“In [Cubo]”, peça de Tábata Makowski sobre bullying, estreia dia 25 de julho em plataforma virtual

EM REDE – De 25 de julho a 30 de agosto, o público terá a oportunidade de saber mais a respeito de um tema que é comum aos jovens e que nem sempre é tratado com o cuidado que merece. Passado, presente, futuro, escola, quarto, redes sociais, momentos turbulentos, descobertas transformadoras, sofrimentos profundos e risadas sem motivo se alternam e se fundem nesta peça; assim como acontece na vida dos adolescentes, assim como acontece no coração de Ana; de 13 anos, que sofre bullying por ter nariz grande. O espetáculo, com temática voltada para o público juvenil, é direcionado principalmente para jovens entre 12 e 15 anos, estendendo-se para adultos agregados por relação familiar ou escolar.

Bia Herrero, que integra o elenco e estreia no teatro, se tornou “influenciadora” após decidir que iria usar a net a favor de todos os jovens que sofrem discriminação, queria falar de bullying entre colegas de sua geração e seguidores interessados ou impactados pelo assunto. Bia tem uma história de superação, sofreu na pele por não se enquadrar nos padrões de beleza convencionais e ainda sofre porque agora faz sucesso e todos querem achar algo para classificá-la como politicamente incorreta; mas sua vontade combativa sempre a faz persistir e experimentar o novo. Por isso, escolheu o teatro como nova ferramenta para mostrar que existem caminhos para fazer o que acredita.
Foi do encontro entre Bia e a produtora Catarsis (É TUDO FAMÍLIA! inspirado no livro infantil alemão de Alexandra Maxeiner e Anke Kuhl. O espetáculo com direção de Kiko Marques, venceu o Prêmio APCA 2018 de melhor espetáculo de teatro para o público infantil com texto adaptado; venceu o Prêmio São Paulo de Incentivo ao Teatro Infantil e Jovem 2018 nas categorias: melhor espetáculo infantil e melhor texto adaptado; ficou entre os finalistas do Prêmio Aplauso Brasil 2018 como melhor espetáculo infantojuvenil; foi eleito como melhor espetáculo infantil da temporada 2018 pelo Jornal O Estado de São Paulo e classificado com quatro estrelas pela Revista Veja SP e pelo jornal Folha de São Paulo) instalada em Itupeva que nasceu o espetáculo.
Em janeiro de 2019 foi realizada uma pesquisa com 62 jovens entre 12 e 15 anos, em cinco encontros para falar a respeito desses hábitos, costumes, anseios e aspirações. “A partir desta “escuta”, explodiu no grupo que forma a Catarsis a vontade de provocar essa geração criando um trabalho para o público juvenil; um trabalho expressivo e complexo que comova o jovem espectador, que o instigue a buscar sentido para o mundo e que permita o acesso aos seus instintos criativos, estimulando-o a lançar um novo olhar ao universo cotidiano que o cerca”, diz o diretor da peça Marcelo Peroni.

“A questão do bullying entre adolescentes nos parece emergente e necessita ser discutida.
Segundo o 10º Anuário de Segurança Pública de 2016, o Estado de São Paulo é o estado brasileiro onde o maior número de adolescentes e jovens das escolas públicas e privadas disse ter sofrido ou praticado bullying. Ainda segundo a pesquisa 9% dos jovens entrevistados diz ser vítima de bullying sempre, enquanto 44,8% diz ter sofrido bullying pelo menos uma vez. Diante desses números e entendendo o teatro como o lugar que põe no centro das discussões temas potentes e atuais e como uma arte que pode ajudar a compreender melhor o presente para ser capaz de se colocar criticamente na sociedade, acreditamos ser de extrema importância a realização deste espetáculo”, complementa Peroni.

