Festival Internacional de Teatro de São José do Rio Preto completa 50 anos apontando para o futuro

SÃO JOSÉ RIO PRETO – O Festival Internacional de Teatro de São José do Rio Preto (FIT Rio Preto) completa 50 anos de história. Criado em 1969 pela Prefeitura Municipal de São José do Rio Preto como Festival Nacional de Teatro Amador, em 2001 ampliou suas fronteiras e assumiu dimensão internacional, a partir de uma parceria com o Sesc São Paulo. Com espetáculos nacionais e internacionais de vários gêneros e formatos, ações formativas e um ponto de encontro com intervenções e performances que unem diversas linguagens, o festival acontece de 4 a 13 de julho e apresenta 34 obras que vão ocupar 20 locais da cidade, totalizando mais de 60 apresentações.

Realizado pela Prefeitura Municipal de São José do Rio Preto e pelo Sesc São Paulo, o FIT Rio Preto anualmente leva aos palcos, às ruas e espaços alternativos, o diálogo e as possibilidades de leitura do mundo contemporâneo. O evento é um importante espaço de discussão e reflexão sobre as artes cênicas e suas conexões.

A programação tem início no dia 4 de julho, quinta-feira, às 19h30, no Anfiteatro Nelson Castro (Represa Municipal), com o espetáculo Elza, que celebra a trajetória da cantora Elza Soares. Vencedor do Prêmio APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte) de melhor dramaturgia e do Prêmio Shell de melhor música, a apresentação mostra episódios que marcaram a vida e a obra da cantora, uma artista à frente do seu tempo, sinônimo de resistência e reinvenção. Em cena, sete atrizes se dividem ao vivê-la em suas mais diversas fases entoando músicas recentes como A Mulher do Fim do Mundo e Maria da Vila Matilde, além de sucessos das mais de seis décadas de carreira da cantora, como Lama, Malandro, Lata D’Água e Cadeira Vazia.

Segundo o Prefeito de São José do Rio Preto, Edinho Araújo: “para a Prefeitura de Rio Preto, é motivo de orgulho comemorar os 50 anos do nosso Festival de Teatro. Temos a responsabilidade pública de manter vivo um dos principais projetos culturais do Brasil, que é o FIT Rio Preto. Com a parceria do Sesc São Paulo, unimos forças para auxiliar na promoção do bem comum e ter a Cultura como um dos pilares da constituição da nossa identidade. Que o teatro manifeste-se por toda a cidade por meio do FIT e crie potentes encontros, com intercâmbio de ideias, afetividade e valor humano.”

E Danilo Santos de Miranda, Diretor Regional do Sesc São Paulo, completa: “ao estimular eventos culturais de grandes dimensões e relevância internacional, o Sesc, em parceria com a municipalidade de São José do Rio Preto, possibilita a fruição e a formação do grande público na linguagem teatral, território do simbólico, além de fomentar importantes reflexões sobre contextos universais, ao confrontar montagens nacionais e internacionais, fortalecendo conexões e compreensões oriundas de cada contexto sociocultural e ampliando as possibilidades de leitura do mundo contemporâneo.”

A curadoria desta edição foi realizada por Alexandre Dal Farra, dramaturgo, diretor e escritor, indicado aos principais prêmios brasileiros do teatro e ganhador do prêmio Shell de melhor autor; Adriana Macedo, jornalista com pós-graduação em Gestão Cultural e assistente da Gerência de Ação Cultural do Sesc São Paulo; e Ruy Filho, idealizador e editor da revista Antro Positivo, publicação sobre artes cênicas e pensamento contemporâneo, integrante da International Association of Theatre Critics e curador de teatro, dança e performance do espaço cultural Centro da Terra, em São Paulo.

Para eles, por mais que se tente silenciar a arte, ela sempre encontra os caminhos de se recriar. O FIT RIO PRETO carrega uma história imensa, mas também, uma certa tradição, justamente, de não prezar demais pela tradição. Assim, o trio de curadores trabalhou no sentido de dar continuidade a este espaço que sempre foi do movimento, sempre olhou para frente e sempre apontou para o que há de mais criativo e diverso no teatro brasileiro e internacional. A curadoria propõe uma comemoração que não se construa tanto sobre a rememoração do que o FIT já foi, mas principalmente sobre a criação do que ele virá a ser; menos sobre a lembrança dos teatros que por aqui passaram, e mais pela imaginação dos teatros que poderão surgir.

