GRUPO XIX DE TEATRO APRESENTA ESPETÁCULO INSPIRADO NA OBRA DE PASOLINI

Fernando Pivotto, para o Aplauso Brasil (fernando@aplausobrasil.com.br)

Grupo XIX_TEOREMA 21_Foto Jonatas Marques-03bSÃO PAULO – O espetáculo, que marca a quarta parceria entre o diretor Luiz Fernando Marques e o dramaturgo Alexandre Dal Farra, é livremente inspirado na obra Teorema, de Pasolini

Grupo XIX de Teatro estreia sua nova peça Teorema 21 na Vila Maria Zélia. Com direção de Luiz Fernando Marques e a  dramaturgia é de Alexandre Dal Farra, a obra é inspirada em Teorema, do italiano Pier Paolo Pasolini (1922-1975), que chegou aos cinemas em 1968 e mais tarde, no mesmo ano, foi transformado pelo próprio artista em livro.

Foi ao ler o livro de Pasolini que Dal Farra teve a ideia para o novo projeto, motivado pela dúvida como seria um teorema dos dias atuais. “Não se trata de pensar sobre as alterações das relações familiares, mas sim, nas mudanças na dinâmica do próprio capital, e na sua relação com a ideologia. O capitalismo ainda precisa de ideologiaTalvez essa seja a questão central da peça, ao meu ver”, explica Dal Farra, ecoando o pensamento declaradamente anticonsumista do artista italiano. É notória a entrevista de Pasolini à revista L’Espresso, onde declarou considerar “o consumismo como uma forma de fascismo pior que a versão clássica”.

Para o diretor Luiz Fernando Marques a peça é a tentativa de falar sobre um mal estar geral que estamos vivendo. “A obra de Pasolini é muito importante, muito presente na peça, é a alegoria da burguesia. Só que no inicio dos anos 60 essa burguesia estava assentada numa classe e de certa forma representada pela estrutura familiar. Em Teorema 21 é como se essa classe burguesa, ou essa ideologia tivesse se esparramado para todas as classes. E esse sistema, essa engrenagem gira em qualquer lugar, seja dentro da família, dentro de um partido politico ou até mesmo dentro de um grupo de teatro. O estrangeiro chega para romper com esse sistema, mas a engrenagem se mostra forte o suficiente para se impor perante ele.”, afirma.

No espetáculo, uma família retorna ao seu antigo lar. Ao buscar encontrar novas possibilidades de existência nesse ambiente antigo, recriam as suas relações e experimentam novas formas de contato. O  núcleo familiar é constituído por um patriarca, a mãe, o filho e a filha. Vive na casa, ainda, a criada Emília. Tudo parece estável. Mais do que isso, estagnado. A chegada de um estrangeiro ameaça transformar a estrutura dessa família.

O espaço cênico ajuda na leitura de esfacelamento proposta pelo texto. O grupo ocupa mais uma vez o espaço da Vila Maria Zélia, com paredes em ruínas e teto desmoronado, ecoando a instabilidade das relações da família. Inserido na cena, o público pode deslocar-se pelo espaço a fim de escolher o melhor ângulo para assistir cada cena.

TEOREMA 21
Dramaturgia Alexandre Dal Farra.
Direção Luiz Fernando Marques.
Dramaturgismo 
Janaina Leite.
Atuação Bruna Betito, Emilene Gutierrez, Janaina Leite, Juliana Sanches, Paulo Celestino, Rodolfo Amorim e Ronaldo Serruya.

Serviço
De 22 de janeiro a 05 de março. Sexta a domingo, 18h.
Vila Maria Zélia – Rua Mário Costa 13 (Entre as ruas Cachoeira e dos Prazeres) – Belém.
Ingressos gratuitos.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*