“Leilão Solidário”: Projeto PALCO encontra resposta artística para equação vinda com pandemia

SÃO PAULO – Culminando com o Leilão Solidário Pelas Janelas do Jaguaré, proposta em que 21 moradores da comunidade do Jaguaré registraram poeticamente o que viam de suas janelas enviando vídeo do material a 21 artistas plásticos – cujos trabalhos participam do leilão virtual (até o próximo dia 23), é fruto de uma série de ações artísticas realizadas pelo projeto PALCO, direcionado a auxiliar famílias carentes do Jaguaré diante da pandemia do COVID-19, local atendido pelo projeto.

Tudo começou com ação de um buffet (Flor de Mandacaru) para arrecadação de cestas básicas enviadas a 30 famílias.

“Contribuí como pessoa física e vi que o Projeto PALCO poderia ser parceiro e, juntos, atendermos mais famílias de mais comunidades do bairro Jaguaré. Deste modo, pensamos em atuar com diferentes ações para conseguirmos mais recursos”, conta Leandro Oliva, ator, criador e responsável pelo Projeto PALCO.

Nasciam então ações como Jaguaré Solidário (doação direta de cestas básicas, itens de limpeza e higiene), Adoça Jaguaré (doação de ovos de chocolate na Páscoa), Entre costuras e cuidados (distribuição de máscaras e obtenção de recursos para contratarmos costureiras do território para produção), além, é claro, do Leilão Solidário Pelas Janelas do Jaguaré.

“Como o Projeto PALCO é um projeto com diferentes linguagens artísticas, queríamos envolver a comunidade, conseguir mais cestas básicas com arte e desejamos obter recursos para artistas periféricos. Assim, nasceu a ação Pelas Janelas do Jaguaré. O artista Gian Di Sarno se ofereceu para pintar uma obra e doar os recursos para a campanha. Fomos além: convidamos moradores de diferentes idades do Jaguaré a registrarem poeticamente o que viam de suas janelas durante a pandemia. Enviamos os 60 vídeos, poemas e fotografias realizados por 21 moradores para 20 artistas visuais. Ao longo do mês de abril, as obras foram produzidas e, desde 3 de maio estão sendo leiloadas via plataforma virtual e.solidar”, conta.

Absolutamente adequada às recomendações da OMS (Organização Mundial da Saúde) de isolamento social, a ação é toda realizada por meio das redes virtuais (e-mail, whatsapp, instagram, entre outros).

“Recebemos os registros poéticos dos moradores por WhatsApp e enviamos para os artistas. Cada artista produziu sua obra com materiais que tinha na própria casa. Os moradores olharam para fora de suas janelas e os artistas foram convidados a olhar para dentro. Ao terminarem as obras, os artistas enviaram, por e-mail, até três fotos de sua produção. Também por e-mail enviamos para a plataforma e.solidar, cuja base fica em Portugal. A equipe da plataforma publicou todas as obras e informações em um site que é público. Assim, todos podem acessar e darem seus lances”, afirma Oliva.

Um dos objetivo da ação Pelas Janelas do Jaguaré, promover um “diálogo entre os moradores das comunidades e favelas do Jaguaré e os artistas, alguns de outras regiões periféricas da cidade, outros de outra cidade conhecidos do grande público, como (o estilista) Ronado Fraga” foi atingido com sucesso.

Entretanto, segundo Leandro, mesmo que seja “lindo de ver” a repercussão da ação pelas redes sociais alcançadas a adesão financeira à ação, que contou com a participação de moradores de 5 a 73 anos de idade, ainda está baixa (colabore!): “nossa rede do projeto PALCO e do Jaguaré, não atinge a elite econômica nem a grande mídia, infelizmente”.

Com o objetivo de angariar mais recursos – sendo 60% desses serão destinados à compra e distribuição de mais cestas básicas, itens de higiene e limpeza para as famílias que vivem em vulnerabilidade social no Jaguaré e 40% será destinado aos artistas periféricos convidados, como Nene Surreal, Guinho Nascimento, Viviane Lira, entre outros – quanto maior o número de pessoas divulgando e participando ativamente dando lances, maior a possibilidade de ajudar as famílias do Jaguaré.

“Temos a alegria de ter artistas como o (já citado) estilista Ronaldo Fraga, a atriz Maria Fernanda Cândido e o ator Marcello Airoldi que, por conhecerem o projeto, apoiam a divulgação de algum modo”, cujos vídeos em apoio circulam pela rede, são citados por Oliva.

Lembrando que em 2016 o projeto PALCO foi o grande vencedor na categoria Destaque (Voto Popular e Júri Técnico) do Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Quatro anos depois, o Aplauso Brasil convida você leitor a participar do Leilão Solidário Pelas Janelas do Jaguaré que vai até às 23h59 do dia 23 de maio, sábado.

“Com os lances dados até o momento, conseguimos ultrapassar R$ 5.745,00 (o leilão pode arrecadar R$ 8.180,00, basta você ajudar), o que equivale a entregar cestas básicas, itens de limpeza e higiene para, aproximadamente, 40 famílias em um território onde vivem mais de 2.000. Com a ação Jaguaré Solidário atendemos 542 famílias desde o dia 30 de março. Aos poucos e com a participação da sociedade civil vamos conseguindo atender mais moradores. A fome e o desemprego tomaram as favelas de forma avassaladora. Precisamos de políticas públicas. As ações e campanhas de solidariedade são emergenciais, não há fôlego para mais três meses no nosso caso, dependemos de doações. Onde está o governo? As pessoas estão morrendo!”, conclui.

 

 

 

 

 

 

 

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.