Memória e resistência marcam comemoração de 50 anos do Teatro Aliança Francesa

“Um teatro não pode jamais fechar suas portas”
Jorge da Cunha Lima, presidente da Aliança Francesa.

Kyra Piscitelli, do Aplauso Brasil (kyra@aplausobrasil.com.br)

Espetáculo " Não se brinca com o amor" participa da comemoração dos 50 anos do Teatro Aliança Francesa. Foto: divulgação.
Espetáculo ” Não se brinca com o amor” participa da comemoração dos 50 anos do Teatro Aliança Francesa. Foto: divulgação.

SÃO PAULO – Na noite de quarta-feira (27), o Teatro Aliança Francesa abriu as portas para comemorar seus 50 anos de história. As lembranças e a alegria em se alcançar o marco deste aniversário contagiou a fala dos que subiram no palco antes da apresentação do espetáculo Não se brinca com o amor, que faz parte da série de programação em homenagem ao espaço. As peças que serão apresentadas são todas produções franco-brasileiras. Não se brinca com o amor, por exemplo, traz Anne Kessler, sociétaire da tradicional companhia Comédie-Française, para dirigir atores brasileiros na adaptação do texto do dramaturgo parisiense Alfred de Musset (1810-1857). Os eventos de aniversário acontecem até outubro.

O Teatro Aliança Francesa ocupa um grande espaço dentro da tradicional escola de Francês da Rua General Jardim, no centro de São Paulo. Abrigando essa parte da cidade, o teatro coleciona histórias: da opressão da Ditadura Militar a decadência da qual a região central busca se reerguer.

Esses momentos que marcam ora a história de São Paulo ora a do Brasil apareceram no discurso do presidente da Aliança Francesa Jorge da Cunha Lima, no evento comemorativo. Ele falou de resistência e ressuscitou os Teatros TBC e Arena, além de evocar o Oficina para arrematar que  “um teatro não pode jamais fechar suas portas esteja onde estiver”.

Lima, ainda, agradeceu a todos que um dia se sentaram naquela plateia ou apresentaram-se naquele palco e decretou: “a Aliança Francesa jamais fechará as portas deste teatro. Nós enfrentamos a crise da decadência do centro, as crises econômicas,  as crises políticas do Brasil e a Aliança Fancesa está com essa sala cheia para comemorar seus 50 anos. Ultrapassando minha própria possibilidade, mais 50 anos e tudo que venha”

Jean-Paul Rebaud, conselheiro de cooperação e ação cultural da embaixada da França, seguiu a mesma toada e falou de memória e, claro, resistência. Entre as lembranças, o período em que o teatro ficou fechado (de 2001 a 2003) para uma reforma. “Eu participei da reabertura ( do teatro) depois de obras necessárias para restaurar e modernizar o espaço. Sem deixar de mencionar do espetáculo Quadrante, estrelado  pelo ator Paulo Autran e que reinaugurou o teatro.

O projeto de reforma do Aliança Francesa era parte da revitalização do centro de São Paulo. No entanto, só a partir de 2011, quando assumiu o diretor Marc Boisson, iniciou-se uma busca ao antigo glamour do teatro. Até então, o espaço servia mais eventos do que espetáculos.

Entre as lembranças de Rebaud, está um dia em 1968, época do sombrio regime da Ditadura Militar: “A Universidade de São Paulo, aqui pertinho na Maria Antônia, (antiga sede) iria realizar uma conferência com um grande linguista americano de origem europeia, e no ultimo momento a palestra foi interditada. Os professores desceram até a General Jardim e a palestra foi feita aqui. É a história do teatro, da liberdade e da cultura”.

“Um bastião da resistência”. Assim falou o Secretário de Cultura do estado de São Paulo, Marcelo Mattos sobre o Teatro Aliança Francesa em seu discurso. Com tanta história, o teatro é um símbolo de“batalha para que o centro da cidade seja de apropriação e de construção de uma cidadania”.

Programação dos 50 anos do Teatro Aliança Francesateatro_50anos (1)
Para conhecer a programação completa do teatro, basta entra no site http://www.aliancafrancesa.com.br/hotsite.aspx?tipo=1&cat=13&n=Teatro.

O espetáculo Não se brinca com o amor, apresentado na abertura do evento comemorativo, só terá estreia para o público no dia5 de setembro, às 20h30. A temporada vai até 26 de setembro.

SERVIÇO DE NÃO SE BRINCA COM O AMOR 
Temporada de 5 de setembro a 26 de outubro. Sextas e Sábados às 20h30 e domingos às 18h. Duração: 90 minutos. Classificação Indicativa: 12 anos. Local: Teatro da Aliança Francesa (Rua General Jardim, 182). Ingressos: R$ 40.

FICHA TÉCNICA:
Idealização do projeto: Janaína Suaudeau. Texto: Alfred de Musset. Tradução: Janaína Suaudeau. Colaboração: Clara Carvalho. Direção: Anne Kessler (da Comédie-Française).Assistente de direção e tradutora simultânea: Rita Grillo. Elenco: Adilson Azevedo, Bruno Stierli, Fábio Espósito, Gabriel Miziara, Janaína Suaudeau, Lilian Blanc, Natalia Gonsales e William Amaral. Cenografia: Ulisses Cohn. Assistente de cenografia: Flávio Tolezani. Iluminação: Aline Santini. Trilha sonora original: Gabriel Machado e Valmyr de Oliveira. Fotografias: Carla Trevizani e Michelle Tomaz. Cartaz: Anne Kessler. Design gráfico: Leonardo Miranda. Assessoria de Imprensa: Pombo Correio. Direção de produção: Canto Produções. Produção executiva:Ana Zêpa.

 TEATRO DA ALIANÇA FRANCESA:
Endereço: Rua General Jardim, 182 – Consolação – São Paulo – SP (próximo à estação República do Metrô). Estacionamento em frente. Lotação: 230 lugares. Bilheteria: aberta com 2h de antecedência dos espetáculos. Telefone: (11) 3017-5699 ramal 5602.  Ingressos online: www.ingressorapido.com.br

Kyra Piscitelli

Kyra Piscitelli é jornalista formada pela Universidade Metodista de São Paulo e fez pós-graduação em Globalização e Cultura pela Faculdade de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP). Escreve sobre teatro e arte desde de 2009. Integra os Juris da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) e do Prêmio Aplauso Brasil. Ávida por conhecimento, se não está em viagem ou estudo, só há um lugar para achá-la: o teatro!

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado