MTPAG 2013: “Caos não é sinônimo de confusão”

Michel Fernandes é colaborador especial do Projeto Ademar Guerra (michel@aplausobrasil.com

capetaGARÇA (SP) – Essa ideia de caos a que Sérgio Ferrara, curador do Projeto Ademar Guerra, se referiu de um dos ensinamentos que captou quando era assistente de direção de Antunes Filho, é evocação que merece ser refletida por todas as companhias que se apresentaram ou participaram dos cinco dias de intensa reflexão empreendida pela Mostra de Teatro do Projeto Ademar Guerra. Citou Ferrara que o caos é importante à medida em que nos obriga a responder criativamente aos conflitos que se nos apresentam, mas que devemos cuidar para não confundi-lo com confusão, como apontou em O Apocalipse ou Capeta de Caruaru.

O ponto de partida da encenação do texto do recifense Aldomar Conrado pelo grupo Os Marias, de Pirassununga, está no caos da feira de variedades, mas ao colocar os atores sobre o palco e de frente ao público, a proposta, interessante até, em que cada personagem se dirige a um determinado nicho da plateia, configura-se como imensa confusão por conta da configuração do espaço. Talvez se cada um dos personagens estivesse de frente apenas à determinada parcela da plateia a que se dirige as mensagens ficariam mais claras para os pequenos grupos que assiste a cada um dos fragmentos e deixaria os demais espectadores curiosos em voltar para ver os outros.

A encenação bem cuidada de Marco Pavani reserva ótimos e divertidos momentos sendo necessário ater-se a detalhes que, no período posterior ao recorte do processo apresentado, terá outro grau de exigência. As palavras-chave que devem o trabalho são seleção e organização.

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*