Jussara Silveira canta para Clarice Lispector

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (michel@aplausobrasil.com)

 

Jussara Silveira e Eucanaã Ferraz apresentam OUTRA HORA DA ESTRELA
Jussara Silveira e Eucanaã Ferraz apresentam OUTRA HORA DA ESTRELA

SÃO PAULO – Os nomes que ocupam o Olimpo do universo artístico brasileiro dispensam quaisquer datas comemorativas para receberem homenagens. Esse é o caso da escritora Clarice Lispector, ucraniana naturalizada brasileira, cujo livro A Hora da Estrela (1977) protagoniza o show Outra Hora da Estrela que o Teatro Anchieta do SESC Consolação apresenta apenas amanhã e quarta (8), às 21h, com músicas interpretadas pela superlativa Jussara Silveira.

Além de assinar e dirigir a adaptação líero-musical de Lispetor, o poeta Eucanaã Ferraz divide o palco com Jussara. Enquanto esta interpreta “canções brasileiras que ajudam a recontar a história e criar a atmosfera clariceana”, Eucanaã narra trechos escolhidos do livro.

O espetáculo reconta a saga de Macabéa, migrante nordestina em luta pela sobrevivência na cidade grande e, a um só tempo, o drama de seu narrador – máscara ficcional de Clarice –, que luta com a escrita para conseguir retratar um personagem distante de sua realidade socioeconômica. Misturam-se a dor, o humor e reviravoltas, como na relação entre Macabéa e seu namorado, o operário Olímpico, nordestino como ela, rude e vaidoso, que a abandona para ficar com Glória, carioca, sensual e confiante.

O roteiro, idealizado pelo poeta Eucanaã Ferraz, que também dirige a cena – reúne canções de épocas e estilos diversos. Estão, lado a lado, composições de Caetano Veloso, Ary Barroso, Nelson Cavaquinho, Chico Buarque, Arnaldo Antunes, Elomar e Gilberto Gil, entre outros.

 

Ficha técnica

Eucanaã Ferraz – diretor e narrador

Jussara Silveira – intérprete

Muri Costa – violão

Sacha Amback – piano

Marcelo Costa – percussão

Christiane Amback – produtora executiva

 

Repertório: Janelas  abertas  nº2 (Caetano Veloso), No dia em que eu vim-me embora (Gilberto Gil e Caetano Veloso), O nome da cidade (Caetano Veloso), Noite (Orlando Moraes e Antonio Cicero), José (Caetano Veloso), Tudo dói (Caetano Veloso), O pidido (Elomar), Uma furtiva lágrima (Ary Barroso), O passarinho do relógio – Cuco! (Haroldo Lobo e Milton de Oliveira), Invejoso (Arnaldo Antunes e Liminha), Da gema(Caetano Veloso), O ciúme (Caetano Veloso), Luz negra(Nelson Cavaquinho e Amâncio Cardoso), Tenha pena de mim,(Ciro de Souza, Max Bulhões e Milton de Oliveira), As cartas(Chico Buarque), Cajuína (Caetano Veloso), Ave Maria (Vicente de Paiva e Jaime Redondo), A hora da estrela de cinema(Caetano Veloso e Wally Salomão).

 

Serviço:

Dias 7 e 8 de janeiro, terça e quarta, às 21h. Duração: 70 minutos.

A partir de 12 anos.

Preços: R$ 20,00 (inteira); R$ 10,00 (usuário matriculado no SESC e dependentes, +60 anos, estudantes e professores da rede pública de ensino). R$ 4,00 (trabalhador no comércio e serviços matriculado no SESC e dependentes). 

Teatro Anchieta. Lotação: 280 lugares.

 

Sesc Consolação

Rua Dr. Vila Nova, 245

Tel: 3234-3000

 

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado