FILO 2010: Kabul impacto com excesso de virtuosismo

Michel Fernandes, do Aplauso  – à convite do FILO – Festival Internacional de Londrina

michel@aplausobrasil.com)

"Kabul", espetáculo da Amok Teatro

Por um lado temos um impacto, sem qualquer concessão, com os horrores cotidianos sofridos pelos afegãos sob a égide do regime Talibã, derrubado em outubro de 2001 pela Otan, em Kabul (RJ/ 2009) apresentado pela companhia carioca Amok Teatro; por outro, o espetáculo se torna cansativo e previsível com o acento excessivo no virtuosismo técnico dos intérpretes.

A vida de dois casais afegãos, vivendo sob o rigoroso e miserável regime imposto pelos Talibãs, em 1997, serve de pano de fundo para que se deflagre a estupidez do fanatismo, das incoerências da guerra, da demarcação entre os sexos masculino e feminino, entre outros.

Não colocamos em xeque a indiscutível qualidade dos atores, todos muito bem formados e informados, nas bases do teatro que se utiliza da expressividade corporal – sobretudo na Mímica Corporal Dramática de Ettiene Decroux -, e vocal, mas há em Kabul notável excesso ao utilizar os instrumentos interpretativos, talvez por uma mão menos enérgica dos diretores Ana Teixeira e Stephane Brodt (também como protagonista de Kabul), condescendente demais para frear interpretações excessivas, que não alcançam um efetivo equilíbrio entre técnica e organicidade, o que faz de Kabul um cansativo e previsível percurso linear em que o “modo de fazer” parece mais relevante d’”o quê se faz”.

Marcus Pina

A trilha, com instrumentos do oriente médio, é um espetáculo à parte.

Companhia:

Amok Teatro

Local de origem:

Rio de Janeiro (RJ)

Diretor:

Ana Teixeira e Stephane Brodt

Duração:

70 minutos

Ficha Técnica:

Direção, texto e concepção: Ana Teixeira e Stephane Brodt
Elenco: Fabiana de Mello e Souza, Stephane Brodt, Kely Brito e Marcus Pina
Música: Beto Lemos em alternância com Marcelo Muller (tocando: santur, tombak, saz kumbuz, daf, kemantché)
Iluminação: Renato Machado
Figurino: Stephane Brodt
Cenário: Ana Teixeira
Operador de Luz: Rodrigo Maciel
Fotos: Andrea Teixera
Direção de Produção: Sérgio Saboya / Silvio Batistela
Produção: Galharufa Produções Culturais

Contato:

http://amokteatro.com.br

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*