GRÁTIS: OFICINA CULTURAL OSWALD DE ANDRADE REAPRESENTA “TÉRMINO DO AMOR”

SÃO PAULO – O embate verbal entre um casal em fim de relacionamento é a força motriz que o dramaturgo francês Pascal Rambert utiliza em Término do Amor, cuja montagem dirigida por Janaina Suadeau faz nova temporada na Oficina Cultural Oswald de Andrade a partir de quarta-feira (5), 20h.

Escrito para os atores franceses Audrey Bonnet e Stanislas Nordey, os personagens, por opção do autor, possuem os mesmos nomes dos atores. Nesta versão, a primeira montagem brasileira, traduzida (com colaboração de Clara Carvalho) e dirigida por Janaína Suaudeau, os atores são Carolina Fabri e Gabriel Miziara e, portanto, aqui os personagens se chamam Carol e Gabi. A montagem também conta com intermediação musical dramatúrgica (Drumaturgy) de Vinicius Calderoni.

“O que mais me tocou quando eu li Clôture de l’amour pela primeira vez foi a poesia do Pascal Rambert. Neste texto, ele descreve o final de um relacionamento sob dois pontos de vista, sob uma verdadeira dialética. E ele o faz de forma inusitada, em versos livres e muito ritmados, como uma partitura de música”, comenta a diretora e idealizadora do projeto Janaína Suaudeau, que teve a ideia de incluir uma bateria na encenação.

 Um embate verborrágico e físico; ele começa, eu queria te ver pra te dizer que acabou, ela escuta. Segundo round começa, ela responde, você acabou?, agora é a vez dele escutar. Pascal Rambert propõe um canto à separação, onde as palavras batem, repercutem e muitas vezes morrem.

O cenário assinado por Ulisses Cohn traz três praticáveis, como se fossem três passarelas e cada uma delas é habitada por um ator. Desta forma, Carol fica de frente para a plataforma do Gabi e ao fundo, no terceiro praticável está uma bateria tocada pelo músico Pedro Gondom – que acompanha e impulsiona os personagens o tempo todo, como num repente.

“O maior desafio para a encenação foi trabalhar o ritmo da fala e da escuta durante esses dois rounds tão distintos” completa a encenadora.

 

TÉRMINO DO AMOR – Reestreia dia 5 de julho, quarta-feira, às 20 horas, na Oficina Cultural Oswald de Andrade. Idealização do projeto – Janaína Suaudeau. Texto – Pascal Rambert. Tradução – Janaína Suaudeau com colaboração de Clara Carvalho e Eloïse Morhange.Direção – Janaína Suaudeau. Elenco – Carolina Fabri, Gabriel Miziara e Pedro Gongom (bateria). Provocadora – Malú Bazan. Drumaturgy(interação musical dramatúrgica) – Vinicius Calderoni. Orientação vocal interpretativa – Lucia Gayotto. Estudo do movimento – Joana Mattei. Cenografia – Ulisses Cohn. Iluminação – Aline Santini.Figurinos – Isabela Teles. Fotografias – Carla Trevizani e João Caldas.Design gráfico – Bruno Gonçalves. Direção de produção – Janaína Suaudeau e Larissa Barbosa. Produção executiva – Larissa Barbosa.Temporada – Até 30 de agosto. Quarta e quinta-feira às 20 horas (dia 24 de agosto não haverá apresentação). Duração – 90 minutos. Indicado para maiores de 14 anos. GRÁTIS – Ingressos distribuídos uma hora antes.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*