GENTE: “ALEGRIA ALEGRIA” TRAZ LAILA GARIN EM 10 ÚNICAS APRESENTAÇÕES

SÃO PAULO – A talentosa atriz Laila Garin fará 10 apresentações no musical Alegria Alegria, substituindo Zélia Duncan que está no musical desde a estreia em maio, Alegria Alegria tem como tema a Tropicália, que comemora 50 anos, um movimento que revolucionou a música popular e a cultura brasileira.

Com roteiro e direção de Moacyr Góes, que faz sua primeira incursão no teatro musical, Alegria Alegria tem um elenco de 13 atores e Laila Garin assume o papel de condutora do espetáculo.

Alegria Alegria tem as canções de Caetano Veloso como eixo da encenação, consideradas pelo diretor “a tradução mais fiel do movimento”, mas também conta com composições de Gilberto Gil, Roberto Carlos, Luiz Gonzaga e Vicente Celestino, entre outros.

“A Tropicália não foi uma obra do Caetano, foi uma obra de muitas pessoas, muitos artistas, no entanto eu acredito que o Caetano é a expressão mais radical, mais imperativa do tropicalismo. Mas isso não significaria muita coisa, se não fosse uma obra extraordinariamente bela, com canções muito elaboradas. Quando eu me peguei querendo lembrar, querendo fazer um espetáculo que refletisse um pouco sobre a importância da tropicália até hoje na cultura brasileira, eu vi que eu deveria ir para a obra do Caetano, que tem uma função, uma posição dentro da cultura contemporânea brasileira absolutamente fundamental”, explica Góes.

Para contar a história do tropicalismo, no entanto, o diretor optou por criar um espetáculo musical não convencional:

“não é um espetáculo que atenda, digamos, à trajetória tradicional do musical como linguagem, que é ter uma história, ter uma trama, e que é composto por músicas que ajudam esta trama a se desenvolver até o seu desenlace. Não acho que para falar de tropicalismo, para pensar sobre tropicalismo, pudesse ser assim, pudesse tentar colocar em uma trama tão tradicional o que, em si, é tão pouco afeito a normas. Eu procurei estruturar um roteiro que tivesse uma lógica, que contasse uma história, mas não de uma maneira tradicional, que não fosse um musical histórico, didático. Eu não quero explicar para as pessoas o que foi o tropicalismo, eu quero que as pessoas passem por uma experiência com as músicas e com as cenas, que produza sentimentos, reflexões, emoções, etc. É um espetáculo para você sorver.”

Ficha técnica:

Direção e roteiro: Moacyr Góes
Assistente de direção: beatriz lucci
Direção musical: Ary Sperling
Preparação vocal e regência: Thiago Gimenes
Arranjos: Ary Sperling e Thiago Gimenes
Coreografia: Alonso barros
Figurino e visagismo: Fábio Namatame
Cenografia: Helio eichbauer
Assistente de cenografia: Marieta Spada
Vídeo cenário: Richard Luiz
Assistente de vídeo cenário: Rodrigo Arcângelo
Produtora de elenco: Gisele lima
Produtor executivo: Jardel Romão
Produção geral: bárbara guerra
Produtores associados: Júlio César e Moacyr Góes

Serviços:

Teatro Santander Complexo JK
Av. Presidente Juscelino Kubitschek, 2041
Itaim Bibi, São Paulo – SP
CEP: 04543-011
Horário de Funcionamento
Domingo a Quinta: 12h às 20h ou até inicio do espetáculo.
Sexta e Sábado: 12h às 22h
Formas de pagamento
São aceitas todas as bandeiras de cartões: Amex, Aura, Dinners, Hipercard, Mastercard, Redeshop, Visa e Visa Electron.
Outras formas: Dinheiro, PayPal, Ticket Cultura e Vale Cultura Alelo.
Não aceitamos cheques.
Entretix
Vendas online
Informações e compras: (11) 4003-1022

Cassiano Leonardo especial para o Aplauso Brasil (Cassiano@aplausobrasil.com.br)