Ghetto luta pelo respeito às diferenças

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (michel@aplausobrasil.com)

GHETTO Foto João Caldas

Infelizmente é preciso recordar crimes hediondos praticados pela intolerância às diferenças, caso do Holocausto que dizimou e humilhou milhões de judeus, para que não os esqueçamos. O que nos conforta é que, mesmo face a esse terror, brotaram obras de arte como Yossel Rakover Dirige-se a Deus, de Zvi Kolitz, base ao roteiro do monólogo Ghetto, escrito e dirigido por Elias Andreato, cuja estreia é hoje, 21h, no Teatro Eva Herz, dentro da Livraria Cultura.

Fábio Herford dá vida a Yossel Rakover, um judeu-polonês, que momentos antes da destruição completa do Gueto de Varsóvia dedica-se a escrever sua história dirigindo-se, ora revoltado, ora resignado, a Deus, como um Jó que mesmo diante de tanto horror não perde a fé.

Embora quando do seu lançamento no Ídiche Zeitung, em 1946, um periódico judaico de Buenos Aires, Yossel Rakover Dirige-se a Deus foi confundido como um relato autobiográfico tão intenso e pungente é. Depois do mal entendido, a escritura transformou-se em livro, que certo dia chegou às mãos do ator judeu Fábio Herford.

“Foi o próprio Elias Andreato, diretor desse espetáculo, quem me apresentou a obra”, revela o ator.

O ator Fábio Herford protagoniza GHETTONo palco, Fábio vive o personagem e executa (tocando ao piano) a trilha de sua autoria, composta para a peça.

“O teatro precisa registrar e perpetuar esse fato com toda a sua poesia, para que a humanidade não perca a competência de amar e de se comover com o sofrimento de seu semelhante.É também uma maneira de discutir o ser humano, entender suas paixões, suas crenças, suas incoerências, sua violência, sua intolerância”, diz.

FICHA TÉCNICA

Autor – Zvi Kolitz

Tradução – Fábio Landa

Adaptação e Direção – Elias Andreato

Ator – Fábio Herford

Iluminação – Wagner Freire

Cenografia – Marco Lima

Cenotecnia – Luís Rossi (FCR)

Pintura – Fabio Souza

Figurino – Laura Andreato

Trilha Composta – Fábio Herford

Efeitos Visuais – Rodrigo Abad

Direção de Produção – Selma Morente

Produção Executiva – Gabriela Sanchez

Assessoria de Imprensa – Morente ForteComunicações

Fotos – João Caldas

Programação Visual – Paulo Falzoni

Realização – Casa Amarela e Morente Forte Comunicações

Ghetto

Teatro Eva Herz (166 lugares)

Livraria Cultura – Conjunto Nacional

Bilheteria: de segunda a sábado, das 14h às 21h. Domingo e feriado, das 12h às 19h30.

Informações: 3170-4059

Aceita todos os cartões de crédito e débito. Não aceita cheque. Vendas pelo 4003-2330 e www.ingresso.com.br

Quartas e quintas, às 21h – R$ 30

Duração: 60 minutos

Classificação etária: 14 anos

De 28 de abril a 24 de junho

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*