Monólogo pretende dialogar com a obra de Jorge Luis Borges

Nanda Rovere, especial para o Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

"Eu vi o sol brilhar em toda sua Glória"

SÃO PAULO O monólogo Eu vi o Sol brilhar em toda a sua Glória estreia hoje no SESC Consolação, em que o ator João Paulo Lorenzon volta a dialogar com a obra do escritor argentino, Jorge Luis Borges. Lorenzon assina o texto que tem supervisão do crítico literário e tradutor Davi Arrigucci Jr.

O texto, baseado nas criações literárias e na trajetória pessoal de Borges, questiona as perdas a que os seres humanos podem sofrer no decorrer da vida.  O objetivo é provocar no espectador reflexões sobre memória e esquecimento, luz e cegueira, sonho e realidade, finitude e imortalidade.

João Paulo Lorenzon faz monólogo dentro do "Acquabox", de Maurizio Mancioli

Lorenzon está envolvido por 200 blocos de concreto; uma cenografia que faz referências às criações do pintor e escultor alemão Anselm Kiefer e nos contos de Borges, em especial: A Escrita do Deus, O Imortal e As Ruínas Circulares.

Segundo o ator, o público entrará em contato com a história de um homem perdido em uma terra devastada onde tempos e espaços se misturam. “Este homem pode ser Borges, mas pode ser também seu personagem, assim como os outros que virão: Beatriz, Argos – o troglodita, Demócrito de Abdera, o tigre — todos presentes em sua obra”, afirma Lorenzon.

Memória do Mundo (2008), com direção de Élcio Nogueira, foi o primeiro monólogo de Lorenzon que trouxe aos palcos o pensamento de Borges. Para o ator, é preciso estar sozinho em cena para retratar com veracidade o universo de Borges. ¨Só na solidão é possível falar de um homem diante do infinito, de um labirinto”, explica Lorenzon

No momento, o artista também pode ser visto no quarto monólogo de sua carreira, Água, em cartaz no Espaço Parahaus, a montagem tem como destaque a ambientação cenográfica: A encenação acontece dentro de um cilindro com 3 toneladas de água.

FICHA TÉCNICA:

Eu vi o Sol brilhar em toda a sua Glória

Inspirado no Universo de Jorge Luis Borges
Criação e concepção: João Paulo Lorenzon

Co-direção: Karim da Hora

Desenho de luz: Lúcia Chedieck

Operação de luz: Tomate Saraiva

Música original: Manuel Pessoa

Produção executiva: Fernanda Bianco

Supervisão artística: Joana Dória

Maquiagem: Atílio Beline Vaz

Cenotécnico: Uiedson Aparecido Torres

Fotografia: Maurizio Mancioli

Assessoria de imprensa: Adriana Monteiro/Ofício das Letras

Realização: SESC-SP

SERVIÇO:
Espetáculo Eu vi o sol brilhar em toda sua Glória

De 21 de maio a 25 de junho
Segundas e terças, às 21h

Duração: 50 minutos

Classificação: acima de 14 anos
SESC Consolação – Espaço Beta – 3º andar
Capacidade:  50 lugares

Rua Doutor Vila Nova, 245

Ingressos: R$ 10,00; R$ 5,00 (usuário matriculado, maiores de 60 anos, estudantes, professores da rede pública de ensino com comprovante) e R$ 2,50 (trabalhador no comércio de bens, serviços e turismo matriculados e dependentes)

Tel. 11 – 3234 3000

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado