Livro Love Letters Of Great Men inspira espetáculo de dança

Antonio Júnior (junior@aplausobrasil.com)

Cia. Sociedade Masculina de Dança e Studio 3 dançam juntas

A Cia. Sociedade Masculina – única do País formada exclusivamente por homens – e o Studio3 Cia. de Dança apresentam Para Todo O Sempre, nesta terça-feira (30), no Teatro Alfa, em São Paulo. Numa iniciativa de Vera Lafer e Adriane Galisteu, a renda obtida será totalmente revertida ao Instituto de Infectologia Emílio Ribas, em prol do tratamento de pacientes com AIDS. Cada ingresso custa R$ 120 (R$ 60 meia-entrada).  Também estarão à venda no foyer do teatro camisetas da campanha De Cara com a Vida, assinadas pela Iódice.

Inspirada no livro Love Letters of Great Men, de Úrsula Doyle, a montagem concebida pelo coreógrafo Anselmo Zolla unifica em cena o trabalho das duas companhias. A criação transmite impressões de amor nas variadas formas. Elas tornam-se o fio condutor da dança contemporânea para retratar sentimentos de paixões arrebatadoras e finitas, assim como também o desfecho matrimonial.

Subdividida em quatro tempos – cada um baseado em uma carta de amor – a coreografia percorre nuances típicas do sentimento amoroso como a expressão do desejo animal, afeto romântico, protecionismo, zelo e término do relacionamento. Sua concepção traz sequências distintas, sem interlocução entre uma passagem e outra, com um olhar moderno sob a dança por meio do trabalho cênico-teatral que será utilizado pela primeira vez pelas companhias. Para transição temática da dança, as cartas de amor que serviram de inspiração serão recitadas ao vivo para o público presente, por meio de um bailarino-ator.

Cia. Sociedade Masculina de Dança

Ao trabalhar a coreografia, que marca a união de talentos da Cia. Sociedade Masculina e Studio3 Cia. De Dança, Anselmo Zolla analisou o perfil dos grupos para configurar o estilo das roupagens, iluminação e cenário que complementarão o trabalho.

“A ideia é que o figurino seja todo branco, para remeter à idéia de enlace matrimonial. A tonalidade branca exposta pelo cenário deve refletir sobre os bailarinos, de modo que tudo seja clean e transmita a idéia de frieza sem interferências na apresentação”, explicou.

Diante de uma trilha sonora que inclui arranjos de Villa Lobos, Ravel, Puccini, entre outros, o corpo de dança formado por 18 bailarinos desfaz-se do apego à identidade, para expressão de um trabalho conjunto e alinhado. Por meio da dança, o processo criativo busca tornar os desafetos do âmago em algo expressivamente doce e poético. Os movimentos evidenciam desde situações de exibicionismo, que remetem à corte, até a repulsa que remetem à separação. O conjunto de movimentos dá visão mais plena da complexidade dos relacionamentos amorosos.

FICHA TÉCNICA

Para Todo O Sempre

Criação e Coreografia: Anselmo Zolla

Direção Musical: Felipe Venâncio

Cenário: Anselmo Zolla

Figurinos: Walter Rodrigues

Desenho de Luz: Anselmo Zolla e Joyce Drummond

Duração: 70 minutos

CIA. SOCIEDADE MASCULINA E STUDIO 3
TEATRO ALFA

Local: Rua Bento Branco de Andrade Filho, 722 – Santo Amaro

Dia e Horário: 30 de março (terça-feira), às 21h

Ingressos: R$ 120 (com direito a meia-entrada)

Compra – Bilheteria do Teatro Alfa: 11 5693.4000 e 0300 789-3377 ou www.ingressorapido.com.br, Hospital Emílio Ribas e lojas Iódice.

Capacidade: 1100 lugares / Classificação etária:12 anos/ Duração: 70 min sem intervalo

Infra-estrutura: Acesso para deficientes / Ar Condicionado / Estacionamento: O teatro não possui estacionamento próprio

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.