Finalmente um musical caipira

Maria Lúcia Candeias, especial para o Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

"Um Dia Ouvi a Lua", de Luís Alberto de Abreu

São Paulo agora virou o rei do musical internacional no país, mas não é que surge um musical caipira, com confissões de personagens em português paulista – o caipira – que são apresentadas em forma de quadrilhas e cantos de São João? O espetáculo chama-se Um Dia Ouvi a Lua e está em cartaz no Teatro Coletivo (ex-Fábrica), na rua da Consolação 1623, sextas e sábados às 21h e domingos às 20h.

O texto de Luiz Alberto Abreu privilegia a ponto de vista das mulheres e a ação se passa numa cidade pequena. Mas a brilhante direção de Eduardo Moreira (Grupo Galpão), com co-direção de Cláudio Mendel, é que confere leveza às histórias contadas com danças juninas e cantos.

O elenco dá bem conta do recado, com destaque para Andréia Barros, Vander Palma e Walace Puosso. Além deles, Adriana Barja, Ana Cristina Freitas e Izildinha Costa compõem o grupo com competência, nas falas cantos e dancinhas.

Leopoldo Pacheco se encarrega do visual (cenário; figurinos, incluindo estampas, e maquiagem) com a competência que sempre o caracterizou, mas desta vez com a assistência de Ana Maria Bonfim Pitiu.

O espetáculo marca os 20 anos da Cia. Teatro da Cidade cuja sede é São José dos Campos, encabeçada por Mendel já citado e que também assina a iluminação adequada.

Quem assina a direção musical é Beto Quadros, com assistência de André Braga.

Quem passou ou passa parte da vida no interior paulista certamente vai gostar.

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

1 comentário
  1. quero parabenizar seu trabalho ,,para fazer teatro nao prescisa apenas decorar falas..masw sim usar a alma para sim realiza-lo .parabens..

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*