Grátis: Grupo de teatro ocupa o Beco da Vila Madalena

Redação do Aplauso Brasil (redacao@aplausobrasil.com.br)

"As Relações Naturais". Foto: divulgação
“As Relações Naturais”. Foto: divulgação

SÃO PAULO- As Relações Naturais, primeira produção da recém-criada Santa Cia, ocupa um dos bairros mais tradicionais de São Paulo. O Beco da Vila Madalena, localizado na rua Belmiro Braga, é um espaço aberto com intervenções de grafite e que sedia  eventos, especialmente rodas de samba. Lugar propício para receber a montagem, que mistura teatro e artes plásticas. A estreia é quarta, 1, às 20h30, no Beco da Vila Madalena, que fica na Rua Belmiro Braga (ao lado do Centro Cultural Rio Verde). O texto é de Qorpo Santo e a direção é de Paula Klein, da Cia São Jorge de Variedades. A temporada é gratuita e as apresentações acontecem todas as quartas-feiras, às 20h30, até o dia 26 de novembro.

Com uma estrutura não linear, As Relações Naturais fala das relações de poder entre os indivíduos através de personagens inusitados que circulam entre o ambiente familiar e o bordel.

A montagem é recheada de imagens violentas, poéticas e bem humoradas para narrar a trajetória de uma família que vivem um conflito: dar vazão aos e instintos ou renegar os desejos em  nome da moral vigente.

Para a criação das cenas, a diretora Paula Klein partiu de três pilares principais: o texto de Qorpo Santo, a figura do intérprete e a fusão entre teatro e artes plásticas.

Neste sentido, os universos criativos dos artistas plásticos Arthur Bispo do Rosário e Cao Guimarães serviram de inspiração para a ambientação das cenas, que trazem uma linguagem que aproxima o público do mundo tecnológico e interagem com o espaço urbano. Objetos como Smartphones, tablets, caixas de som e lap top  ganham funções inusitadas nas mãos dos atores.

Poemas, cartas e estrofes dos textos de Qorpo Santo são musicados nas vozes dos atores, que usam colheres, garrafas pets, relógios, alto falante e o próprio corpo para emitirem sons, realizando uma performance poética (spoken Word).

Para a diretora Paula Klein, há um limiar tênue entre a suposta insanidade mental do autor e sua genialidade. “Esse artista consegue sintetizar toda uma situação em duas ou três falas. Isso é fascinante por nos colocar diante de lacunas que as situações do texto não resolvem, ao contrário, deixam para o encenador e o intérprete completarem”, explica Paula.

Sobre Paula Klein

Paula Klein possui graduação em Artes Cênicas – Licenciatura pela Universidade de São Paulo e mestrado em Pedagogia do Teatro pela Universidade de São Paulo. Integra desde 1998 a Cia São Jorge de Variedades atuando nos espetáculos Fausto(2014), Barafonda (2012-2013), O Santo Guerreiro e o Herói Desajustado (2007-2011), As Bastianas (2003-2008), Biedermann e os Incendiários (2001-2006) e Um Credor da Fazenda Nacional (1999-2003). Na Cia São Jorge também foi assistente de direção do espetáculo Quem não Sabe mais Quem é o que é ou Onde está Precisa se Mexer (2009-2011). Em teatro atuou nos espetáculos Bom Retiro 958 metros, do Teatro da Vertigem; Fatzerbraz, com o grupo alemão andco&co; Todo Bicho Tudo Pode Sendo o Bicho que Se é, direção de Hugo Possolo e Perdoa-me por me Traíres, de Nelson Rodrigues, entre outros. No cinema atuou nos filmes Macário (2005), Aranhas Tropicais (2005), Veja e Ouça (2004) e Quero Ver Você Chorar (1997). Na TV participou da novela As Pupilas do Senhor Reitor (SBT), além dos programas Telecurso 2º Grau (TV Globo) e Encenações e Teatro Rá-Tim-Bum (TV Cultura).

Sobre Qorpo-Santo

De acordo com a Enciclopédia de Teatro do Itaú Cultural, José Joaquim de Campos Leão (Qorpo-Santo), nasceu em Triunfo/ RS, em 1829 e morreu em Porto Alegre,1883). Qorpo-Santo escreve sua obra teatral no século XIX, mas suas peças só foram encenadas a partir da década de 1960. Vários críticos teatrais classificam as suas obras como precursoras do Teatro do Absurdo. Por volta de 1864, o dramaturgo sofre alucinações e chega a ser internado. Nesse período ´´e que o artista cria a maior parte de suas peças. Em 1877, abre a própria tipografia e edita sua Ensiqlopédia ou Seis Mezes de Huma Enfermidade, obra em nove volumes, que reúnem poemas, confissões, receitas culinárias, máximas e suas dezessete peças teatrais, entre elas As Relações Naturais, de 1866.  Outros textos de Qorpo-Santo: Eu Sou a Vida; Eu Não Sou a Morte,Mateus e Mateusa, Um Assovio e Um Credor da Fazenda Nacional. A diretora Paula Klein, afirma que há um limiar tênue entre a suposta insanidade mental de Qorpo Santo e sua genialidade. “Esse artista consegue sintetizar toda uma situação em duas ou três falas. Isso é fascinante por nos colocar diante de lacunas que as situações do texto não resolvem, ao contrário, deixam para o encenador e o intérprete completarem”, explica.

Ficha Técnica:

Texto – Qorpo Santo.

Direção – Paula Klein.

Elenco – Carol Portella, Luisa Fischer, Lutz Gallmeister, Marita Prado e Roberson Lima.

Assistente de Direção – Fernanda Machado.

Preparação Corporal – Duda Moreno.

Cenário e Adereços – Jorge Luiz Alves.

Direção Musical – Caco Pontes.

Sonoplastia e Composições – Lutz Gallmeister.

Iluminação – Paula Kein e Marcela Katzin.

Serviço:

As Relações Naturais

Estreia dia 1º de outubro, quarta-feira, às 20h30, no Beco da Vila Madalena – Rua Belmiro Braga – Vila Madalena (ao lado do Centro Cultural Rio Verde). Telefone: (11) 97216-1061. Acesso para deficientes físicos.

Temporada – Quarta-feira às 20h30. Duração – 70 minutos. Indicação livre (não recomendado para menores de 10 anos desacompanhados). Lotação – 90 lugares. Grátis. Até 26 de novembro.

*Em caso de chuva o espetáculo não será apresentado.

** Dia 19 de novembro não haverá apresentação e sim uma festa com uma “roda de conversa” com grupos de teatro e show com uma banda de jazz.

 

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado