Grátis: Kiwi Companhia de Teatro apresenta espetáculo sobre violência contra a mulher no Centro de SP

SÃO PAULO – Nos dias 26 e 27 de junho, a Kiwi Companhia de Teatro apresentará o trabalho cênico Carne, a convite da Companhia do Feijão, no Ciclo Pupurir, apoiado pelo Programa Municipal de Fomento ao Teatro.  Para comemorar as apresentações de número 299 e 300 a Companhia promoverá debates com convidadas após as apresentações e contará com a participação do Cabaré Feminista, liderado pela cantora e compositora Elaine Guimarães.

O trabalho cênico Carne – Patriarcado e capitalismo, da Kiwi Companhia de Teatro, discute as relações entre patriarcado e capitalismo, mostrando o panorama da opressão de gênero e a situação específica da violência contra as mulheres no Brasil. A peça, inspirada no teatro documentário é composta de 20 quadros interligados executados por duas atrizes e uma percussionista. No trabalho cênico são utilizadas canções populares, imagens publicitárias, estatísticas sobre a violência contra as mulheres, trechos de romance, entre outros materiais.

O trabalho já passou por diversas regiões do Brasil, Colômbia e EUA. Versões de trechos da peça também são apresentadas, segundo a tradição do AGITPROP (agitação e propaganda), em manifestações e encontros de movimentos sociais.

Roda de conversa após a apresentação do dia 26 de junho (terça)
Feminismo, arte e política 1

Esther Solano (cientista política e professora da UNIFESP, uma das autoras do livro ”mascarados: a verdadeira história dos adeptos da tática black bloc”)
Isa Penna (advogada, ativista política e feminista)

Roda de conversa após a apresentação do dia 27 de junho (quarta)
feminismo, arte e política 2

Luciana Araújo (jornalista e feminista, militante do movimento negro unificado e da marcha das mulheres negras)
Ave Terrena (dramaturga e poeta ativista transvestigênera)

Ficha técnica:

Realização: Kiwi Companhia de Teatro

Direção geral: Fernando Kinas

Roteiro: Fernanda Azevedo e Fernando Kinas

Elenco: Fernanda Azevedo e Mônica Rodrigues

Direção musical: Eduardo Contrera

Execução musical: Luciana Fernandes

Direção de produção: Luiz Nunes

Assistência de produção: Daniela Embón

Tratamento de imagens: Fernando Kinas e Filipe Vianna

Iluminação e operação de luz: Clébio Souza (Dedê)

Figurino: Fernanda Azevedo

Serviço:

Dias: 26 e 27 de junho

Horário: 20h30

Local: Cia do Feijão – Rua Teodoro Baima, 68, República

Foto: Juliana R.

 

KIWI COMPANHIA DE TEATRO

A Kiwi Companhia de Teatro surgiu em 1996. Um dos objetivos do grupo responde à necessidade de, simultaneamente, fazer e pensar o teatro, contribuindo para a construção de pensamento crítico à respeito da sociedade brasileira.existe há mais de 20 anos. Nestas duas últimas décadas, a Companhia produziu uma quinzena de montagens teatrais, além de organizar cursos, oficinas e debates sobre a encenação e a dramaturgia contemporâneas e eventos multiartísticos. A Companhia publica, desde 2013, o caderno de estudos Contrapelo. Recebeu diversos prêmios, entre eles: Prêmio Shell de Interpretação para a triz Fernanda Azevedo pela montagem Morro Como um país (2013); recebeu 5 vezes o apoio do Programa de Fomento de São Paulo; Prêmio Myriam Muniz de circulação de espetáculos; Proac SP; e Marcas da Memória, do Ministério da Justiça. Representou o Brasil em mesas de debates e mostras de trabalho nos Estados Unidos, Colômbia e Venezuela, entre outros países. Participou dos Festivais Internacionais de Rio Preto, Curitiba, Rio de Janeiro, São Paulo etc. Realizou diversas temporadas em Centros Culturais e Teatros das cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, entre outras.

Para mais informações sobre a Companhia e seus trabalhos artísticos, acessar: www.kiwiciadeteatro.com.br

 

Kyra Piscitelli

Kyra Piscitelli é jornalista formada pela Universidade Metodista de São Paulo e fez pós-graduação em Globalização e Cultura pela Faculdade de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP). Escreve sobre teatro e arte desde de 2009. Integra os Juris da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) e do Prêmio Aplauso Brasil. Ávida por conhecimento, se não está em viagem ou estudo, só há um lugar para achá-la: o teatro!

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*