GRÁTIS NO DOMINGO: COLETIVO QUIZUMBA REALIZA SEGUNDA ASSEMBLEIA DE ARTE E DISCUTE TEATRO JUVENIL

1798744_824396487632416_8910529681428640153_nRedação do Aplauso Brasil (redacao@aplausobrasil.com)

SÃO PAULO – Como fazer teatro para jovens? Essa é uma das questões que guia o Coletivo Quizumba na segunda edição de sua Assembleia de Arte (a primeira ocorreu no ano passado), que aconteceu Hoje (11) e continua amanhã (12) , no Território de Cultura Afro Mãe Sylvia de Oxalá (antigo Centro Cultural Jabaquara). Na programação gratuita, quatro espetáculos voltados para o público infanto juvenil e duas rodas de conversa com profissionais reconhecidos pelo seu trabalho com esse universo.

O evento faz parte do projeto Santas de Casa Também Fazem Milagres, contemplado pela 25º edição do Programa de Fomento ao Teatro da cidade de São Paulo, que culminará na estreia do novo espetáculo do Coletivo Quizumba. A peça deve ganhar os palcos até agosto desse ano e será voltada para o público jovem e vai discutir um pouco o que é ser mulher e jovem nos dia de hoje.

Amanhã (12), às 11 horas, acontece a apresentação do espetáculo Por um Fio, da Cia Conto em Cantos e Cia A Hora da História. Às 13h30, Marcelo Romagnoli, diretor e dramaturgo, Willian Costa, diretor e dramaturgo do Pequeno Teatro de Torneado, Tadeu Renato, dramaturgo do Coletivo Quizumba, Juliana Offenbecker, diretora e dramaturga do espetáculo Por um Fio, e Priscila Harder, atriz e dramaturga do espetáculoPor um Fio, batem um papo com o público sobre a dramaturgia do teatro para crianças e no teatro para jovens.Peter em Fúria, peça  do Pequeno Teatro de Torneado, encerra a Assembléia de Arte, às 15 horas.

Tadeu Renato, dramaturgo do Coletivo Quizumba, explica que mais do que compartilhar com o público uma programação de qualidade, a Assembléia de Arte também divide o processo de pesquisa do grupo para o seu novo espetáculo. “Estamos no meio do processo de criação. E a discussão sobre o que é um teatro adequado e que atraia o público jovem faz parte desse trabalho. Os jovens acabam ficando num limbo de criação cultural. Émuito difícil criar um produto cultural que não seja desinteressante para eles e também que fuja de algo com pouca discussão e beire o vazio. O evento reúne nomes que trabalham muito bem com jovens e o público infantil. Com certeza, essas discussões serão riquíssimas”, explica.

PROGRAMAÇÃO

 

Dia 12 de abril

11 horas

Espetáculo Por um Fio – Com a Cia Conto em Cantos e a Hora da História

Por um Fio é um espetáculo conjunto das companhias A Hora da História e Conto em Cantos. Ele  foi criado a partir do universo das feiras populares, seus personagens, sons, cores, aromas e especificidades próprios da estética da comédia popular.Com direção de Juliana Offenbecker e texto inédito do grupo, a montagem tem sua pesquisa centrada no teatro físico e na figura do bobo que, aliados à uma linguagem corporal gestual e coreografada, trazem à cena personagens em situações tolas e atrapalhadas.

A Cia Contos em Cantos desenvolve, desde 2005, trabalhos voltados para a infância e juventude. Em 2010, com o espetáculo Amazônia Adentro, recebeu sete indicações ao prêmio FEMSA. E ganhou o prêmio CPT 2010 de melhor espetáculo infanto-juvenil. A Cia a Hora da História, grupo formado em 2001 por estudantes da ECA USP, desenvolve trabalhos voltados para a contação de histórias e espetáculos para jovens e crianças.

Ficha Técnica

Texto: Juliana Offenbecker, Camila Cassis, Natália Grisi e Priscila Harder

Direção: Juliana Offenbecker

Elenco: Bebel Ribeiro, Camila Cassis, Natália Grisi e Priscila Harder

Direção Musical: Camila Cassis

Figurinos, Adereços e Cenografia: Marisa Rebollo

Bonecos: Silvana Marcondes

Trilha sonora: Camila Cassis e Luciano Carvalho

Arte Gráfica: Aura Rosa

Iluminação: Camila Andrade

Realização: A Hora da História e Canto em Contos

Duração: 50 minutos

 

13h30

Roda de conversa: Dramaturgia no teatro para crianças e no teatro para jovens

 

Mediação: Coletivo Quizumba

Integrantes da mesa

– Marcelo Romagnoli – Diretor e dramaturgo

– Willian Costa – Diretor e dramaturgo do Pequeno teatro de Torneado

– Tadeu Renato – Dramaturgo do Coletivo Quizumba

– Juliana Offenbecker – Diretora e dramaturga do espetáculo Por um Fio

– Priscila Harder – Atriz e dramaturga do espetáculo Por um Fio

 

15 horas

Espetáculo Peter em Fúria – Com o Grupo Pequeno Teatro de Torneado

Peter em Fúria teve como objetivo a possibilidade de contar uma história popular que contemplasse a exploração de temas sociais latentes em comunidades periféricas brasileiras.O espetáculo propõe uma sensível reflexão sobre o lugar dos sonhos em nossa sociedade contemporânea. A dramaturgia de Peter em Fúria faz um convite para um jogo de analogias entre os personagens reais de uma favela e os personagens do conto escrito por J.M.Barrie.

 

Nos quase três anos de pesquisa, o grupo buscou uma forma estética e ética que contemplasse também as referências trazidas pelos próprios atores, oriundos das mais diversas periferias da cidade de São Paulo.

 

O Pequeno Teatro de Torneado é um coletivo de jovens artistas-criadores criado no ano de 2005 e coordenado pelo diretor e dramaturgo William Costa Lima. Surgido de um projeto de pesquisa que tinha como foco questões da juventude/adolescência, o grupo faz sua estreia em 2006 e tem em seu repertório cinco espetáculos.

 

Ficha Técnica

Dramaturgia e direção: William Costa Lima

Letras das musicas e melodias: Bruno Lourenço e William Costa Lima

Direção Musical: Bruno Lourenço

Arranjos: Bruno Lourenço, Fábio Caceffa, Franco Vieira e Renan Almeida

Supervisão de Arranjos: Fábio Caceffa

Preparação vocal: Andrea Arle

Preparação corporal: Karina Moraes

Elenco: Marc Strasser, Mayara Sobral, Juliana Andrade, Lucas Jaeger, Alberta Jaeger, Paulo Jaeger, Camila Freire, Marina Yohara, Beatriz Valsechi, Ana Carolina Bueno, Ana Dandara, Guilherme Valdoski, Fernando Melo, Beatriz Barros, Bruno Lourenço, Gilson Ribeiro, Mariana Boujikian, Karina Moraes, Pablo Juan, Aguida Aguiar, Rose Castilho, Higor Moura, Mariana Acioli, Thais Moura, Thiago Andrade, Renan Almeida e Júlia Calderoni.

Cenário e Iluminação: William Costa Lima

Projeto Cenográfico: Camila Neri

Confecção do cenário: Paulo Jaeger

Montagem de Luz: Renan Almeida e Guilherme Valdoski

Operação de luz: Jefferson Silva

Adereços: Aguida Aguiar, Ana Dandara e Marina Yohara

Figurino: Mariana Acioli e o grupo

Fotos: Ivan Stieltjes

Design Gráfico: Victor Bittow

Produção Executiva: Bruno Lourenço

Assistentes de produção: Camila Freire e Marc Strasser

Duração: 120 minutos

Para roteiro:

SEGUNDA ASSEMBLEIA DE ARTE – Dias 11 e 12 de abril, sábado a partir das 16 horas e domingo, a partir das 11 horas, no Território de Cultura Afro Mãe Sylvia de Oxalá. Programação gratuita com espetáculos e debates. LivreInformações  (11) 95972-0081. E-mail:producaocoletivoquizumba@gmail.com

Blog: http://coletivoquizumba.blogspot.com.br

Facebook: https://www.facebook.com/ColetivoQuizumba?fref=ts

 

 

Kyra Piscitelli

Kyra Piscitelli é jornalista formada pela Universidade Metodista de São Paulo e fez pós-graduação em Globalização e Cultura pela Faculdade de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP). Escreve sobre teatro e arte desde de 2009. Integra os Juris da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) e do Prêmio Aplauso Brasil. Ávida por conhecimento, se não está em viagem ou estudo, só há um lugar para achá-la: o teatro!