MICHEL FERNANDES RECOMENDA: UM TEATRO-CONCERTO IMPERDÍVEL

SÃO PAULO – Imaginem vocês juntar no mesmo palco Nathalia Timberg e Clara Sverner num espetáculo em que a potência técnica e a sensibilidade dão o tom da alma de Chopin que é sua música. O Teatro Porto Seguro presenteia o publico com três únicas apresentações (1, 2 e 3 de dezembro) de Chopin ou o Tormento do Ideal, texto de Philippe Etesse adaptado e dirigido – com a elegância e sofisticação que lhe são peculiares – por José Possi Neto.

Em cena, um piano de calda do lado esquerdo do palco e do lado direito uma poltrona, uma mesa e alguns objetos como se fosse a sala de Chopin ou o camarim do mesmo, Nathalia Timberg e Clara Sverner promovem um momento inesquecível para a cena brasileira: a junção de um concerto de câmara com trechos escolhidos do romântico Chopin e a excelência da sensibilidade de uma das melhores atrizes brasileiras que narra com sua voz trechos de cartas do próprio Chopin, cartas de George Sand entrelaçadas com declarações e poemas de Musset, Liszt, Baudelaire, Gérard de Nerval e Saint-Pol-Roux fazendo um recorte de 20 anos desse musico em que o peso do cotidiano – Chopin sentia falta de seu lar e não podia voltar para a Polônia devido a ocupação do Império Russo – e o ideal inatingível que perseguia são o foco. Mas são as reações corporais aos acordes do piano que transformam o ato teatral num peculiar evento: cada nota que soa, de interpretação impecável de Clara Sverner, ressoa em cada músculo de Nathalia Timberg.

O espetáculo Chopin ou o Tormento do Ideal é uma aula imperdível do teatro unido à música que recomendo.

 

CHOPIN OU O TORMENTO DO IDEAL – 1º, 2 e 3 de dezembro, sexta-feira e sábado, às 21 horas e  domingo, às 19 horas, no Teatro Porto Seguro. Concepção Original – Philippe Etesse. Tradução – Nathalia Timberg. Direção e Adaptação – José Possi Neto. Elenco – Nathalia Timberg. Piano ao Vivo – Clara Sverner. Assistente de Direção – Renato Forner.  Cenografia – Chris Aizner. Desenho de Luz – Wagner Freire. Figurinos – Miko Hashimoto. Videografismo e Projeções – Alexandre Gonzales. Direção de Produção – Danielle Cabral e Ricardo Grasson.Produção Executiva – Jessica Rodrigues e Victória Martinez. Coordenação de Projetos – Contorno Produções e DCARTE. Realização –  DCARTE e Gelatina Cultural.Assistente de Figurinos – Ana Key Kapaz. Projeto Gráfico – Lucas Sancho. Iluminador– Marcel Rodrigues. Administração e Contratos – EXEDRA Consultoria. Duração – 70 minutos. Espetáculo recomendável para maiores de 14 anos. Ingressos – R$ 80,00 (plateia) e R$ 60,00 (balcão/ frisas).

 

TEATRO PORTO SEGURO – Alameda Barão de Piracicaba, 740 – Campos Elíseos. Telefone– (11) 3226-7300. Capacidade do Teatro – 496 lugares. Acesso para deficientes físicos (10 lugares para cadeirantes e 5 cadeiras para obesos). Bilheteria – De terça a sábado das 13h às 21h e domingo das 12h às 19h (ingressos à venda pelo site www.ingressorapido.com.br). Aceita todos os cartões de crédito e débito (exceto Cabal, Sorocred e Goodcard).Estacionamento  Estapar – R$ 20,00 (self parking) – Todos os clientes Porto Seguro tem desconto de 50%. Serviço de Vans – O Teatro Porto Seguro oferece vans gratuitas da Estação Luz até as dependências do Teatro.

 

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.