Nós do Morro esquenta novo espetáculo no Vidigal

Redação do Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

"Bandeira de Retalhos" faz pré-estreia no Morro do Vidigal

RIO DE JANEIRO –Dez anos depois de Noites do Vidigal, texto que retratava o cotidiano do Vidigal, duas montagens de Shakespeare, uma adaptação de contos de Machado de Assis, e um Gorki, o grupo Nós do Morro volta seu olhar para história de sua comunidade original, o Morro do Vidigal, na sua nova montagem. Explorando a inequívoca vocação musical do Vidigal, Bandeira de Retalhos é um texto inédito escrito por Sérgio Ricardo em 1979 e dirigido por Guti Fraga e Fátima Domingues. A peça faz uma minitemporada gratuita no Casarão, sede do grupo no Vidigal, entre os dias 15 e 24 de junho; e segue em cartaz no Teatro Maria Clara Machado (Planetário), de 30 de junho a 5 de agosto.

Bandeira de Retalhos explora o momento em que o clima mágico que envolvia o Vidigal, no fim dos anos 1970, fosse abruptamente interrompido pela violência da tentativa de remoção da comunidade. O cantor, compositor, cineasta, artista plástico e morador do Vidigal desde 1974, Sérgio Ricardo, ele mesmo um personagem dessa história, também assina a trilha sonora e a direção musical do espetáculo.

Em cena, os atores Alexandre Cipriano, Alexis Abrahan, Cida Costa, Cláudio Tozar, Danilo Batista, Edson Oliveira, Flavio Mariano, Francisca Damião, Jackie Brown, João Gurgel, Kizi Vaz, Lorena Baesso, Luiz Henrique Delfino, Luzinete Barbosa, Marcelo Melo, Maga Cavalcante, Marília Coelho, Priscilla Marinho, Renan Monteiro, Rosangela Gonçalves e Sandro Matos cantam a trilha original da peça. Das 22 músicas, todas compostas por Sérgio Ricardo, 18 são inéditas.

"Bandeira de Retalhos" faz pré-estreia no Morro do Vidigal"Bandeira de Retalhos" faz pré-estreia no Morro do Vidigal"Bandeira de Retalhos" faz pré-estreia no Morro do Vidigal"Bandeira de Retalhos" faz pré-estreia no Morro do Vidigal"Bandeira de Retalhos" faz pré-estreia no Morro do Vidigal

Sérgio Ricardo se mudou para o 314 em 1975 com o intuito de transformar em cinema a bossa social Zelão, principal hit do álbum A Bossa Romântica, lançado em 1960. A ideia inicial era morar um ano no barraco comprado no Vidigal, mas, ao saber da possibilidade da expulsão das famílias do local, ficou e se tornou personagem da luta.

Na peça, ele conta como transformou sua casa em sede da associação de moradores e ajudou a contatar Bento Rubião, um dos maiores advogados do país à época, e a impedir a remoção dos moradores em pleno regime militar pela mobilização feita pelas entidades de direitos humanos, religiosas e a imprensa em prol dos moradores da comunidade.

Bandeira de Retalhos – Ficha Técnica

Autor: Sérgio Ricardo

Direção: Guti Fraga e Fátima Domingues

Direção Musical: Sergio Ricardo

Assistente de Direção Musical: João Gurgel

Supervisão Dramatúrgica: Luiz Paulo Correa e Castro

Direção de movimento: Johayne Hildefonso

Cenografia: Rui Cortez

Figurino: Pedro Sayad e Tita Nunes

Iluminação: Márcia Francisco

Som: Allan Felix de Souza

Design Gráfico: Marina Lufti

Preparação Rítmica: Wellington Soares

Assistente de Direção e Canto: Tiago Barbosa

Assistente de Produção: Sandra Viola

Produção Executiva: Zezzé Silva, Alessandra Barbosa e Bianca Fabre

Direção de produção: Zezzé Silva

Assessoria de Imprensa: Carla de Gonzales

Elenco – ator/ personagem:

Alexandre Cipriano – VELHO DO POÇO

Alexis Abrahan – DÉLIO DOS SANTOS, POLICIAL e MÚSICO

Cida Costa – ANGÉLICA

Cláudio Tozar – JOÃO VELHO

Danilo Batista – ENGENHEIRO

Edson Oliveira – SARGENTO

Flavio Mariano – ISIDORO, POLICIAL e MÚSICO

Francisca Damião – COSTUREIRA

Jackie Brown – ÂNGELA

João Gurgel – TUIM e MÚSICO

Kizi Vaz – TIANA

Lorena Baesso – CONCEIÇÃO

Luiz Henrique Delfino – PERNAMBUCO

Luzinete Barbosa –  DONA FÁTIMA

Marcelo Melo – NENO, POLICIAL e MÚSICO

Maga Cavalcante – DONA ALZIRA e GRÁVIDA

Marília Coelho – JÚLIA

Priscilla Marinho –  CLARA

Renan Monteiro – BITUCA e MÚSICO

Rosangela Gonçalves – ANA MARIA NORONHA

Sandro Matos – JOÃO DA LUA e BENTO RUBIÃO

Serviço:

Pré-estreia e minitemporada de ensaios abertos:

Casarão do Nós do Morro –Rua Dr. Olinto de Magalhães, nº 54.

Salão Negro – 2º pavimento

Estreia para convidados: dia 14 de junho, quinta-feira, às 21h;

Sexta e sábados, às 21h; e domingos, às 20h.

De 15 a 24 de junho.

Ocupação: 50 lugares.

Entrada gratuita – distribuição de senhas uma hora antes do início do espetáculo.

Teatro Maria Clara Machado – Padre Leonel Franca, 240, Gávea.

Telefone  da bilheteria: 21 2274-7722.

Estreia para convidados: dia 29 de junho.

Temporada: de 30 de junho a 5 de agosto.

Sextas e sábados, às 21h; e domingos, às 20h.

Ocupação: 138 lugares.

Ingressos: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia-entrada).

Classificação Indicativa: 18 anos

Duração: 105 Minutos

Michel Fernandes

Michel Fernandes, graduado em Jornalismo e pós graduado em Direção Teatral., escreveu de 2000 a 2012 críticas de teatro e reportagens para o iG. Em 2002 criou o Aplauso Brasil - www.aplausobrasil.com.br -, site voltado à noticias, resenhas e críticas teatrais, até hoje no ar. Integrante da APCA desde 2004, Michel Fernandes já esteve nas comissões do Prêmio Miriam Muniz, ProAC, Programa de Fomento ao Teatro de São Paulo, emtre outros Em 2012 criou o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro. Em 2014 realiza Residência do Aplauso Brasil na SP Escola de Teatro. Em 2015 é crítico convidado da MITsp (Mostra Internacional de Teatro de São Paulo). Em 2016 é membro de comissão julgadora do Proac. Em 2017 faz parte do Conselho Consultivo do CCSP.

1 comentário

Leave a Reply

Seu email não será publicado

*