Resenha: monólogo on line de Antonio Ranieri homenageia Caio Fernando Abreu

EM REDE  – O dramaturgo e ator Antonio Ranieri, que completa 40 anos e 22 de carreira, foi pego de surpresa — como todos nós — com a pandemia, mas de uma forma inusitada. Estreou o espetáculo Caio, quando o amor não vem exatamente no final de semana em que todos os teatros foram fechados. Com a interrupção, ele precisou adaptar o texto para um solo e na próxima semana reestreia: fez duas apresentações nos dias 12 e 13 de agosto, às 20h, na plataforma digital, ZOOM . Quem sabe venham outras. 

A peça presta uma homenagem ao escritor Caio Fernando Abreu por meio do personagem central, Pedro, que ao completar 70 anos sente que não se permitiu viver um grande amor e faz uma retrospectiva de sua vida. Ele resgata suas memórias, relembra os três amores que teve em sua vida e percorre bares e boates da região central de São Paulo voltados para a comunidade LGBTQ+.

Tive a chance de estar na estreia da peça, no Espaço Parlapatões, e fui surpreendido com o início do espetáculo. O público foi conduzido ao centro do palco, que parecia uma pista de boate, e logo que a música começou a tocar o ator entra e faz com que todos dancem com ele. A trama só tem início depois que os espectadores deixam o palco e se dirigem para a plateia.

“Eu queria fazer um espetáculo baseado na obra do Caio Fernando Abreu; após muita pesquisa me encantei com a sua história de vida e tudo acabou virando um texto inédito, em homenagem ao escritor. Foram sete anos de pesquisa sobre a vida e obra do Caio, sobre o amor na terceira idade e uma imersão na cultura LGBTQ nos últimos 70 anos. O foco passou a ser a região central de São Paulo, local que há décadas abriga com carinho a comunidade”, afirma Antonio Ranieri.A montagem on line segue o esquema do texto original, que se divide em três histórias de amor, seguindo as fases de vida do personagem. Pedro começa a trama com 70 anos, quando sente que está praticamente morto emocionalmente. Aí começa o resgate de sua existência: volta 20 anos de sua vida e a peça termina com Pedro aos 30 anos de idade. Por meio de suas lembranças o personagem constata e avalia o peso das próprias escolhas.
Quem quiser conhecer outro trabalho recente do dramaturgo, basta acompanhar a série Curtas Reciprocidades no canal de Ranieri no You Tube.
Roteiro:

Caio, quando o amor não vem

Dramaturgia e atuação: Antonio Ranieri. Direção: Elder Sereni e Lucas Sancho. Assistência direção e operação de som: Marina Assis. Desenho de som e mixagem: Cauê Andreassa. Figurino: Márcio Macena. Trilha sonora e cenário: Antonio Ranieri. Iluminação: Reynaldo Thomaz. Coreografia: Glaucia da Fonseca. Fotografia: Roberto Manfrim. Produção executiva: Morena Carvalho. Realização da A.R Produções Artísticas e A Minha Cia de Teatro.

Serviço:
Horários: 12 e 13 de agosto às 20h. Ingressos: vários preços, fique à vontade em colaborar com o que puder. Vendas: www.sympla.com.br/arproducoesartisticas. Duração: 60 min. Classificação: 14 anos. Para assistir ao espetáculo siga os passos abaixo: baixe o aplicativo ZOOM (https://zoom.us/client/latest/ZoomInstaller.exe); faça o seu cadastro no site da Sympla com um e-mail (não use o Facebook para criar seu login). Siga as instruções presentes no e-mail de confirmação da compra. A Sala de espetáculos estará liberada 15 minutos antes do início do espetáculo.

* Maurício Mellone publicou o texto no www.favodomellone.com.br – parceiro do Aplauso Brasil

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*