Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (michel@aplausobrasil.com)

Michel Fernandes por Max Bruno
Michel Fernandes por Max Bruno

Eis que renasce o desejo de compartilhar com vocês algumas ideias sobre diferenças, sejam sexuais, físicas, culturais e sociais que expressava no blog KadeiraSutra. Retornarei a assuntos sobre as diversidades humanas em artigos mensais e notas em que o momento disser: “Posicione-se!”, com o acréscimo desse imperativo retomo o KadeiraSutra republicando artigos que expressam bem o “espírito” de sua temática.

Gerda König
Gerda König

 

Junho de 2006

 

As muitas maneiras de desejar um bom dia

 

Depois de quase um mês sem publicar nenhum texto novo aqui no KadeiraSutra é chegada a hora da prestação de contas: fui para a Alemanha para dançar no espetáculo VIA SEM REGRA, que integra o projeto Dance Meets Differences da companhia alemã DIN A 13 TANZCOMPANY, que, como o próprio título do projeto diz, pretendia aproximar as diferenças por meio da dança.

 

Sim, a proposta da DIN A 13 conseguiu um longo alcance de seu ideário. Não apenas as diferenças corporais se encontraram sobre o palco – já que a cia. alemã tem como particularidade mixar bailarinos portadores e não portadores de deficiência –, mas diferenças culturais, sociais, econômicas e todas as diferenças inerentes a cada indivíduo – que, certamente, o faz singular – se encontraram nesse projeto finalizado em Köln e Düsseldorf.

 

Um simples “bom dia” evidenciou o quanto há de possibilidades em expressar-se. Não importa o como dizemos – “guten morgen”, “good morning” ou “habari/ musuri” (não estou certo quanto à grafia, mas esse é o “bom dia” dos quenianos) -, porque o desejo de que o dia da pessoa a quem cumprimentamos seja extraordinariamente bom é o mesmo.

 

Quenianos, brasileiros, alemães, ingleses, suíços, gregos etc, tem suas particularidades, uma espécie de ponto que sinaliza sua nação ímpar como cultura – num sentido antropológico -, mas, ao mesmo tempo similaridades ancestrais que distingue sua interface de outros seres vivos.

 

 Gerda König, diretora artística da DIN A 13 TANZCOMPANY e idealizadora do Dance Meets Differences, conseguiu mostrar que existem novas possibilidades estéticas, outras maneiras de dançar e expressar ideias a partir de nossos movimentos quando observamos, atentamente, as diferenças.

 

Assim é o amor. Existem várias formas de expressarmos nossos desejos e nenhum é melhor que o outro. Amar alguém do mesmo sexo tem igual valor e dignidade de um amor heterossexual.

 

Enfim, o universo oferece várias formas de Estar. O único ônus que temos com o cosmos, para um Estar bem, é ser sincero e verdadeiro consigo mesmo. Só assim é possível Estar completo na vida.

 

Essa foi uma das melhores coisas que compreendi a partir dessa viagem e essa compreensão deverei eternamente à Gerda König.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado