GRÁTIS: O CIRCUITO SESC DE ARTES ACONTECE EM 108 CIDADES DE SÃO PAULO

Michel Fernandes e Kyra Piscitelli, do Aplauso Brasil (michel@aplausobrasil.com)

Atividades do Circuito Sesc de Artes incluem o uso da rua. Foto°crédito divulgação
Atividades do Circuito Sesc de Artes incluem o uso da rua. Foto°crédito divulgação

SÃO PAULO – É lugar-comum aferir ao SESC SP o título de, muitas vezes, ser suporte aos órgãos públicos que deveriam promover acesso público às manifestações artístico-culturais. Se a crise de arrecadação fez com que boa parte das verbas públicas da cultura – outros setores também sofreram cortes – contamos com a iluminada visão de Danilo Santos de Miranda, diretor do SESC SP, de que a arte é provocadora de transformação, portanto investir na livre difusão de bens cultuais está entre as prioridades da instituição que, de 24 de abril a 10 de maio, apresenta o Circuito Sesc de Artes.

 

Conectando lugares e circulando ideias, o Circuito SESC de Artes oferece, de graça, música, dança, teatro, circo, cinema, literatura e artemídia para 108 cidades do interior, litoral, Grande São Paulo e capital. Tudo isso distribuído em 12 roteiros diferentes e itinerantes. Este ano, são seis cidades a mais que em 2014 com um total de 547 horas de programação cultural gratuita acontecendo em praças, ruas e parques. O evento terá espaço especial na internet com conteúdos exclusivos que serão publicados periodicamente, registrando histórias, poesias e sabores presentes na memória dos habitantes de cada local pelo qual passará.

Segundo Danilo Miranda, diretor regional do Sesc São Paulo, O Circuito Sesc de Artes tem um custo que gira em torno de 5 milhões. O que é “um dinheiro muito bem empregado”. Ele ressalta que a arte “não é só fundamental, mas indispensável. Só através da arte é que se realiza plenamente a humanidade”.

E o O Circuito SESC de Artes tem essa função de provocar e trazer reflexão para cidades onde essas atividades normalmente não acontecem. Miranda lembra que o evento funciona como um circo: “faz a arte e vai embora e deixa a provocação para fomentar a arte”.

Outro objetivo do evento é mesclar linguagens, além de unir promessas da arte com nomes consagrados e por isso é importante unir todas as formas de arte possível. Claro que Miranda lembra da importância das parcerias com as prefeituras e comércios locais para que o evento seja realmente grande. “Nosso plano é sempre atingir o maior número de cidades”, afirma o diretor.

E quando fala em interior e do alcance do Sesc no Estado de São Paulo, Miranda se orgulha em dizer que o SESC está em 19 cidades do interior e da grande São Paulo. E recorda que em breve irão inaugurar uma unidade em Jundiaí e que outra de Guarulhos está em obras.
O Circuito Sesc de Artes passará além do interior e da Grande São Paulo pelo Sesc Campo Limpo, que é uma das novas unidades.

Acesse o site e saiba mais:
http://circuito.sescsp.org.br/sobre-o-circuito/

SERVIÇO
GRÁTIS
DE 24 de abril a 10 de maio

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.