Marco Antônio Pâmio e Vera Zimmermann vivem casal no teatro

Nanda Rovere, do Aplauso Brasil (nanda@aplausobrasil.com.br)

"O Terraço" - foto de Erik  Almeida
“O Terraço” – foto de Erik Almeida

SÃO PAULO – O premiado texto O Terraço, do francês Jean-Claude Carrière, estreia sexta-feira (18) no Teatro Nair Bello, às 21h30. A direção é de Alexandre Reinecke, tradução de Henrique Benjamin. Elenco: Vera Zimmermann, Marco Antônio Pâmio, Ilana Kaplan, Marat Descartes, Henrique Stroeter, Flávia Teixeira e Hugo Coelho. Figurino de Paula Sabbatini. Assistente de direção: Carol Mariottini. Mira Andrade assina a cenografia e Fran Barros, a iluminação.

A peça apresenta a disputa do terraço de um apartamento em virtude da separação de um casal: Madeleine (Vera Zimmermann) e Etiènne (Marco Antônio Pâmio).

"O Terraço" - foto de Erik  Almeida
“O Terraço” – foto de Erik Almeida

O imóvel será alugado e começa a ser visitado por diversas pessoas que estão interessadas na locação.

As cenas transportam o espectador para uma ponte entre o real e o fantástico:  enquanto o casal vive um drama real, os demais personagens são figuras estranhas, engraçadas e metafóricas.

O terraço é o local onde acontecem situações inusitadas e que revelam, através dos estereótipos do cotidiano, os desejos e ambições humanas.

"O Terraço" - foto de Erik  Almeida
“O Terraço” – foto de Erik Almeida

Ilana Kaplan é a competente corretora. Marat Descartes interpreta o interesseiro Sr. Astruc. Henrique Stroeter dá vida ao passional Maurice, que tenta o suicídio no terraço.  Por fim, Hugo Coelho faz um General cego e Flávia Teixeira, a esposa Dalloz, que empurra o marido no terraço.

Enquanto essas situações bizarras e cômicas estão acontecendo, o casal Madeleine e Etiènne mantém o clima pesado e discutem a relação.

Os protagonistas ficam um pouco à margem desse universo em que impera o humor: ¨eles estão num clima mais tenso e interiorizado, num permanente jogo de tensão e distensão¨, conta Marco Antônio Pâmio.

¨ Madeleine e Etiènne estão quase numa trilha paralela, permeada pelo clima de tensão constante da separação que está prestes a acontecer. ¨Sempre que começam a “discutir a relação”, surge a interferência de algum estranho ao mundo deles¨, diz o ator

Sobre a direção, Pâmio, que trabalha pela primeira vez com Alexandre Reinecke, declara que a leitura da encenação para o texto do Carrière é muito inteligente, pois honra o equilíbrio delicado entre comédia e drama presentes ao longo da dramaturgia.

"O Terraço" - foto de Erik  Almeida
“O Terraço” – foto de Erik Almeida

¨O Alexandre consegue manter o clima tenso em que se encontra o casal, mas explora todas as possibilidades cômicas dos possíveis locatários e da corretora de móveis. Ele tem mão firme em suas escolhas, além de ter um diálogo muito bom com os atores. Tem sido um prazer trabalhar com ele¨, afirma o ator.

Vera Zimmermann, que assim como Pâmio trabalha pela primeira vez com Reinecke, também elogia o elenco e o diretor. Ela está adorando a experiência: ¨ O Alexandre é um diretor muito objetivo que sabe o que quer. Me senti muito segura sendo conduzida por ele, foi um processo tranquilo e prazerozo¨, declara.

¨É bom trabalhar com grandes atores é nessa hora que agente tem certeza que escolheu a profissão certa. Nós nos divertimos muito juntos e a harmonia tem nos acompanhado do inicio ao fim.¨, diz a atriz sobre os parceiros de palco.

Vera conta que assim que leu o texto ficou “apaixonada¨.

“Achei que essa era a peça perfeita para ser nosso primeiro trabalho juntos. Acho o texto genial. Jean Claude Carrière coloca um casal que vai se separar numa situação inusitada. Foi isso que me interessou, essa estranheza, essa loucura que acontece no meio de um rompimento¨, destaca.

Foi um desafio para a atriz interpretar uma personagem realista no meio de outros personagens cômicos. ¨Fiz muito pouco teatro realista e sempre tive curiosidade de fazê-lo. Não é a mesma coisa que televisão. Demorei pra me sentir à vontade, mas consegui. Adoro esse tipo de desafio. É isso que me move na profissão¨, finaliza.

O diretor, por sua vez, elogia o elenco e o autor Jean-Claude Carrière, que para ele é dos maiores roteiristas do século XX: “O Terraço explora a loucura humana, latente no nosso dia a dia, por meio de personagens quase alegóricos. Eles têm um tom acima do que é considerado comum”, diz Reinecke, que ressalta na sua encenação o encontro entre o real e o fantástico que a obra propõe.

O Terraço fica em cartaz até o dia 31 de março.

Ficha técnica:

Texto: Jean-Claude Carrière

Tradução: Henrique Benjamin

Direção: Alexandre Reinecke

Assistente de direção: Carol Mariottini

Elenco: Vera Zimmermann (Madeleine), Ilana Kaplan (Corretora), Marat Descartes (Sr. Astruc), Marco Antônio Pâmio (Etiènne), Henrique Stroeter (Maurice), Flávia Teixeira (Sra. Dalloz) e Hugo Coelho (Sr. Dalloz).

Cenografia: Mira Andrade

Figurino: Paula Sabbatini

Iluminação: Fran Barros

Visagismo: Paula Sabbatini e Roberta Estevão

Sonoplastia: João Maya e Henrique Benjamin

Produção executiva: Fabio Hilst

Direção de produção: Beti Antunes

Coordenação geral de projeto: Henrique Benjamin

Design gráfico e fotos: Erik Almeida

Realização, idealização e produção: HB Produções

Produtora associada: Enjoy Arts

Patrocínio: 3M do Brasil

Copatrocínio: Vedacit

Apoio: Porto Seguros e ProAC – Programa de Ação Cultural do Estado de São Paulo

 

Serviço:

O Terraço

Teatro Nair Bello (Shopping Frei Caneca)

Rua Frei Caneca, 569, 3º Piso, 401A– Consolação/SP – Tel: (11) 3472-2414 begin_of_the_skype_highlighting (11) 3472-2414 end_of_the_skype_highlighting

Temporada: sexta (21h30), sábado (21h) e Domingo (19 horas) – Até 31/3/13

Ingressos: R$ 40,00 (sexta), R$ 60,00 (sábado) e R$ 50,00 (domingo)

Gênero: Comédia – Duração: 80 min – Capacidade: 200 lugares

Ingressos antecipados: www.ingresso.com.br (4003-2330). Aceita cartões (todos).

Ar condicionado. Acesso universal. Estacionamento: R$ 7,00 (por 2h).

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*