Em modo online, numa transmissão ao vivo e com um turbilhão de “stories”, mensagens, chamadas de vídeo; com muitas emoções contidas querendo explodir; com vontade de falar, gritar e sumir… Esta atmosfera permeia a encenação, o jogo cênico e a interação entre os atores e as atrizes.
Situações vividas no passado ou encontros que ainda não aconteceram, mas que guardam inúmeras possibilidades e aprendizado.
“Quebrar” a tela ou a quarta parede e fazer com que o público jovem sinta-se confidente da Ana em seu quarto é o principal foco deste trabalho.
Um quarto que se abre e que engole o mundo.

A Catarsis foi criada em 2013 com o intuito de fomentar e difundir as linguagens artísticas através da criação e/ou produção de espetáculos de teatro, dança, música, mostras, exposições e festivais que apresentem excelência e qualidade.
Desde então já produziu diversas temporadas de espetáculos adultos e infantis de outros grupos teatrais.
Em 2015, na Itália, realizou residência artística com foco no teatro para crianças com o Principio Attivo Teatro, ocasião em que tomou contato com a 11ª Edição do Festival de Teatro para a Primeira Infância, “Visioni di Futuro, Visioni di Teatro”, na cidade de Bolonha, com a obra do diretor e autor teatral Roberto Frabetti e com a pesquisa do Grupo La Baracca – Testoni Ragazzi.
De volta ao Brasil e após quinze meses de pesquisa estreou em agosto de 2016 seu primeiro espetáculo de teatro autoral, Scaratuja, que segue apresentando-se em diversos espaços e cidades.
Em 2016 e 2018, elaborou e produziu as duas edições do festival Um Novo Olhar: Festival de Artes para Primeira Infância, realizado em parceria com o Sesc Jundiaí.
Ainda em 2018, viabilizou a produção do espetáculo para crianças É tudo família!, segundo espetáculo autoral do grupo, que estreou em 22 de julho no Sesc Jundiaí; cumpriu quatro temporadas na cidade de São Paulo, continua apresentando-se em festivais e em outros municípios brasileiros.
Pelo espetáculo É tudo família!, recebeu o Prêmio APCA de melhor espetáculo de teatro infantil com texto inédito e o Prêmio SP nas categorias melhor espetáculo infantil e melhor autoria de texto adaptado.
Desde maio de 2019, a Catarsis Produções é associada à da ASSITEJ Brasil, através do Centro Brasileiro de Teatro para a Infância e Juventude (CBTIJ) e em outubro do mesmo ano passou a integrar a rede internacional Small Size Network!
Iniciou 2020 cumprindo uma temporada simultânea com seus dois espetáculos autorais – Scaratuja e É tudo família! – no Teatro Cacilda Becker / SP, de 11/01 a 02/02/2020, aos sábados e domingos e, em seguida, o espetáculo Scaratuja cumpriu uma temporada de 08 a 16/02/2020, no Teatro Vivo / SP, também aos sábados e domingos.

Ficha técnica
Dramaturgia: Tábata Makowisk
Direção e Cenografia: Marcelo Peroni
Trilha Sonora: Yuri Righi
Música Original: Yuri Righi e Pedro Cavallaro
Intérpretes Música Original: Bia Herrero e Vladimir Camargo
Criação de Luz: Rodrigo Gatera
Figurinos: Vladimir Camargo

Elenco:
Aline Volpi
Ana Paula Castro
Bia Herrero
Vladimir Camargo

Design Gráfico: Giovana Del Masso
Produção: Catarsis Arte para Infância e Juventude
Assessoria de Imprensa: Adriana Monteiro

Serviço:
Espetáculo juvenil In [Cubo] virtual – Estreia em 25 de julho
Temporada: Sábados e Domingos, às 18h30. Até 30 de agosto.
Duração: 60 minutos (sessão + bate-papo).
Classificação: Livre.
Ingressos: Grátis (projeto selecionado pelo ProAc Editais 2019)

A transmissão será feita pelo Canal do YouTube da influenciadora digital Bia Herrero.
Após as sessões, abriremos um bate papo via chat entre o público e a equipe do espetáculo e teremos também a presença da psicóloga Giovana Martini Orsi.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*