José Renato dirige Brecht no CPC – UMES

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (michel@aplausobrasil.com)

Produção do CPC - UMES, "Santa Joana dos Matadouros" estreia no Teatro Denoy de Oliveira

O fundador do antológico Teatro de Arena, José Renato, volta a dirigir um espetáculo produzido pelo Centro Popular de Cultura da União Municipal dos Estudantes Secundaristas (CPC-UMES). Desta vez trata-se de Santa Joana dos Matadouros, do alemão Bertolt Brecht, cuja estreia será nesta quinta-feira (4), 21h, no Teatro Denoy Oliveira.

Com 15 jovens atores e três músicos em cena, Santa Joana dos Matadouros se passa em Chicago, no início do século 20, no auge da “grande depressão” – um caos econômico no universo capitalista – e, por meio da ficção criada por Brecht – um dono de uma rede frigorífica que, para livrar-se da crise, desfaz-se da empresa e,assim, prolonga as aflições do desemprego e falta de dinheiro à classe proletária – para discutir as fricções criadas num plano que favorece os donos do capital, enquanto extingue quaisquer direitos dos trabalhadores.

José Renato, um dos fundadores do Teatro de Arena

José Renato acredita que as agruras passadas no início do século passado são próximas as enfrentadas em nossa atual crise.

Considero, pela minha experiência, esta encenação um espetáculo vivo, criado, em sua maioria, por atores jovens e motivados, e, por isso mesmo, polêmico e sujeito a alterações criativas”, diz.

Ficha Técnica:

Direção: José Renato

Tradução / Adaptação: Valério Bemfica

Direção Musical / Assistência de Direção: Luciano Carvalho

Cenografia: Cris Cortilio

Figurinos: Magê Blanques

Vídeos: Bernardo Torres

Operação Som / Luz / Vídeo: Ana Cristina Bezerra, Luz Lopes, Thiago Prates

Projeto Gráfico: Janaína Torres

Fotos: Marcelo Kahn

Cenotécnico: Cleyton Caetano

Maquinistas: Bruno Oliveira, Leandro Paneque, Luiz Aparecido do Carmo

Produção: CPC-UMES

Apoio de Produção: Forte Casa Teatro

Elenco (em ordem alfabética):

Alessandro Moura – Don Salvatore / Líder Operário

Alexandre Krug – Jack Pierpoint

Bruna Amado – Chapéu Negro / Operária

Daniel Rodríguez – Jovem Operário / Criador / Policial

Érika Coracini – Joana

Felipe Ormeni – Big Joe / Policial

João Ribeiro – Don Ambrosio

Luiza Maia – Chapéu Negro / Gazeteiro / Secretária / Operária

Magê Blanques – Dona Abiggail / Chapéu Negro

Mário Zanca – Don Giuseppe

Natália Grisi – Chapéu Negro / Dona Sarah / Operário

Rafael Marques – Chapéu Negro / Contramestre / Operário

Rebeca Braia – Bispa Bárbara / Chapéu Negro / Operária

Rogério Nagai – Operário / Criador / Policial

Wilson Mandri – Tommaso

Músicos:

André Teles – Músico / Segurança / Operário

Adriana Mioni – Músico / Operário

Luciano Carvalho – Músico / Narrador / Jornalista

Serviço:

A peça estréia no dia 4 de junho e fica em cartaz todos as sextas, sábados (21h) e domingos (19 h ). Ela será apresentada no Teatro Denoy de Oliveira, rua Rui Barbosa, 323, Bela Vista – Tel: 3289-7475

Ingressos: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (estudantes, terceira idade, classe artística e professores da rede estadual com carteira da APEOESP)

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*