Mistério Buffo traz jovens atores aos palcos paulistanos

Nanda Rovere, especial para o Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

"Misterio Buffo"

SÃO PAULO – Academia de Palhaços é um grupo formado por alunos da Unicamp que se formaram em 2010 e agora trazem à capital paulista Mistério Buffo, montagem contemplada pelo Programa de Ação Cultural da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo – Concurso de Apoio a Projetos de Produção e Espetáculo Inédito de Teatro. A direção é de Fernando Neves. Cenografia, Visagismo e Figurinos são assinados por Leopoldo Pacheco e Carol Badra. O texto, do dramaturgo Russo Vladimir Maiakóvski, foi adaptado para a realidade brasileira por Laíza Dantas.

Mistério Buffo é o resultado de uma pesquisa realizada sobre as técnicas do palhaço e o universo circense. A participação de Neves na produção é apropriada, visto que o ator e diretor é descendente da Família Neves, uma das mais tradicionais do circo-teatro brasileiro.

Na peça, os atores interpretam diversos personagens, demonstrando versatilidade. Cantam com competência e têm a tarefa de realizar trocas de roupas muito rápidas e transmitir à plateia a alegria do universo circense.

Por meio do escracho e do deboche, o público entra em contato coma aventura épica de sobreviventes de um apocalipse. Mistério Buffo foi escrito por Maiakóvski em 1918, para comemorar o primeiro aniversário da Revolução Comunista.

"Misterio Buffo"

Apesar das críticas na obra estarem relacionadas com a conjuntura social e política da Rússia, as situações expostas podem ser facilmente transportadas para qualquer país onde os problemas sociais e políticos causem desigualdades e conflitos.

Personagens bons e ruins passam pelo Paraíso e pelo Inferno, mas não conseguem se adaptar em nenhum desses lugares. Essas histórias nos remetem a momentos da história mundial e os conflitos apresentados servem para colocar em cena questionamentos sobre o desrespeito ao próximo, a valorização do poder e a exploração decorrente da valorização do bem material.

Neves é apaixonado pelo circo e guia com cuidado os jovens atores. O seu objetivo é fazer com que esses talentos promissores apresentem todo o seu potencial artístico em cena.

O teatro de revista também está presente na trilha ao vivo original, nas coreografias, nos quadros plásticos e em números de cortina, que servem para delimitar os diferentes locais em que as cenas acontecem.

Segundo Fernando Neves, as referências estéticas e poéticas da revista e do circo-teatro buscam tornar a fábula escrita por Maiakóvski interessante e localizá-la em relação a realidade brasileira atual.

“O humor popular, somado ao caráter político do texto, potencializa um espetáculo anárquico, divertido e de tom leve, criando momentos de tensão e provocação crítica junto à plateia”, acredita o diretor, que tem como assistente Katia Daher, sua parceira no grupo teatral Os Fofos.

Detalhes como desenho de luz, maquiagem, troca de roupas e entradas e saídas dos atores ainda precisavam de cuidados no ensaio, que aconteceu no último dia 21 de junho. Como a estreia será no dia 6 de junho, no Teatro João Caetano, haverá tempo hábil para esses retoques.

Certamente, o maior mérito dessa produção teatral é trazer aos palcos paulistanos atores de talento, com habilidade para o canto, a dança e a interpretação. A Academia de palhaços merece a atenção de quem aprecia teatro feito com dedicação e preocupado em contribuir para que a arte circense e a crítica à nossa realidade façam parte do cenário artístico atual.

Equipe técnica:

Texto – Vladimir Maiakóvski. Direção – Fernando Neves. Tradução –Laíza Dantas. Com a Academia de Palhaços. Elenco – Breno Tavares, Bruno Spitaletti, Laíza Dantas, Paula Hemsi e Rodrigo Oliveiras. Músico – Marcelo Bonvicino (piano). Assistente de Direção – Kátia Daher. Cenografia, Visagismo e Figurinos – Leopoldo Pacheco e Carol Badra.Direção das Vozes – Vânia Pajares. Direção Musical – Fernando Esteves. Produção – Carolina Vidotti.

Serviço:

O Mistério Buffo

Estreia dia 6 de julho, sexta-feira, às 21 horas, no Teatro João Caetano. TEATRO JOÃO CAETANO – Rua Borges Lagoa 650 – Vila Clementino (próximo à estação Santa Cruz do metrô). Telefone: (11) 5573-3774. Bilheteria abre uma hora antes do início de cada apresentação. Ingressos à venda também pelo telefone (11) 4003-2050 ou pelo site www.ingressorapido.com.br.Capacidade – 438 lugares.

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.