Jesus Cristo Superstar ainda causa polêmica

Nanda Rovere, do Aplauso Brasil (nanda@aplausobrasil.com)

"JESUS CRISTO SUPERSTAR". Divulgação
“JESUS CRISTO SUPERSTAR”. Divulgação

SÃO PAULO – Jesus Cristo Superstar foi criado nos anos 70 e tinha um caráter de contestação e luta pela liberdade num momento em que muitos países viviam sob ditaduras. O seu forte significado político foi reduzido, mas num mundo em que muitas injustiças ainda são cometidas em nome da religião, o musical não perdeu o seu sentido de quebrar tabus, visto que ainda há muitos preconceitos a serem combatidos.

Algumas manifestações contra a estreia de Jesus Cristo Superstar no Instituto Tomie Ohtake chamaram a atenção da mídia e mostram que a obra ainda causa polêmica. Não há desrespeito com relação à importância de Jesus e a sua trajetória. A obra traz sim reflexões sobre as suas ações e sentimentos, que são contraditórios apesar de suas pregações.

A ópera-rock Jesus Cristo Superstar mostra os últimos dias de Jesus, desde sua chegada em Jerusalém até o dia de sua morte, com destaque para o seu relacionamento com Maria Madalena.

Os profetas, além de Judas e Pilates ganham a atenção da trama, que não desrespeita dados históricos, mas humaniza Jesus, que chega a se revoltar e questionar o  porquê do seu sofrimento, além de colocar  os demais personagens como seres detentores de qualidades e defeitos.

Em cena, é mostrado o quanto ele era amado por muitos e odiado por outros, além de sua saga de condenado e a crucificação.

Apesar de sugerir um relacionamento amoroso entre Jesus e Madalena, o musical não tem apelo sexual e a sensualidade do protagonista serve para acentuar a figura de Jesus como um homem bonito e atraente, imagem que não foge muito aos seus retratos tradicionais.

Só que o Jesus do musical tem fraquezas e não aceita facilmente a morte.

Takla tirou a carga hippie de outras versões do musical e ressalta o rock e o seu poder de contestação.

Judas é roqueiro e as músicas trazem esse estilo musical com as letras traduzidas para o português.

O foco está na interpretação dos atores. Igor Rickli, Negra Li e Alirio Netto merecem aplausos, sem desmerecer o elenco todo. Graças ao elenco o musical não é cansativo.

Não há falas, os diálogos são cantados, o que exige mais preparo dos artistas em cena para interpretar, cantar sem desafinar e ainda cumprir as marcas de cenas.

O espetáculo tem dinamismo e algumas cenas coreografadas, mas sem dança, somente movimentações que contribuem para o desenrolar da história..

É uma superprodução, principalmente pelo número de profissionais envolvidos, com um cenário que contribui para que as cenas ganhem dinamismo e grandiosidade.

Só em alguns momentos há glamour, pois os figurinos são adequados e simples na maior parte do tempo. Jesus, assim usa roupas brancas e um manto. Os demais personagens estão de túnicas ou de jeans e camiseta..

Jesus Cristo Superstar é um espetáculo que merece ser visto sobretudo por sua importância histórica e pela competente equipe envolvida..

Equipe Técnica:

Direção  – Jorge Takla

Coreografia –  Anselmo Zolla

Direção Musical – Vânia Pajares

Designer de Luz – Ney Bonfante

Designer de Som – Fernando Fortes

Designer de Figurino – Mira Haar E Jorge Takla

Visagismo – Duda Molinos –

Cenografia – Jorge Takla e Paulo Correa

Versão Brasileira – Bianca Tadini e Luciano Andrey

ELENCO E PERSONAGENS

JESUS CRISTO – IGOR RICKLI

MARIA MADALENA – NEGRA LI

JUDAS ISCARIOTES – ALÍRIO NETTO

PÔNCIO PILATOS – FRED SIVEIRA

HERODES ANTIPAS – WELLINGTON NOGUEIRA

CAIFÁS – ROGERIO GUEDES

ANNÁS – JULIO MANCINI

SIMÃO, O ZELOTE – BETO SARGENTELLI

PEDRO – CADU BATANERO

SACERDOTE, GUARDA, DISCÍPULO – DANIEL CALDINI e MARCELO VASQUEZ

SACERDOTE, MATEUS – THIAGO LEMMOS

ANDRÉ – FELIPE GUADANUCCI

BARTOLOMEU – MURILO ARMACOLLO

FILIPE – GABRIEL CAMILO

JOÃO – SANDRO CONTE

TADEU – RENATO BELLINI

TIAGO MAIOR – BETO SOROLLI E FERNANDO LOURENÇÃO

TIAGO MENOR – TINNO ZANI

TOMÉ – PHILIPE AZEVEDO

ISABEL – JHAFINY LIMA

ESTER – ALESSANDRA DIMITRIOU

JOANA – OLIVIA BRANCO

MARIA SALOMÉ – THATI ABRA

MARTA – MARISOL MARCONDES

RUTH – NATHALIA MANCINELLI

SUSANNA – PAULA MIESSA

Serviço:

Jesus Cristo Superstar

Ministério da Cultura apresenta

Patrocínio: Smiles

Realização: TIME FOR FUN E Takla Produções

Temporada: de 14 de março a 08 de junho

Local: Teatro do Complexo Ohtake Cultural – (Rua dos Coropés, 88 – Pinheiros)

Horários: quintas e sextas, às 21h; sábados, às 17h e 21h; domingos, às 18h

Duração: 130 minutos em dois atos (com intervalo de 15min)

Ingressos: de R$ 25,00 (meia-entrada) a R$ 230,00

Classificação Etária: Classificação livre. Menores de 12 anos acompanhados dos pais ou responsáveis legais.

Capacidade: 627 lugares

Estacionamento com manobrista: R$25,00

 

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*