frann Ferrareto, Gabriela Ramos, Jackeline Stefanski, Bruno Ribeiro e José Geraldo Jr.

Sinopse: Qual é o limite que separa aquele que cria daquilo que é criado? A peça remete ao gêneses bíblico: um homem e uma mulher inventam, como deuses, uma nova criatura, que vai habitar e povoar um novo mundo. Mas a criatura, uma vez invocada, passa a habitar os corpos daqueles que a criaram, transformando-os completamente.

 Serviço:

Mostra Brasileira de Dramaturgia

CLUB NOIR – Rua Augusta, 331 – Consolação – Telefone– 3255-8448 / 3257-8129. Ingresso:gratuito (senhas distribuídas 1 hora antes do início do espetáculo). Duração: 40 minutos. Temporada: terças, quartas e quintas às 21h.Produção Executiva: Danielle Cabral. Assessoria de Imprensa: Arteplural. Realização: CLUB NOIR. Capacidade: 42 lugares. Classificação etária: 16 anos.

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*