Marcos Oliveira estreia peça sobre a velhice

Redação do Aplauso Brasil (redacao@aplausobrasil.com.br)

"Biografia Não Autorizada"
“Biografia Não Autorizada”

SÃO PAULO – Marcos Oliveira, o Beiçola do seriado A Grande Família, estreia a comédia Biografia Não Autorizada na sexta (1º de março), às 21h30, no Teatro MuBE Nova Cultural. O texto é de Daniel Torrieri Baldi e Maristela Bueno. Direção: Jair Assumpção. Elenco: Marcos Oliveira  e Tiago Robert.

Biografia Não Autorizada apresenta as alegrias e tristezas da velhice. Conta a história de um ator, Modesto Valadares, que aos sessenta anos de idade, esquecido pela mídia, resolve escrever a sua biografia. Ele quer se vingar de todos que prejudicaram a sua carreira.

Depois de uma trajetória de estrelato, o ator está na miséria e vive solitário num pequeno apartamento, com as lembranças do passado.

Para tentar amenizar a sua tristeza, Valadares bebe e usa remédios. O sonho e a realidade se misturam.

Valadares trava um debate com a sua consciência (Tiago Robert). Tem que aprender a encarar a dura realidade em que vive.

“A consciência provoca, instiga e questiona; revela o indizível. Quem sairá vitorioso nesse embate? ¨, diz o diretor Jair Assumpção.

"Biografia Não Autorizada"
“Biografia Não Autorizada”

Segundo Assumpção, a peça tem o mérito de discutir, com humanidade, comicidade e ironia, questões como sorte, imaturidade, vaidade e a não percepção da realidade à sua volta.

Biografia Não Autorizada também mostra as dificuldades na vida dos atores, que apesar de atuar numa área em que a profissão é regulamentada, não têm a atenção merecida na velhice:

¨Este texto revela o saber irônico da comédia da vida com sua dor física, moral e emocional. O público vai se identificar com a humanidade da personagem, que traz a comédia nas memórias absurdas e a visão cômica do real”, destaca o diretor.

Marcos Oliveira salienta que o seu personagem retrata a realidade de brasileiros que um dia conheceram a fama e depois ¨caíram no esquecimento: “Muitos atores passam pelo auge e depois chegam ao fundo do poço. A peça questiona essa instabilidade. É muito fácil você ter reconhecimento e depois não ter mais; é nesse momento que a gente começa a lidar com os nossos sonhos e pesadelos”, opina Oliveira.

Ficha técnica

Texto: Daniel Torrieri Baldi e Maristela Bueno

Direção: Jair Assumpção

Elenco: Marcos Oliveira e Tiago Robert

Diretora assistente: Nara Marques

Direção de arte e adereços: Mônica Nassif

Figurino: Paula Sabbatini

Desenho de luz: Salsicha

Trilha sonora e sonoplastia: Fábio Sá

Diretor de cena: Nicolau Ayer

Visagismo: Kene Heuser

Operação de som: Marcelo Santiago

Camareira: Edite Nartis Sanches

Design gráfico e fotos: Francisco Júnior

Administração: Fernando Rossilho e Anna Amélia Torrieri Baldi

Produção geral: Daniel Torrieri Baldi

Produção executiva: Mariana Marcondes

Produção e realização: Desembuxa Entretenimento

Patrocínio: 3M do Brasil

Apoio: ProAC / ICMS (Programa de Ação Cultural do Estado de São Paulo)

Serviço

Biografia Não Autorizada

Estréia p/ convidados: 1º de março – sexta-feira – às 21h30

Teatro MuBE Nova Cultural – www.mubenovacultural.com.br

Rua Alemanha, 221 – Jardim Europa/SP – Tel. (11) 4301-7521.Temporada: de 1º de março até 5 de maio.

SESSÕES BENEFICENTES: nos dias 2 e 3/3 (sábado e domingo) e também nos dias 7 e 14/3 (sessões extras às quintas-feiras, 21h) o ingresso será trocado por 1 kg de alimento não perecível.

Horários: sexta (21h30), sábado (21 horas) e domingo (19 horas)

Ingressos: R$ 40,00 (sexta e domingo) e R$ 50,00 (sábado)

Bilheteria: terça a quinta (14h às 18h), sexta (19h às 21h30), sábado (13h30 às 21h30) e dom. (10h às 11h e 17h às 19h).

Aceita dinheiro e cartões de débito e crédito (V e MC).

Gênero: comédia – Duração: 70 min – Classificação etária: 16 anos – 192 lugares

Ar condicionado. Acesso universal. Estacionamento/valet: R$ 25,00.

 

 

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*