MICHEL FERNANDES RECOMENDA: UMA DRAMATURGA PARA SE REVERENCIAR

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (michel@aplausobrasil.com)

MANENHA FORA DO ALCANCE DO BEBÊ
MANENHA FORA DO ALCANCE DO BEBÊ

SÃO PAULO –  Antes de ser crítico teatral e jornalista especializado na área, tenho o teatro em meu DNA, o que me faz um entusiasta quando assisto a um espetáculo potente, vibrante, feito Mantenha Fora do Alcance do Bebê que fica em cartaz, de graça, só até amanhã na sala Jardel Filho do Centro Cultural São Paulo (CCSP). O primeiro dos textos vencedores do I Edital de Dramaturgia em Pequenos Formatos Cênicos (CCSP – 2014). o de Silvia Gomez, merece nossa mais sincera reverência e nos enche de otimismo em relação ao futuro da dramaturgia brasileira.

MANENHA FORA DO ALCANCE DO BEBÊ
MANENHA FORA DO ALCANCE DO BEBÊ

Silvia não é exatamente uma novata, no começo dos anos 2000 ela despontou como promessa com O Céu Cinco Minutos Antes da Tempestade, primeira direção a chamar atenção do, hoje consagrado, Eric Lenate, também diretor da montagem. E a sintonia autor X diretor se confirma como em perfeita sintonia: o realismo fantástico proposto por Silvia Gomez com o filhote de lobo criado pela Assistente Social, levando à fuga do comum ao cotidiano, é potencializada pela encenação de Lenate que coloca o Lobo onipresente, armando o cenário, fazendo as vezes de um contrarregra/ narrador onisciente.

O elenco formado por Anapaula Csernik, Débora Falabella, Diego Dac e Jorge Emil tem interpretações vibrantes, seguras, entusiástica. Entretanto é a força que Débora coloca em sua personagem, uma mulher que vibra ansiedade por todos os poros e deseja adotar um bebê para dar sentido a sua vida, que tinge com as cores mais densas a nós espectadores.

MANENHA FORA DO ALCANCE DO BEBÊ
MANENHA FORA DO ALCANCE DO BEBÊ

As falas da personagem de Falabella ironizam a sociedade de consumo a que estamos imersos e funde o processo de adoção à escolha das características de um produto que se vai comprar. O comportamento “politicamente correto” também é colocado na berlinda quando a personagem de Débora insiste no comportamento adequado de ambas na entrevista de adoção, como se esse comportamento fosse um modelo a ser seguido.

Apesar dos ingressos estarem esgotados, vale à pena enfrentar a fila de espera e tentar assistir Mantenha Fora do Alcance do Bebê, porque os deuses do teatro passaram por ali.

MOSTRA DE DRAMATURGIA EM PEQUENOS FORMATOS CÊNICOS DO CENTRO CULTURAL SÃO PAULO apresenta  MANTENHA FORA DO ALCANCE DO BEBÊ Estreia 13 de junho, sábado, às 21 horas, na Sala Jardel Filho do CCSP. Texto – Silvia Gomez. Direção, Cenografia e Adereços – Eric Lenate. Elenco – Débora Falabella, Anapaula Csernik, Jorge Emil e Diego Dac. Assistência de Direção– Janaína Afhonso.  Assistência de Cenografia – Saulo Santos. Figurinos e Adereços – Rosângela Ribeiro. Iluminação e Adereços – Alini Santini. Mascareiro – Fábio Pinheiro. Direção de Palco – Diego Dac e Saulo Santos. Trilha Sonora, Sonoplastia e Engenharia de Som – L.P. Daniel. Projeto Gráfico – Laerte Késsimos. Fotos de Cena e Vídeos – Leekyung Kim. Direção de Produção – Ricardo Grasson. Produção Executiva – Cícero de Andrade e Ricardo Grasson. Assistente de Produção – Fran Ferraretto e Felipe Costa. Realização – Centro Cultural São Paulo. Produção – Gelatina Cultural Produções Artísticas. Idealização – Sociedade Líquida. Ilustração – Adriana Komura. Duração – 80 minutos. Indicado para maiores de 14 anos. Temporada – Sextas-feiras e sábados às 21 horas e domingos às 20 horas. GRÁTIS – retirada de ingressos com uma hora de antecedência. Até AMANHÃ.

CENTRO CULTURAL SÃO PAULO – Sala Jardel Filho – Rua Vergueiro, 1000 –Estação de metrô Vergueiro – Fone 3397-4002. Bilheteria – abre uma hora antes do espetáculo. Capacidade – 321 lugares. Acesso para deficientes físicos. www.centrocultural.sp.gov.br

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*