Logo mais confira os vencedores do Prêmio Shell de Teatro SP

Michel Fernandes, especial para o Último Segundo (michel@aplausobrasil.com)

Fernando Peixoto é o homenageado da noite

Hoje à noite, no restaurante Estação São Paulo, em Pinheiros, a cerimônia de entrega do 22º Prêmio Shell de Teatro revelará os melhores, segundo a comissão julgadora, do teatro paulistano. Estaremos lá para conferir e revelar a você, nosso leitor.

Sempre surpreendendo, o Prêmio tem indicações para medalhões como Fernanda Montenegro (Viver Sem Tempos Mortos) e Elias Andreato (Doido), respectivamente nas categorias Melhor Atriz e Melhor Atriz, à iniciativas inéditas como o projeto Teatro Para Alguém, site dedicado à exibição de teatro filmado para a Internet.

O homenageado da noite é Fernando Peixoto (CLIQUE AQUI para saber mais sobre ele).

Quem você premiaria? Confira a lista de indicados:

Autor:

(2º semestre)

–          José Fernando Azevedo por “Cidade desmanche”

–          Paulo Faria por “Meio dia do fim”

–          Rafael Primot por “O livro dos monstros guardados”

(1º semestre)

–          Eduardo Ruiz por “Chorávamos terra ontem à noite”

–          Pedro Cesarino por “Raptada pelo raio”

Direção:

(2º semestre)

–          José Henrique de Paula por “As troianas – vozes da guerra”

–          Marcio Aurelio por “Anatomia frozen”

–          Newton Moreno por “Memória da cana”

(1º semestre)

–          Francisco Medeiros por “Réquiem”

–          Marco Antonio Rodrigues por “Querô, uma reportagem maldita”

–          Rodolfo García Vázquez por “Justine”

Ator:

(2º semestre)

–          Danilo Grangheia por “Cardenio”

–          Elias Andreato por “Doido”

–          Walter Breda por “O fantástico reparador de feridas”

(1º semestre)

–          Eduardo Okamoto por “Eldorado”

–          João Miguel por “Só”

Atriz:

(2º semestre)

–          Gilda Nomacce por “Music hall”

–          Mariana Muniz por “O fantástico reparador de feridas”

(1º semestre)

–          Betty Faria por “Shirley Valentine”

–          Fernanda Montenegro por “Viver sem tempos mortos”

–          Juliana Galdino por “Comunicação a uma academia”

Cenário:

(2º semestre)

–          Marcelo Andrade e Newton Moreno por “Memória da cana”

–          Rosângela Ribeiro por “A falecida vapt-vupt”

(1º semestre)

–          Daniela Thomas por “Viver sem tempos mortos”

–          Simone Mina por “Raptada pelo raio”

Figurino:

(2º semestre)

–          Leopoldo Pacheco por “Memória da cana”

–          Wanda Sgarbi por “O capitão e a sereia”

(1º semestre)

–          Gabriel Villela por “Vestido de noiva”

–          Inês Sacay por “Réquiem”

Iluminação:

(2º semestre)

–          Eduardo Reyes por “Memória da cana”

–          Luiz Päetow por “Music hall”

(1º semestre)

–          Alessandra Domingues por “Raptada pelo raio”

–          Alessandra Domingues por “Só”

–          Rodolfo García Vázquez por “Justine”

Música:

(2º semestre)

–          Fernanda Maia por “As troianas – vozes da guerra”

–          Marco França por “O capitão e a sereia”

–          William Guedes por “Concerto de ispinho e fulô”

(1º semestre)

–          Bruno Perillo por “Querô, uma reportagem maldita”

–          Daniel Maia por “Vestido de noiva”

Categoria especial:

(2º semestre)

–          Companhia do Tijolo pela pesquisa e criação do espetáculo “Concerto de ispinho e fulô”

–          Site “Teatro para alguém” pela iniciativa da criação cênica via internet

(1º semestre)

–          Cia. São Jorge de Variedades pela pesquisa e criação do espetáculo “Quem não sabe mais quem é, o que é e onde está, precisa se mexer”

Homenagem:

–          Ao diretor, ator, ensaísta e tradutor Fernando Peixoto pela contribuição ao teatro brasileiro.

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

4 Comentários
    1. Eu assisti a esta peça “Memórias da Cana” e é totalmente compreensível a quantidade de indicações!! Gostaria de saber agora as premiações, quais foram??

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*