História de mulher judia inaugura horário alternativo no Teatro Faap

Redação do Aplauso Brasil (redacao@aplausobrasil.com)

Atriz Debora Olivieri faz primeiro monólogo. Foto: Dalton Valerio
Atriz Debora Olivieri faz primeiro monólogo. Foto: Dalton Valerio

SÃO PAULO- O espetáculo Rosa estreia segunda, (7),  às 21h, no Teatro FAAP.  Carregado na emoção, o texto mostra a vida de uma judia e perpassa por momentos importantes da história mundial.  Texto de Martin Sherman e tradução de Manuel Mendes Silva. Direção de Ana Paz com atuação de Deborah Olivieri. O cenário é de  Hélio Eichbauer e figurino de Ana Monteiro de Castro.  Na Trilha Sonora Tunica Teixeira. Paulo César Medeiros assina o desenho de luz.

Depois de temporada no Rio e participação em festivais, com sucesso de público e crítica, chega à capital paulista com o monólogo que fala de uma senhora judia durante o shivah (período do luto judaico).

Chegando perto dos 80 anos, Rosa relembra momentos de sua vida, entre eles, a infância em Yultishka pequena colônia ucraniana e seu cotidiano em  Miami, cidade em que reside atualmente.

A montagem valoriza a emoção do texto, com cenas leves e cheias de ironia. Ao contar a sua história, a personagem destaca fatos importantes da história mundial, como a invasão da Polônia pelos nazistas e o sonho da Palestina

Quem descobriu a obra foi a diretora Ana Paz, que também assina a produção do espetáculo. Ela convidou  Debora Olivieri para participar do projeto. Coincidentemente, a atriz, que é judia, estava à procura de um texto para encenar o seu primeiro monólogo.

Um dos destaques da encenação é a atriz, que vive uma mulher muito mais velha sem usar grandes artifícios de caracterização.  

Atriz Debora Olivieri faz primeiro monólogo. Foto: Dalton Valerio
Atriz Debora Olivieri faz primeiro monólogo. Foto: Dalton Valerio

Rosa abre um horário alternativo às terças-feiras, no Teatro FAAP: 17h00. A ideia é levar ao teatro um público que não gosta de sair de casa para prestigiar eventos noturnos.

Sobre a Diretora:
Formada como jornalista pela PUC Rio e atriz graduada pela CAL, Ana Paz colheu elogios e prêmios em 2011 – Prêmio APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte) de Melhor Espetáculo de 2010 e Prêmio CONTIGO de Melhor Espetáculo de 2011 com Doze Homens e uma Sentença (há quinze meses em cartaz em SP) e 3 indicações ao Prêmio Shell de Teatro no eixo Rio SP. Ana trabalhou como atriz protagonista sob a direção de nomes como Eduardo Tolentino, Massoud Saidpour, Moacyr Góes, Celina Sodré e Marcio Vianna, em textos de Pirandello, Ionesco, George Büchner, Shakespeare, Antonin Artaud, Katherine Mansfield, dentre outros.. Em 2006, co-dirigiu a peça “Cora Coralina”, indicada entre os dez melhores espetáculos do ano, pelo jornal O Globo. Foi assistente de direção de Eduardo Alvares em 2006 e 2007 na turnê nacional, das óperas “O Cientista” e “Carmen”, de Bizet (esta última teve única apresentação para 40 mil pessoas, ao ar livre, em Brasília, em 2007). Como produtora, criou o cinema Gran Cine Bardot, a Fundação Cultural e a Casa de Cultura, em Búzios.

Sobre a Atriz:
Debora Olivieri, 55 anos, estudou Artes Cênicas na Escola Macunaíma com Silvio Zilber e Miriam Muniz. Trabalhou em teatro com Charles Möeller e Claudio Botelho, Miguel Falabella, Marília Pêra, Naum Alves de Souza, Joaquim Vicente, Robert Castle, dentre outros. No cinema, foi dirigida por Arnaldo Jabor, Carla Camurati, Alain Fresnot, Guilherme de Almeida e participou dos filmes: Vendedor de Passados, direção de De Lula Buarque. Educação Sentimental, direção de Julio Bressane; Isolados, direção de Tomas Portella, dentre outros. Na TV, participou de novelas e séries na TV Globo, HBO, Telefe (Argentina) e TV Cultura. Sua última novela foi Guerra dos Sexos, com direção de Jorge Fernando, na TV Globo. E seu último espetáculo foi O Dia em que raptaram o papa texto de João Bittencourt, direção Tadeu Aguiar.

Equipe Técnica: 

Texto: Martin Sherman

Tradução: Manuel Mendes Silva

Direção: Ana Paz

Lista: Deborah Olivieri

Cenário: Hélio Eichbauer

Figurino: Ana Monteiro de Castro

Trilha Sonora: Tunica Teixeira

Iluminação: Paulo César Medeiros

Desenho de Som: Tunica Teixeira

Desenho Gráfico: Rico Lins

Foto de Cena: Dalton Valério

Direção de produção: Fernando Azevedo

Produção: Ana Paz

 

Serviço:

Rosa

Teatro FAAP (500 lugares)

Rua Alagoas, 903 – Higienópolis.

Informações e Vendas: 3662.7233 e 3662.7234.

Bilheteria: de quarta a sábado, das 14h às 20h. Domingo das 14h às 17h.

Aceita cartão de débito e crédito: Visa, Máster ou Dinners. Não aceita cheque.

Estacionamento gratuito, com vagas limitadas. Acesso para deficiente. Ar-condicionado.

Segundas às 21h | Terças às 17h

R $ 60

Duração: 90 minutos

Recomendação: 12 anos

Pré-estreia para convidados: dia 1º de outubro, terça-feira, às 21h.

Estreia dia 07 de outubro

Temporada: até 10 de dezembro

 

 

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*