Edição plural

A edição 2019 do FIT RIO PRETO caracteriza-se por propor uma programação de grande valor artístico, estético e de reflexão crítica. A programação é aberta às mais diferentes tendências contemporâneas das artes cênicas. Nesse sentido, antes do que buscar obras que tratassem de determinados assuntos ou questões, buscou-se obras que fossem urgentes e contundentes na sua especificidade. Buraquinhos ou O Vento é Inimigo do Picumã (Coletivo Carcaça de Poéticas Negras), Domínio Público (Elisabete Finger, Maikon K, Renata Carvalho e Wagner Schwartz), Epidemia Prata (Cia Mungunzá de Teatro) e Tom na Fazenda são exemplos de trabalhos presentes nesta edição e que perpassam temáticas latentes como violência, censura, racismo, homofobia e repressão.

Para além da produção do eixo Rio-São Paulo, também integram a programação do Festival companhias de Minas Gerais, Amapá, Bahia, Piauí e Santa Catarina, apresentando resultados de diferentes pesquisas e realidades de produção. França, Gana, Irã, México e Bolívia compõem o programa internacional com obras contemporâneas que dialogam com outras áreas artísticas.

Com três espetáculos na programação – agbanWu – [Velório] –  [Lying in State], dZikudZikui-aBiku-aBiikus – [Nascido Depois do Nascido-Morto] –  [Born to death-born to die] e Strikethrough – [Tachado] – a artista Va-Bene Fiatsi, de Gana (África), propõe uma reflexão sobre nossas contribuições, ações e inações em relação à violência humana, discriminação, ódio, preconceito, nossas vulnerabilidades e mortalidade. Já Hearing – [Escuta], do Irã, traz à cena dois tempos diferentes, o da inocência infantil e o da reflexão sobre o olhar passado.

Os bolivianos do Kinteatr apresentam Romeo y Julieta de Aramburo, uma versão nada sonhadora da versão original de Shakespeare, mas que denuncia o patriarcado ainda reinante na Bolívia. Por favor cierra la puerta, gracias [Por Favor Feche a Porta, Obrigado], do grupo mexicano Vaca 35 Teatro apresenta um teatro-documentário propondo um passeio por Juarez, cidade mexicana que faz fronteira com os Estados Unidos, suas histórias e seus fantasmas.

Espetáculos locais

Criada em 2017, a categoria Cena Rio Preto se mantém no FIT como fomentadora da produção teatral local. Companhias, artistas e coletivos residentes na cidade foram selecionados em dois módulos de participação: Módulo A, que contempla apresentações de espetáculos prontos, e Módulo B, direcionado a obras abertas a provocações que recebem orientações de profissionais convidados em formato de residência artística. Nesta edição, seis trabalhos foram selecionados, três em cada categoria.

Como nas edições anteriores, o festival leva sua programação a espaços não-convencionais. Além de atrações no Teatro Municipal Humberto Sinibaldi Neto, Teatro Municipal Paulo Moura, Teatro Waldemar de Oliveira Verdi – Sesi, e Teatro e Ginásio do Sesc Rio Preto, também serão ocupados locais públicos de grande circulação, como a Represa Municipal, o Parque Ecológico ‘Danilo Santos de Miranda’, o Zoológico Municipal, o Terminal Rodoviário, o Mercado Municipal e algumas das principais praças da cidade.

Propulsão de ideias

Na busca pelo aperfeiçoamento do fazer e do pensar teatral, as ações formativas também são pontos de destaque. A curadoria conduz as atividades, ressignificando os papéis do público, das criações e de seus criadores. Partindo da noção de encruzilhada como lugar múltiplo, diverso, oposto, único, plural, de construção, de improvisação, proposta por Leda Martins, poeta, ensaísta, acadêmica e dramaturga brasileira, a equipe curatorial desenvolveu para o FIT RIO PRETO ações práticas, reflexivas, provocadoras e pedagógicas que pretendem aproximar os interessados e estabelecer diálogos.

A dupla de curadores formada por Eliana Monteiro (encenadora, orientadora artístico-pedagógica de escolas e grupos de teatro e integrante do grupo Teatro da Vertigem) e José Fernando Peixoto de Azevedo (diretor, dramaturgo, pesquisador e professor da Escola de Arte Dramática (EAD) e do Departamento de Cinema, Rádio e Televisão, ambos da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo – USP), propõe novidades como o deslocamento de algumas mesas de debates para lugares de intensa circulação da cidade, como a Represa Municipal e a Estação Rodoviária e entrevistas diárias transmitidas pela Rádio Educativa FM 106,7, com os agentes da história do Festival, desde sua formação, suas transformações e seu trabalho de continuidade.

