Filha de Leilah Assumpção estreia segundo texto teatral

Redação do Aplauso Brasil/ iG (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

"Véspera" - foto de Bob Sousa

SÃO PAULO – Segundo o ditado popular, filho de peixe peixinho é, Camila Appel faz valer o dito, sua mãe, Leilah Assumpção, é dos grandes nome da dramaturgia brasileira, agora Appel prepara-se para a estreia de Véspera, seu segundo texto (o primeiro foi A Pantera), tragicomédia dirigida por Hudson Sena, que chega nesta sexta-feira (18), no Teatro Itália.

Véspera aborda como a tecnologia pode afetar as relações familiares a partir da história de pessoas que têm a sua casa demolida às vésperas do Natal.

"Véspera" - foto de Bob Sousa

A personagem Filha (Silvia Lourenço) assiste a demolição da casa onde cresceu e logo em seguida o público acompanha a preparação da ceia natalina pela protagonista Eva (Cris Nicolotti), nuna casa sem luz. O rumo da família toma um rumo inesperado com a chegada do vizinho Daltôn (Rafael Maia).

A montagem deseja provocar reflexões sobre assuntos relacionados à sociedade contemporânea, ao seu cotidiano e aos relacionamentos humanos.

Segundo a autora, os diálogos tendem para o teatro do absurdo, mas os temas são realistas e explícitos.

A ideia para a trama veio do interesse da dramaturga em abordar o dia que antecede os rituais numa sociedade e entender os ciclos familiares, a formação e a dissolução de uma família. O objetivo é expor, através do texto dramatúrgico, as camadas existentes nas relações humanas: “A função do dramaturgo é tentar expor essas camadas”, diz Camila.

Um dos principais destaques de Véspera, segundo o diretor, é a multiplicidade de leituras. O ritmo, as nuances do texto, a luz e a cenografia contribuem para o entendimento do conteúdo apresentado.

A cenografia de Márcio Vinicius é uma parede formada por um mosaico de molduras de madeira, com uma porta no centro. e um painel de luz desenhado por Paulo César Medeiros, já que a casa está sem luz e o iluminador buscou teatralizar a luz natural.

Equipe técnica:

Texto: Camila Appel.

Direção: Hudson Senna.

Atores: Cris Nicolotti, Tadeu Di Pyetro, Juçara Morais, Silvia Lourenço e Rafael Maia.

Cenário e Figurino: Márcio Vinicius.

Iluminação: Paulo César Medeiros.

Trilha sonora: Fábio Sá.

Produção/Administração: Cristina Sato/ Paulo Ferrer.

Serviço:

VésperaEstreia dia 18 de maio, sexta-feira, às 21 horas, no Teatro Itália. Duração: 80 minutos. Classificação: 14 anos. Ingressos: R$ 30 (Sexta) e R$ 40,00 (Sábado e Domingo).Importante – 1ª sexta de cada mês ingresso grátis. Teatro Itália – Avenida Ipiranga, 344. Centro. Telefone – 3120 6945. Aceita Cartão de Crédito e débito. Capacidade – 278 lugares. Temporada: Sextas-feiras e sábados às 21hs e domingos às 19 horas. Até 8 de julho.

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*