Gianecchini e Maria Fernanda Cândido protagonizam espetáculo

Nanda Rovere, do Aplauso Brasil (nanda@aplausobrasil.com)

"Toca do Coelho". Foto: divulgação
“Toca do Coelho”. Foto: divulgação

SÃO PAULOA Toca do Coelho estreia no Teatro FAAP sábado (21). De David Lindsay Abaire, a peça trata de perda e superação. Cheia de emoção é dirigida por Dan Stulbach,que conta com André Acioli e Otavio Dantas como assistente de direção.  No elenco estão: Maria Fernanda Cândido, Reynaldo Gianecchini,Selma Egrei, Simone Zucato e Felipe Hintze. O cenário é de André Cortez e os Figurinos de Adriana Hitomi. No comando na trilha sonora está Daniel Maia e na iluminação Marisa Bentivegna.

O espetáculo é o resultado do sonho da produtora e atriz Simone Zucato, que assistiu a uma montagem na Broadway do texto e se apaixonou pelo seu conteúdo. Foi ela quem convidou o elenco para participar do projeto, com exceção de Felipe Hintze, escolhido através de testes.

A obra de Lindsay ganhou versão cinematográfica, denominada no Brasil de Reencontrando a Felicidade; com Nicole Kidman (Incrível!) e Aaron Eckhart, direção de John Cameron Mitchell.

Foram necessários quatro anos para a conclusão do projeto, que desde o início já tinha como certo a direção de Dan Stulbach.

"Toca do Coelho". Foto: divulgação
“Toca do Coelho”. Foto: divulgação

A peça apresenta um drama universal, que lida com a emoção do ser humano e com a vontade de superar as dificuldades.

A Toca do Coelho (Rabbit Hole) acompanha a trajetória de uma família que é obrigada a lidar com uma grande perda. O fato afeta a vida de todos, principalmente a vida do casal Becca (Maria Fernanda Cândido) e Paulo (Reynaldo Gianecchini).

Paulo tenta encarar a situação com esperança e tocar a vida; mas Becca deixa a tristeza dominá-la. O casal, que aparentemente tinha um relacionamento feliz, se afasta.

Becca não consegue se desvencilhar das lembranças familiares. Também tem muita dificuldade para estabelecer com a sua mãe (Selma Egrei) e com sua irmã (Simone Zucato) uma relação de cumplicidade. Acaba estreitando amizade com adolescente (Felipe Hintze), envolvido no acidente que provocou a tragédia familiar.  Paulo, por sua vez, tem a oportunidade de viver um novo amor.

No decorrer da trama segredos são revelados. E com o passar dos anos a família aprende com as perdas. ¨Através do sofrimento os personagens descobrem um caminho para viver a vida como ela é¨, diz Gianecchini, destacando que está muito feliz com esse novo trabalho.

Segundo o ator, a peça nos leva a outros lugares e nos mostra os passos para se entender as coisas. ¨Foi uma sedução. Mostra como a esperança com amor pode mudar tudo¨, conta.

Dan Stulbach também está muito agradecido pela oportunidade assinar a direção da montagem. Destaca que o objetivo é provocar a emoção no espectador e acredita que todos sairão tocados da sala de espetáculos com a qualidade do texto.

Stulbach ressalta que a encenação é fiel à história original e tece muitos elogios ao autor. Diz que está fascinado e salienta que há momentos engraçados, tristes e emocionantes.

¨ David Lindsay tem a sabedoria das palavras e apresenta um apuro com o modo de mostrar as relações humanas¨, afirma o diretor.

Também sinaliza que o processo de ensaios foi intenso e prazeroso e que está muito satisfeito com o rendimento de todos os integrantes do elenco, especialmente com a entrega e o talento de Maria Fernanda e Gianecchini: ¨Espero que o espectador receba a mesma vibração que estamos sentindo¨, fala sobre a cumplicidade estabelecida entre direção, elenco e equipe técnica.

Maria Fernanda Cândido faz questão de elogiar o talento de Dan Stulbach. Segundo a atriz, o processo de ensaios foi puxado e o diretor exige muito dos atores, mas ela credita essa atitude ao imenso amor que ele tem pelo teatro.

Ficha Técnica:

Autor: David Lindsay Abaire

Tradução Brasileira: Simone Zucato

Adaptação: Alessandra Pinho

Direção Geral: Dan Stulbach

Elenco: Maria Fernanda Cândido, Reynaldo Gianecchini, Selma Egrei, Simone Zucato, e Felipe Hintze

Cenários: André Cortez

Iluminação: Marisa Bentivegna

Figurinos: Adriana Hitomi

Trilha sonora: Daniel Maia

Design Gráfico: Alessandro Romio

Assistentes de Direção: André Acioli e Otavio Dantas

Produção: Elis Braga e Blota Filho 

Direção de Produção: Valdir Archanjo e Bira Saide

Produtores Associados: Simone Zucato, Valdir Archanjo e Bira Saide

Realização: Asa Produções Culturais, SPZ Produções Culturais e Nero Produções Culturais

 

Serviço:

A Toca do Coelho

Teatro FAAP(500 lugares)

Rua Alagoas, 903 – Higienópolis.

Informações e Vendas: 3662.7233 e 3662.7234.

Bilheteria: de quarta à sábado, das 14h às 20h. Domingo das 14h às 17h.

Aceita cartão de débito e crédito: Visa, Máster ou Dinners. Não aceita cheque.

Estacionamento gratuito, com vagas limitadas. Acesso para deficiente. Ar-condicionado.

Sextas às 21h30 | Sábados às 21h | Domingos às 18h

Ingressos: Sextas e Domingos R$ 80 | Sábados R$ 100

Duração: 110 minutos

Recomendação: 12 anos

Estreia dia 21 de setembro

Temporada: até 15 de dezembro

 

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.