Frases de operários responsáveis pela construção do prédio do Congresso Nacional é tema de peça

SÃO PAULO – A partir da próxima quinta-feira (30), 21h30, a companhia brasiliense Teatro do Concreto apresenta Festa de Aniversário que tem como base as frases, repletas de otimismo e esperança num futuro regido por comprometidas instituições democráticas, escritas pelos operários que, em 1959, responderam pela edificação do Congresso Nacional.

O desejo de se criar um espetáculo com tal ponto de partida surgiu em 2011 quando, para detectar as causas de um vazamento, algumas paredes do salão verde do Congresso Nacional foram derrubadas; as frases encontradas dentro dessas paredes, lidas pelos integrantes do grupo como uma de tantas narrativas apenas reveladas após um processo de destruição são proposições do espetáculo.

“Notamos que no percurso da humanidade, nas artes e nas trajetórias pessoais, existem narrativas soterradas que precisam vir à tona e, normalmente, esse processo acontece por meio da destruição”, diz Francis Wilker, diretor da montagem.

João Turchi, artista goiano que reside em São Paulo, apesar de já ter trabalhado com Francis Wilker, escreve pela primeira para o Teatro de Concreto. Na construção dramatúrgica, Turchi decidiu dar luz à questão da história como algo que sempre foi manipulado pelo homem.

“Esses textos encontrados em Brasília apontavam uma possibilidade de futuro pensada por esses trabalhadores – podemos associar essas imagens às inscrições rupestres de uma caverna, por exemplo. O que esses registros têm a nos dizer nos dias de hoje? Como contar isso a outro? Quais são as possíveis narrativas que existem aí?”, questiona.

Festa de Inauguração começa nas imediações do Sesc Pompeia e, dessa forma, pretende criar as metáforas a partir de um olhar arqueológico, onde o fim representa a continuidade de um ciclo que irá gerar novas leituras sobre o que foi destruído.

FICHA TÉCNICA

Elenco: Gleide Firmino, Micheli Santini, Adilson Diaz, Diego Borges

Direção: Francis Wilker

Dramaturgia e codireção: João Turchi

Assistente de direção: Diego Borges

Light design: Guilherme Bonfanti

Assistente de Iluminação: Higor Filipe

Estagiários de Iluminação: Diogo Sikins e Emanuela Maia

Cenografia e Figurinos: André Cortez

Assistente de Cenografia e figurinos: Marina Fontes

Direção musical: Diogo Vanelli

Projeções e registro audiovisual: Thiago Sabino e Fábio Rosemberg

Colaborações artísticas: Nei Cirqueira, Kenia Dias, Edson Beserra, José Regino e Giselle Rodrigues

Produção Executiva: Tatiana Carvalhedo (Carvalhedo Produções)

Produção Nacional: Júnior Cecon

Coordenação Administrativa Teatro do Concreto: Ivone Oliveira

Debates temáticos que alimentaram o processo criativo: Edson Farias (sociólogo), George Alex da Guia (arquiteto e urbanista), Íris Helena (artista visual), João Estevam de Argos (arqueólogo) e Thabata Lorena (cantora, compositora e MC).

Agradecimentos: Daniele Sampaio, Cynthia Margareth, Felipe Sabatini, Glauber Coradesqui, Gustavo Colombini, Guilherme Giufrida, João Gabriel Dantas, Laysa Elias, Jéssica Varrichio, Carol Bianchi, Viviane Garbelini, Cristina Carvalhedo, UNIPAZ, Samuel Araújo, Cristina Nogueira, Elenice Barbosa, João Generoso, SESC Estação 504 Sul (DF); Rodrigo Quintiliano (Restaurante C’est La Vie, DF); Casa dos Quatro; IESB; Vania Praia (Praia Salão de Boniteza, DF); Teatro da Vertigem.

 

SERVIÇO

Festa de Inauguração

De 30 de maio a 23 de junho de 2019

Quintas, sextas e sábados, às 21h30, e domingos e feriado (20/06), às 18h30

Local: Espaço Cênico do SESC Pompeia (R. Clélia, 93 – Água Branca, São Paulo).

Ingressos: R$ 20 (inteira), R$ 10 (meia) e R$ 6 (credencial plena).

Duração: 80 minutos. Classificação: 18 anos.

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*