Júri de Teatro da APCA cria categoria Avanço Digital para este ano e divulga indicados ao primeiro semestre de 2021

Cena da peça “O Híbrido”

EM REDE – Na segunda-feira (26), os jurados de teatro da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) se reuniram para decidir os indicados do primeiro semestre de 2021, de forma online.

Com a realidade da pandemia, os jurados já tinham repensado as categorias para 2020, que não teve uma votação no primeiro semestre, por exemplo. Com mais de um ano com o teatro online, híbrido e a arte, agora, dando os primeiros passos no novo presencial já é possível traçar um panorama artístico do mundo que se transformou. E em nome dessa transformação, os jurados incluíram uma categoria chamada avanço Digital.

A ideia foi indicar espetáculos que de alguma forma se apropriaram da tecnologia para recriar experiência que extrapolam o teatro e inovam, de forma inédita. Em O Híbrido, de Robson Catalunha, câmeras captavam imagens em 360º e causavam um efeito de realidade virtual, que colocou os espectadores em uma viagem para dentro da tela. Já em The Art of Facing Fear, da Cia Os Satyros, Rodolfo Garcia Vásquez conseguiu o feito de dirigir 25 interpretes, ao vivo em cinco continentes. Isso significa, que o grupo conseguiu usar o artifício digital para unir em uma obra todos os cantos do globo e apresentar isso ao vivo.

Além da categoria que buscou reconhecer a tecnologia, os espetáculos – online e presencial – apresentados até junho foram analisados pelos jurados da APCA até que se chegasse a cinco indicados para o primeiro semestre.

Na reunião virtual também foi discutido o Prêmio Especial, mas assim como nos anos anteriores, o vencedor só será divulgado após a reunião final da associação.

Ficou em aberto ainda quantos serão os prêmios dados por teatro em 2021. A lista final e o número de obras ou pessoas contempladas serão também divulgados após reunião final. Em 2020, a área de teatro diminuiu o número de categorias de sete para três, por entender a excecionalidade causada pela pandemia, mas também a importância em reconhecer a resistência do fazer artístico.

Conheça os indicados do primeiro semestre de 2021

 ESPETÁCULOS

. Desfazenda – Me Enterrem Fora Desse Lugar (Cia O Bonde)

. Dora (Atuação Sara Antunes)

. Monstro (Dramaturgia e atuação Ricardo Corrêa)

. Sede (Cia Triptal)

. Terra Medeia (Direção Bim de Verdier)

 

PRÊMIO AVANÇO DIGITAL

O Híbrido, de Robson Catalunha, pelo caráter tecnológico inovador

The Art of Facing Fear, da Cia Os Satyros, pelo ineditismo de Rodolfo Garcia Vásquez em dirigir 25 intérpretes ao vivo em cinco continentes

Críticos Votantes: Celso Curi, Edgar Olimpio de Souza, Evaristo Martins de Azevedo, Gabriela Melão, José Cetra, Kyra Piscitelli, Marcio Aquiles, Maria Eugênia de Menezes, Miguel Arcanjo Prado e Vinicio Angelici

Kyra Piscitelli

Kyra Piscitelli é jornalista formada pela Universidade Metodista de São Paulo e fez pós-graduação em Globalização e Cultura pela Faculdade de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP). Escreve sobre teatro e arte desde de 2009. Integra os Juris da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) e do Prêmio Aplauso Brasil. Ávida por conhecimento, se não está em viagem ou estudo, só há um lugar para achá-la: o teatro!