Nelson Baskerville dirige 30 atores em duas montagens a partir de obras de Nelson Rodrigues

SÃO PAULO – INTERDITOS – as falas e as não falas das rubricas de Nelson Rodrigues e O Fazedor de Anjos são montagens inéditas a partir de oficinas norteadas por Nelson Baskerville, dois encontros com 30  artistas e a obra de Nelson Rodrigues. Com a necessidade de investigar as rubricas do autor através do olhar plástico de William Kentridge e Roberto Rodrigues, nasce O Fazedor de Anjos: um espetáculo que propõe um ângulo onírico sobre o universo Rodriguiano e que, dramaturgicamente, se apoia em suas peças como ponto de partida para pôr em prática a linguagem desenvolvida pelo coletivo. Fica em cartaz de 28 de novembro a 13 de dezembro, às quintas e sextas-feiras.

 

E se, em vez de dizer as falas de Nelson Rodrigues, conhecido justamente pelo seu uso excepcional da palavra, fossem utilizadas as rubricas das suas peças? Quais imagens elas encobrem? Como desvenda-las? É possível, a partir delas, criar um espetáculo?

 

Em “INTERDITOS – as falas e as não falas das rubricas de Nelson Rodrigues” dezoito atores-criadores provocados pelo diretor Nelson Baskerville (profundo conhecedor do universo rodrigueano) apresentam o espetáculo “INTERDITOS – as falas e as não falas das rubricas de Nelson Rodrigues” que tem dramaturgia construída a partir do que não está dito nas peças, mas apenas sugerido. Os atores-criadores se apropriam dessas rubricas e colocam seus corpos em jogo, dentro do universo trágico e denso das obras do autor. Em cartaz de 25 de novembro a 11 de dezembro, às segundas, terças e quartas-feiras.

 

O Fazedor de Anjos é livremente inspirado nas rubricas das peças de Nelson Rodrigues, originado de uma oficina de criação de espetáculo na Inbox Cultural e ministrada por mim. A ideia de trabalhar sobre as rubricas e situações do autor é antiga e foi sendo pensada ao longo de 15 anos, depois de três espetáculos sobre a obra de Nelson que encenei: 17XNelson – O Inferno de todos nós em 2005, 17XNelson ll – Se não é Eterno, não é Amor em 2012 e Os 7 Gatinhos no mesmo ano. Minha crença é que as rubricas de Nelson são um espetáculo a parte e apesar de muito estudadas por atores, diretores e acadêmicos ficam longe da plateia que apenas assiste aos espetáculos. O próprio nome do espetáculo é uma referência ao médico que pratica o aborto em Nair em Perdoa-me Por Me Traíres e foca-se na cena em que o médico faz o procedimento enquanto chupa uma mexerica e cospe os caroços enquanto a menina morre por hemorragia. Há outras diversas cenas de forte impacto visual inspiradas em “pequenos cantos pouco iluminados” das peças de Nelson e foram propostas pelos próprios atores da oficina levando-se em conta as diversas texturas cênicas, sonoridades e situações canhestras das peças. A encenação inspira-se no cinema mudo para criar cenas sem falas ou com pouquíssimas falas para fazer o espectador viajar por um mundo inusitado onde, não o texto, mas as imagens permitem o ingresso em um universo desconhecido, o universo do nosso mais importante autor, visto por ângulos inusitados., diz Barskerville.

 

“INTERDITOS – as falas e as não falas das rubricas de Nelson Rodrigues”

Ficha Técnica

Direção: Nelson Baskerville

Dramaturgia: Ronaldo Fernandes

Assistência de Direção e Direção de Movimento: Débora Veneziani  e Fernando Fecchio

Elenco: Alexandre Passos, Alexandre Rosa, Amadeu Carvalho, Amanda Pickler, Carmen Estevez, Clara Cury, Fábia Mirassos, Guilherme Correa, Le Allvez, Lígia Fonseca, Lino Camilo, Lorena Garrido Borges, Marcio Araujo, Marianna Troccoli, Nina Dornela, Roberta Cantelli, Ronaldo Fernandes e Silô Moreno.

Visagismo: Fábia Mirassos

Coordenação de Figurino: Clara Cury

Cenografia: Nelson Baskerville

Iluminação: Pedro Moura

Arte gráfica: Thiago Sak

Fotógrafo: Giorgio D’Onofrio

Confecção da cortina e maquinaria: Angela Oliveira e Edmilson Souza

Produção executiva: Bia Alves

Direção de produção: Júlia Ribeiro

Assessoria de imprensa: Adriana Monteiro – Ofício das Letras

Co-realização: Mirante Produções

Realização: Inbox Cultural

Idealização: Kauê Telloli

 

Serviço:

Datas:

25 de Novembro a 11 de Dezembro

Segundas, terças e quartas

(25, 26, 27 de novembro – 2, 3, 4, 9, 10, 11 de dezembro)

Horário: 20h

Local: Inbox Cultural, Rua Teodoro Sampaio, 2355

Valor: Colaborativo – Pague o quanto puder

Informações – comunicacaoinboxcultural@gmail.com

 

 

“O Fazedor de Anjos”

Ficha Técnica

Direção: Nelson Baskerville

Dramaturgia: Nelson Baskerville

Assistência de direção: Pedro Lopes

Elenco: Bruna Brignol, Dani D’eon, Gustavo Zanela, Laysa Nakahira, Letícia Sobral, Lígia Civile, Maria Eduarda Pecego, Matheus de Souza, Michele Cezar, Renato Moraes, Thiago Brianti e Vander Palma

Cenografia: Nelson Baskerville

Iluminação: Pedro Moura

Arte gráfica: Thiago Sak

Fotógrafo: Giorgio D’Onofrio

Confecção da cortina e maquinaria: Angela Oliveira e Edmilson Souza

Produção: Dani D’eon

Produção executiva: Bia Alves

Direção de produção: Júlia Ribeiro

Assessoria de imprensa: Adriana Monteiro – Ofício das Letras

Co-realização: Mirante Produções

Realização: Inbox Cultural

Idealização: Kauê Telloli

 

Serviço:

Datas:

28 de novembro a 13 de dezembro

Quintas e sextas

(28 e 29 de novembro – 5, 6, 12 e 13 de dezembro)

Horário: 20h quinta, sexta sessão dupla às 20h e 21h30

Local: Inbox Cultural, Rua Teodoro Sampaio, 2355

Valor: Colaborativo – Pague o quanto puder

Informações – comunicacaoinboxcultural@gmail.com

 

iNBOx Cultural

Rua Teodoro Sampaio, 2355, em Pinheiros.

Capacidade – 50 pessoas

Acessibilidade – não

Banheiro – Unissex

Tem café – não

Aceita cartão – não.

Débito ou crédito – não

Quais bandeiras – não

Sistema de venda online – Sympla

Horário de Funcionamento da bilheteria – online sympla 24h ou 30 min antes do início da peça, pagamento em dinheiro

Reserva/telefone – apenas via sympla.

Informações – comunicacaoinboxcultural@gmail.com

 

Kyra Piscitelli

Kyra Piscitelli é jornalista formada pela Universidade Metodista de São Paulo e fez pós-graduação em Globalização e Cultura pela Faculdade de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP). Escreve sobre teatro e arte desde de 2009. Integra os Juris da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) e do Prêmio Aplauso Brasil. Ávida por conhecimento, se não está em viagem ou estudo, só há um lugar para achá-la: o teatro!

No Comments Yet

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*