Nathalia Timberg sob direção de Roberto Alvim estreia no CCBB SP

Luís Francisco Wasilewski, DO Aplauso Brasil (lfw@aplausobrasil.com)

TRÍPTICO SAMUEL BECKETT
TRÍPTICO SAMUEL BECKETT

SÃO PAULO – Uma mulher em três idades de sua vida – infância, maturidade e velhice – personifica toda a humanidade, com suas dores, perplexidades, medos, fragilidades e anseios. Esse é o ponto de partida de Tríptico Samuel Beckett, espetáculo com direção de Roberto Alvim, que estreia sábado (1º), às 20 horas, no Teatro do Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) de São Paulo. Em cena, as atrizes Nathalia Timberg, Juliana Galdino e Paula Spinelli personificam essa mesma mulher e promovem uma jornada pelas principais questões, formais e existenciais, abordadas por Samuel Beckett em sua escritura.

O espetáculo sintetiza a obra de um dos maiores escritores do século XX, o irlandês Samuel Beckett, vencedor do Prêmio Nobel de Literatura. Trata-se de uma livre adaptação da trilogia final de Beckett, composta pelas obras Para o Pior Avante,Companhia e Mal Visto Mal Dito, textos que sintetizam a visão de mundo “beckettiana” e que configuram seu testamento artístico.

TRÍPTICO SAMUEL BECKETT
TRÍPTICO SAMUEL BECKETT

Em termos formais, esta trilogia é sua obra mais radical, uma carta de despedida na qual o dramaturgo condensa de modo brilhante e profundamente tocante tudo aquilo que apreendeu da vida e da arte.

Nathalia Timberg, Juliana Galdino e Paula Spinelli estarão juntas no palco durante todo o tempo de Tríptico Samuel Beckett. Elas dão vida a uma mulher em três idades (infância, maturidade e velhice) em uma contracenação sutil.

“A peça acontece no espaço mental dessa mulher, onde as três idades coexistem”, explica Roberto Alvim, o diretor do espetáculo.

Ele acrescenta ainda que as atrizes estarão praticamente imóveis e na penumbra.

“As cenas são norteadas pela voz humana e, a partir disso, o público constrói as imagens e sensações.”, ele comenta.

O espetáculo é o primeiro texto de Samuel Beckett que a atriz Nathalia Timberg encena. O diretor Roberto Alvim conta que quando leu Mal Visto Mal Dito logo pensou em levá-lo aos palcos e fez uma tradução da obra. Quando decidiu montar o espetáculo pensou imediatamente em Nathalia Timberg, que em sua opinião, é a melhor atriz da geração dela.

Tríptico Samuel Beckett também marca o retorno dessa grande dama do nosso teatro aos palcos paulistas. Sua última peça encenada em São Paulo foi Sopro de Vida, que esteve em cartaz na cidade em 2010.

Tríptico Samuel Beckett – Estreia dia 1º de fevereiro, sábado, às 20 horas, no Teatro do Centro Cultural Banco do Brasil. Texto – Samuel Beckett. Tradução, Adaptação e Direção – Roberto Alvim. Elenco – Nathalia Timberg, Juliana Galdino e Paula Spinelli.  – Cenografia e Iluminação – Roberto Alvim.Figurinos – Juliana Galdino. Assistente de Direção – Ricardo Grasson. Cenotécnica – Juliana Fernandes. Direção de Produção – Marcelo Rorato. Produção Executiva – Maria Betania Oliveira. Registro em Vídeo – Edson Kumasaka. Fotografias – Daniel Seabra. Programação Visual – Felipe Uchôa. Duração – 60 minutos. Espetáculo recomendável para maiores de 16 anos.Temporada – Sábado e segunda-feira às 20 horas e domingo às 19 horas.Ingressos – R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia). Até 14 de abril

CENTRO CULTURAL BANCO DO BRASIL – Rua Álvares Penteado, 112 – Centro. Próximo às estações Sé e São Bento do Metrô. Informações (11) 3113-3651/ 3113-3652. Acesso e facilidades para pessoas com deficiência física// Ar-condicionado // Loja // Café Cafezal. Capacidade – 125 lugares. www.bb.com.br/cultura.

Estacionamento conveniado: Estapar Estacionamentos – Rua da Consolação, 228 (Edifícos Zarvos). R$ 15,00 pelo período de 5 horas. Necessário carimbar o ticket na bilheteria do CCBB. Informações: (11) 3256-8935. Van faz o transporte gratuito até as proximidades do CCBB – embarque e desembarque na Rua da Consolação, 228 (Edifício Zarvos) e na XV de novembro, esquina com a Rua da Quitanda, a vinte metros da entrada do CCBB.

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*