Shows, performances e intervenções artísticas de várias linguagens poderão ser vistos no Graneleiro, Ponto de Encontro do FIT RIO PRETO. Localizado dentro do complexo Swift, o espaço é um dos patrimônios históricos da cidade; com arquitetura inglesa, serviu como silo nas décadas de 40 e 50. O Graneleiro estará aberto durante as noites do Festival para proporcionar a troca de experiências entre artistas e público, em clima de celebração.

Serviço:

FESTIVAL INTERNACIONAL DE TEATRO DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO – FIT RIO PRETO

De 4 a 13 de julho – São José do Rio Preto – SP/ Brasil.

Realização: Prefeitura Municipal de São José do Rio Preto e Sesc São Paulo.

Programação completa no site fitriopreto.com.br.

Ingressos à venda a partir de 19 de junho, às 14 horas no site do FIT RIO PRETO e a partir das 19 horas em todas as unidades do Sesc de São Paulo.

Locais das apresentações:

Complexo Swift de Educação e Cultura

Graneleiro | Auditório | Mezanino | Estacionamento
Av. Duque de Caxias, 3900 – Jardim dos Seixas. Tel.: (17) 3211-4000.

Sesc Rio Preto | Teatro | Ginásio
Av. Francisco das Chagas Oliveira, 1333 – Chácara Municipal. Tel.: (17) 3216-9300.

Teatro Municipal Humberto Sinibaldi Neto
Av. Brigadeiro Faria Lima, 5381 – Vila São José. Tel.: (17) 3226-1501 | (17) 3226-2626.

Teatro Municipal Paulo Moura
Av. Duque de Caxias, 3900 – Jardim dos Seixas.  Tel.: (17) 3224-0024.

Teatro Waldemar de Oliveira Verdi – Sesi

Av. Duque de Caxias, 4656 – Jardim dos Seixas. Tel.: (17) 3224-6611

Casa

Avenida das Hortênsias, 263 – Jardim dos Seixas

Ruas e espaços públicos:

Anfiteatro Nelson Castro – Represa Municipal 

Avenida Duque de Caxias, s/nº – Vila Ercília – Em frente ao Complexo Swift de Educação e Cultura. Tel.: (17) 3202-2310.

Parque Ecológico Danilo Santos de Miranda 

Avenida Benedito Rodrigues Lisboa, 1300 – São Francisco. Tel.: (17) 3216-2868.

Represa Municipal – Lago 2 – Em frente AME

Av. Lino José de Seixas, 1455 – Jardim dos Seixas

Praça Rui Barbosa 

Localizada em frente à entrada principal da Sé Catedral de São José, entre as ruas Siqueira Campos e Jorge Tibiriçá. Faz parte do Calçadão.

Escola Municipal Darcy Ribeiro

  1. Geraldo Barbosa de Oliveira, 1 – Jardim Santo Antônio. Tel.: (17) 3236-7207

Praça dos Esportes e da Cultura de Engenheiro Schmitt

Estrada Municipal SJR-365 – Eng. Schmitt. Tel.: (17) 3808-1101

Praça da Igreja São Sebastião – Distrito de Talhado

Rua Liberdade, 137 – Distrito de Talhado. Tel.: (17) 3829-6515

Zoológico Municipal (Bosque)

Rua José Deguer, s/nº – Jardim Nazareth. Tel.: (17) 3225-3930

Praça Cacilda Becker

Bairro: Chácara Municipal – ao lado do Teatro Municipal Humberto Sinibaldi Neto

Terminal Rodoviário Urbano

Rua Pedro Amaral. Centro

Associação de Pessoas com Deficiência – ACADEF

Rua Cosmorama – 163 –  Vila Ideal Tel.: (17) 3222-5353

Mercado Municipal

Rua Antônio de Godoy, 3048 – Centro. Tel.: (17) 3231-6119.

Kyra Piscitelli

Kyra Piscitelli é jornalista formada pela Universidade Metodista de São Paulo e fez pós-graduação em Globalização e Cultura pela Faculdade de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP). Escreve sobre teatro e arte desde de 2009. Integra os Juris da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) e do Prêmio Aplauso Brasil. Ávida por conhecimento, se não está em viagem ou estudo, só há um lugar para achá-la: o teatro!

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*