A MÁ COMPANHIA PROVOCA ENCENA REALITY SHOW COM DOENTES TERMINAIS

Redação do Aplauso Brasil (redacao@aplausobrasil.com.br)

"Reality (final)" com Flávia trongolli e Maura Hayas. Foto/Crédito: Leekyung Kim
“Reality (final)” com Flávia trongolli e Maura Hayas. Foto/Crédito: Leekyung Kim

SÃO PAULO- A Má Companhia estreia Reality (final), que mostra as últimas semanas de vida de uma atriz decadente. Ela está doente e acaba aceitando o convite de um canal de TV para participar de um reality show. Com texto de Michelle Ferreira e direção de Ramiro Silveira, a peça estreia quinta, 6, às 20h30, no Sesc Pinheiros. No elenco, além de Michelle, estão Flávia Strongolli, Maura Hayas e Solange Akierman e os atores convidados Paula Brandão e André Corrêa.

Reality (final) conta a história de Eva Lo Brac, atriz que fez muito sucesso na TV, mas foi afastada da mídia em virtude do seu espírito anarquista. Falida e com câncer, ela deixa o orgulho de lado e tenta conseguir através do programa de TV, de caráter sensacionalista, uma vida mais confortável.

O reality é sobre doentes terminais e o apresentador é um médico narcisista que também atua como animador de auditório. O programa é tão absurdo que para ser o vencedor, o participante precisa comover mais o público e conseguir morrer por último. São personagens que estão doentes e as suas vidas particulares estão em crise.

Segundo o diretor Ramiro Silveira, a dramaturgia é original e, apesar da história mórbida, propõe uma reflexão sobre a vida e seus limites¨. “É admirável a forma com que Michelle Ferreira aborda temas considerados ‘pesados’ mas sensivelmente humanos e, portanto, urgentes”, diz Silveira.

A dramaturga e atriz Michelle Ferreira declara que Reality (final) fala especialmente das várias relações entre mãe e filha e do legado que as pessoas sonham em deixar com a sua morte. “O texto não é só uma crítica aos realitys shows, pois com isso eu estaria chutando cachorro morto”, brinca ela.

A encenação prima pela simplicidade e o foco da direção está na interpretação dos atores. A luz tem importância fundamental, assim como os figurinos, que além de coloridos, ganham novas funcionalidades de acordo com as cenas. A trilha sonora traz composições originais e releituras de sucessos dos anos 80 e 90.

Sobre a Má Companhia Provoca

Criada em 2011, A Má Companhia Provoca trabalha com textos exclusivamente brasileiros, inéditos, relevantes dentro da dramaturgia contemporânea, seja na temática, na linguagem, na forma ou no modo de construção. A intenção é produzir obras atuais e promover questões que são urgentes com o objetivo de criar em cada trabalho um território de comunicação sem hierarquia entre o objeto (a peça) e seu espectador. Os Adultos Estão na Sala foi o primeiro texto encenado do grupo e teve excelente aceitação de público e crítica, tendo cumprido seis temporadas de sucesso – Sesc Pinheiros (março/abril 2013), Teatro Cemitério de Automóveis (junho 2013), CIT-ECUM (julho/agosto 2013), TUSP (agosto/setembro 2013), Teatro João Caetano (dezembro 2013) e Teatro Martins Penna (fevereiro/março 2014),  além da participação nos festivais XIII Fester (RJ), Fenata (PR), Janeiro Brasileiro da Comédia (SP) Extrema Mostra Teatro (MG) e circulação por diversas cidades do interior de São Paulo (rede Sesc) e pelo Circuito Cultural Paulista. A peça recebeu duas indicações ao Prêmio Shell 2013 (melhor texto e melhor atriz)  e uma indicação ao prêmio da Cooperativa Paulista de Teatro  (melhor elenco). Fazem parte da companhia Flavia Strongolli, Maura Hayas, Michelle Boesche, Michelle Ferreira, Ramiro Silveira e Solange Akierman.

Ficha Técnica:

Texto – Michelle Ferreira.

Direção – Ramiro Silveira.

Elenco – Flávia Strongolli, Maura Hayas, Paula Brandão, Michelle Ferreira, Solange Akierman e André Corrêa.

Assistente de Direção – Leonardo Santiago.

Figurinos – Carlos Ramiro Fensterseifer.

Design de Luz– Ariene Godoy.

Trilha Sonora – Ricardo Bertran.

Projeto Gráfico – Maura Hayas.

Direção de Produção – Ricardo Grasson.

Assistente de Produção – Cícero Andrade.

Produção – Gelatina Cultural.

Idealização – A Má Companhia Provoca.

Serviço:

Reality (final)

SESC PINHEIROS – Auditório – Rua Paes Leme, 195 – Pinheiros. Fone: (11) 3095-9400. Duração – 55 minutos. Espetáculo recomendável para maiores de 16 anos. Temporada – Quinta-feira a sábado às 20h30. Ingressos – R$ 25,00; R$ 12,50 (usuário matriculado, estudante com carteirinha e aposentado) e R$ 7,50 (trabalhador no comércio e serviços matriculado e dependentes). Até 13 de dezembro. Acesso para deficientes físicos.Bilheteria – De terça a sábado das 10 às 21 horas e domingos e feriados das 10 às 18 horas (ingressos à venda em todas as unidades do SESC). Capacidade do Auditório – 101 lugares. Estacionamento com Manobrista – Terça a sexta-feira, das 7 às 21h30, sábado das 10 às 21 horas e domingo e feriado, das 10 às 19 horas – horários especiais para a programação do teatro. Taxas: Matriculados no SESC – R$ 6,00 as três primeiras horas e R$ 1,00 – a cada hora adicional. Não matriculados no SESC – R$ 8,00 as três  primeiras horas e R$ 2,00 – a cada hora adicional. Para atividades no Teatro – Preço único: R$ 6,00. (vagas limitadas). www.sescsp.org.br.